Janeiro 31, 2019

4 exemplos de modelos de negócios que você pode usar no seu

4 exemplos de modelos de negócios que você pode usar no seu

Por Luciana Padovez Cualheta*

Modelos de negócios dizem respeito a como uma empresa entrega e captura valor. Um modelo de negócios inovador gera benefícios que outras empresas não oferecem a seus clientes e, ao mesmo tempo, garante que a empresa vai ganhar dinheiro. Empresas como Airbnb e Netflix inovaram em seus modelos de negócios ao entregar novas formas de hospedagem e entretenimento e se tornarem lucrativas por isso. Já o YouTube, por exemplo, gerou novos benefícios aos consumidores, mas teve dificuldades com seu caixa, ao demorar para cobrar pelos seus serviços.

Como criar um novo produto ou serviço não é tarefa simples. Assim, uma alternativa para as empresas se tornarem diferentes das que já existem é a criação de novos modelos de negócios. Copiar um modelo de negócio não é tarefa fácil, pois geralmente ele gera novos comportamentos do consumidor, que tendem a se tornar leais àquela marca. Não é por acaso que empresas como Apple, Starbucks, Netflix, Skype, Pixar são tão bem-sucedidas e ganharam não só nosso dinheiro, mas também nossos corações.

É possível que empresas de qualquer porte tenham modelo de negócios inovadores. O que parece absurdo inicialmente pode ser um caminho para o sucesso.

Então, como podemos criar modelos de negócios inovadores? A primeira dica é: pense fora da lógica de sua área de atuação. Ao invés de pensar: o que toda padaria deve ter, pense exatamente no que ela pode ter que nenhuma outra tem. Inspire-se em modelos de negócios usados por empresas de áreas diferentes das suas. E o mais importante, é saber responder as seguintes perguntas: quem são meus principais clientes? Quais são suas necessidades e desejos? Pelo que eles estão dispostos a pagar? Só um profundo conhecimento de mercado te ajuda a inovar.

Aqui vão alguns exemplos de modelos negócios inovadores (especialmente quando foram utilizados pela primeira vez) para te inspirar:

Add-on: o preço inicial cobrado pelo serviço é baixo e competitivo no mercado, mas são cobrados valores por serviços adicionais. Por exemplo, a Ryanair oferece passagens aéreas de até 1 euro, mas cobra para despachar a bagagem e pelos serviços a bordo, como refeição, wi-fi e escolha de assentos. Isso permite que os consumidores escolham os serviços que desejam de acordo com suas necessidades e renda. Já a empresa consegue atrair muitos clientes com o preço baixo e eleva suas receitas cobrando pelos serviços adicionais.

Flat rate ou taxa única: os clientes pagam uma taxa pelo produto e consomem a quantidade que desejar. É o caso de empresas como a Netflix ou de restaurantes que cobram um valor pela refeição e permitem que o cliente coma à vontade. Nesse caso, os clientes sabem exatamente quanto irão gastar e a empresa tem maior previsibilidade de suas receitas, trabalhando intensamente para aumentar a base de usuários.

Freemium: nesse modelo a empresa oferece serviços básicos gratuitos e opções de serviços premium pagos. É o caso de empresas como Spotify, LinkedIn, Dropbox e vários aplicativos de jogos. Para o cliente, a vantagem é poder experimentar antes de pagar ou seguir usando o serviço gratuito que lhe satisfaça. Já a empresa ganha dinheiro ao oferecer um serviço gratuito atrativo, que demonstra sua qualidade como forma de vender serviços premium que realmente gerem valor para o cliente.

Robin Hood: nesse modelo os produtos e serviços são vendidos pelo preço "cheio" para clientes de alta renda e a preços baixos ou de graça para a população de baixa renda. É o caso da empresa TOMS Shoes, que usa o modelo um para um. A cada par de sapatos vendidos uma pessoa de baixa renda ganha um par de sapatos gratuitamente. Esse é um modelo que ajuda a empresa a realizar sua missão social, garantindo receita dos produtos vendidos, ao mesmo tempo em que ajuda a população de baixa renda.

Todos os modelos de negócios citados podem ser adaptados para outros negócios. Ainda, você pode criar novos modelos de negócios. Basta estar disposto a olhar para o mercado com outros olhos, a buscar inspirações em áreas e lugares diferentes dos seus e a testar suas ideias com o mercado. Esse será seu grande diferencial competitivo!

Para ver mais vários exemplos de modelos de negócios, sugiro que leia o livro O Navegador do Modelo de Negócios.

*Luciana Padovez Cualheta é Co-fundadora e diretora da Sempreende.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários