Maio 24, 2018

"A Casa de Papel" e o fascínio pelos filmes de assalto a bancos

Não sei explicar de onde vem o fascínio do público pelas histórias de assalto a bancos. Mas que ele existe, existe. O sucesso da série espanhola "La Casa de Papel" parece ter reacendido o interesse por esse subgênero.

Não é incomum que acabemos torcendo pelos bandidos, os anti-heróis do filme, quando eles são autores de uma estratégia engenhosa de roubos a instituições financeiras. Talvez exista alguma espécie de "Síndrome de Robin Hood"ainda não catalogada pela Psicologia.

Deixando as especulações científicas para quem entende, vamos ao que interessa: nossa seleção de filmes sobre o assunto. O seu favorito não está na lista? Não seja tímido, escreva e reclame no espaço de comentários ao final da coluna ou para cineseries@portalmakingof.com.br

------------------------------------------------

FORA DE SÉRIE

A CASA DE PAPEL ( 2017 - 2 temporadas -Espanha - Netflix)

Basicamente a trama é a seguinte: oito assaltantes se trancam na Casa da Moeda com reféns para praticar aquele que seria o maior roubo da história . Eles são guiados do lado de fora pelo autor do plano, conhecido como Professor, e cada um recebeu o nome de uma cidade: Tóquio, Nairóbi, Rio, Berlim, Helsinque, Oslo, Denver e Moscou. Assim, não sabem quem são e não podem delatar os outros se algo der errado. Além dos pseudônimos, suas características também são bem específicas: Tóquio é uma mulher impulsiva e forte, Rio é um hacker, Nairóbi é especialista em falsificações, Moscou um especialista em arrombar cofres... 

Quando invadem a Casa da Moeda estão vestindo macacões vermelhos e máscaras com a figura do pintor surrealista Salvador Dalí. O figurino inspirou fantasias no último carnaval no Brasil, onde os foliões carregavam placas com os dizeres " La Casa de Papel ...de trouxa".

FOTO

O grupo controla os reféns e começa a imprimir seu próprio dinheiro. No mundo exterior, o Professor negocia com a polícia e vai consertando acontecimentos fora do previsto. A orientação dele foi que não houvesse derramamento de sangue. Conseguiram isso ? Tudo deu certo ? Se safaram ? Bem, isso não conto, pois prometi não cometer spoiler, lembram?

Apesar de não ser nenhuma obra prima a minissérie da TV espanhola, para surpresa até de seus criadores, virou uma série de grande êxito no Brasil,  Argentina, Perú, Turquia e França. Para alegria da Netflix, sua transmissora, "La Casa de Papel" ganhou uma segunda temporada ( ainda não vi, mas já ouvi que é bem inferior à primeira). Com todos seus erros de continuidade e tudo o mais, "La Casa" caiu tanto no gosto dos série maníacos que vem aí a terceira temporada. Os roteiristas vão ter que por os neurônios a funcionar para espichar a história escrita apenas como minissérie. E quem duvida?

------------------------------------------------

OS SETE HOMENS DE OURO( direção: Marco Vicário – Esp/Fran/Ita-1965)

Sinopse oficial : Albert( Phillipe Leroy), um ladrão internacional, planeja um roubo em um banco de Genebra que contêm sete toneladas de ouro. Ajudado por Giorgia (Rossana Podestá), que opera de dentro do banco, e seis outros cúmplices, Albert se instala em um hotel próximo, com vários dispositivos eletrônicos para supervisionar a operação.

Nota da coluna: o filme fez tanto sucesso que ganhou uma continuação no ano seguinte, no Brasil chamado de " O grande golpe dos sete homens de ouro".



CROWN, O MAGNÍFICO ( direção: Norman Jewison – EUA – 1968 )

O elegantérrimo Steve McQueen interpreta Thomas Crown, um milionário que planeja um grande roubo a banco com outros quatro assaltantes. Dá tudo certo, mas Crown tem que enfrentar a investigadora da agência de seguros, Vickie Anderson ( Faye Dunaway). Ela tem certeza que Crown, apesar de não precisar de dinheiro, é o mentor do golpe.

Há um remake de 1999 : Thomas Crown - A Arte do Crime, mas como quase toda refilmagem ,não se compara ao original.

 

UM DIA DE CÃO ( direção: Sidney Lumet – EUA – 1975)

Bem, este não é só mais um filme sobre assalto a banco, mas um drama que fala de uma tentativa desesperada. Al Pacino, talvez em seu melhor papel, é Sonny , ladrão amador e despreparado para o que viria a seguir. O que era para ser rápido e simples acaba virando um circo midiático, com reféns e muita gente acompanhando. Seu companheiro de crime é Sal, outro destrambelhado que acaba dando toques cômicos à história. Sonny grita seus discursos em frente ao banco e ganha a simpatia da população que se identifica com ele. Bem depois descobrimos que ele quer o dinheiro para seu amante fazer uma cirurgia de mudança de sexo. Filmaço, indicado a vários Oscars, ganhou apenas o de melhor roteiro porque esbarrou no mesmo ano com "Um Estranho no Ninho". Pacino perdeu para Jack Nicholson, briga de cachorro grande.

 

CAÇADORES DE EMOÇÕES ( direção: Katheryn Bigelow –EUA – 1991)

Keanu Reeves é Johnny Utha, um policial do FBI que se infiltra em uma gangue liderada por Bodhi ( Patrick Swayze). Além de surfar, eles assaltam bancos usando máscaras de ex-presidentes. O filme lançou um estilo que hoje se vê em "Velozes e Furiosos", por exemplo. A diretora Katheryn Bigelow ganharia um Oscar por "Guerra ao Terror" dezessete anos depois de "Caçadores de Emoções".

 

O PLANO PERFEITO ( direção: Spyke Lee – EUA – 2006)

Grande elenco e diretor de respeito garantiram o sucesso do filme. Clive Owen é o líder de uma quadrilha que invade um banco em Nova York. Denzel Washington é o detetive que vai tentar resolver a situação, mas a esperteza do grupo o surpreende. Jodie Foster entre na história como uma famosa jogadora de pôquer que pede um encontro a sós com o chefe do bando.

 

INIMIGOS PÚBLICOS ( direção: Michael Mann – EUA – 2009)

Johnny Depp interpreta o famoso gangster John Dillinger que, durante a Derpressão Americana, dizia assaltar bancos porque eles roubavam das pessoas. Dillinger acabou virando o inimigo público nº 1 do país, sendo caçado pelo diretor do FBI, J.Hoover. O filme trata o personagem de Depp com carinho, quase como herói. O elenco tem também Marion Cottilard, Channing Tatum e Christian Bale.

 

TRUQUE DE MESTRE ( direção: Louis Leterrier – 2013)

Um grupo de ilusionistas chamado The Four Horsemen faz mágicas sensacionais, mas também assalta bancos em outro continente. Eles distribuem a quantia roubada entre os próprios espectadores. Entra em campo o detetive interpretado por Mark Ruffalo, auxiliado por uma agente da Interpol e pelo desmistificador de mágicos vivido por Morgan Freeman.

 

Outros do tema: Parceiros do Crime ( 1994), Atração Perigosa (2010), Fogo contra Fogo (1995),Vida Bandida (2001),Trapaceiros (2000), Efeito Dominó (2008)

------------------------------------------------

O FILME & O LIVRO

 

O FILME – BONNIE E CLYDE ( direção: Arthur Penn – EUA -1967)


Nesta edição, a coluna inverteu a ordem e fala primeiro do filme que tornou célebre no mundo inteiro a dupla de amantes. Bonnie se apaixonou por Clyde, um ex presidiário solto por bom comportamento, durante a época da depressão americana. Acabaram formando uma dupla que roubava carros e assaltava bancos, tornando-se os bandidos mais procurados dos EUA.

Uma história assim só poderia acabar nas telas. Quem deu vida à Bonnie foi Faye Dunaway; Clyde foi interpretado por Warren Beatty. Era um casal bonito que ajudou a romancear uma vida real não tão glamourosa assim. À dupla se juntam mais três pessoas, dois homens e uma mulher.  Quando matam uma pessoa durante um assalto, a barra pesa para o lado da gang. Gene Hackman, grande ator, interpreta o irmão de Clyde que se junta ao bando.

Até hoje o filme continua inspirando festas temáticas, o figurino, como a boina que Faye usa no filme, também. Na cerimônia do Oscar de 2017,  quando  "Bonnie e Clyde-Uma rajada de balas" completou 50 anos, a atriz e Warren Beatty foram convidados para apresentar o prêmio de melhor filme e aí se deu o maior mico da história: entregaram a eles o cartão de "La la Land" , mas o vencedor tinha sido " Moonlight- Sob a luz do luar". Sorte dos organizadores que eram Faye e Warren e não Bonnie e Clyde, porque bem que mereciam um corretivo pela saia justa em que meteram os dois astros

O Livro: Bonnie & Clyde – A vida por trás da lenda (2010)


O livro reabriu a curiosidade sobre o lendário casal de gangster. A biografia de 2010, de Paul Schneider, ajuda a desmistificar o romantismo em que o filme de Penn envolve a história de Bonnie e Clyde.

 O autor aprofundou a pesquisa, teve acesso a documentos do FBI e chegou a dormir no quarto onde a dupla se hospedou no Missouri, em 1933. De acordo com o livro, os dois estavam em estado lamentável nos últimos dias de aventura, famintos, sujos e feridos. Bonnie mal conseguia andar por causa de uma queimadura na perna. Os amantes foram perseguidos por quatro estados, numa fuga vertiginosa e muita adrenalina ( um conceito ainda não conhecido para explicar qual o "barato" de viver correndo riscos). Acabaram caindo em uma emboscada e tudo terminou da pior maneira possível.

Schneider conta também que a relação dos dois era apaixonada, mas longe de ser harmoniosa. Nas horas vagas, Clyde se distraía batendo na mulher e parceira de crimes.

------------------------------------------------

É COISA NOSSA

ASSALTO AO BANCO CENTRAL  (direção: Marcos Paulo -  2011)

O  assalto ao Banco Central de Fortaleza, em 2005, foi tão espetacular que acabou virando um filme de ação pelas mãos de Marcos Paulo. Cerca de 154 milhões de reais foram roubados sem que nenhum alarme disparasse, sem tiros, reféns ou qualquer tipo de violência.

A quadrilha cavou um túnel de 84 m de uma casa em frente do banco até o cofre. Foi o segundo maior roubo de bancos do mundo. Os ladrões fugiram sem problemas. Deu tudo certo até...

No filme, o autor da ideia é Barão, interpretado por Milhem Cortaz. Eriberto Leão faz parte da quadrilha e Lima Duarte é o delegado Chico Amorim.

------------------------------------------------

EM CARTAZ

Filmes com entrada gratuita em Florianópolis

 

Cineclube da Fundação Cultural Badesc – Centro-Florianópolis

23/05 – 19 horas -2° Ciclo de Cinema Palestino – Art7

O ídolo  (Ya tayr el tayer)
Direção: Hany Abu-Assad. Palestina, Reino Unido, Qatar, Holanda, Emirados Árabes Unidos. Biografia/Drama. 12 anos. Com Tawfeek Barhom, Kais Attalah e Hiba Attalah.

O jovem Mohammed sonha em ser um cantor de sucesso. Quando vê os anúncios de inscrições para o Arab Idol, ele enfrenta todos os perigos da travessia até o local para ter a chance de participar da competição.

Após a sessão haverá lançamento do livro "Amálgama de luta e beleza: somos todos palestinos", de Yasser Jamil Fayad e conversa com o autor.



24/05 – 19horas – Cine Delas

Lute como uma menina! (2016)

De Beatriz Alonso e Flávio Colombini. Brasil, SP. 76 min.

Documentário. Sem classificação.

As meninas que participaram do movimento secundarista que ocupou escolas e foi às ruas para lutar contra um projeto de reorganização escolar imposto pelo governador de São Paulo, em 2015.

Debate mediação: Amanda Canan e Mariah F. (participaram da Ocupa IFSC 2016).



Circuito FAM de Cinema

Vinte filmes vencedores do 21º Florianópolis Audiovisual Mercosul serão exibidos simultaneamente em 27 cidades de todas as regiões de Santa Catarina, entre os dias 19 e 24 de maio, na edição deste ano do Circuito FAM de Cinema.

Os filmes estão divididos em sete programas diferentes com os filmes eleitos pelo Júri Oficial e Popular no FAM do ano passado, incluindo 17 curtas e três longas-metragens, com programação adulto e infantojuvenil que está disponível no site www.famdetodos.com.br

 

Cineclube Infantil – Cinema do CIC –Centro Integrado de Cultura

Sessão gratuita também para cinéfilhinhos

Dia 26 – 16h -  Sessão de Curtas-Metragens Catarinenses (66 min)

Dia 26 - Sessão de Curtas-Metragens Catarinenses (66 min)

SuperPlunf ,  O ser curioso, Bravura , NhamNham , Fora da Caixa, A Montanha no Meio do Mundo, O Mistério do Boi de Mamão

------------------------------------------------

BEIJO DE CINEMA

O primeiro beijo é dos verdadeiros Bonnie e Clyde, os gangsters amantes. É uma foto rara feita possivelmente em 1933, de autor desconhecido.

O segundo é de Bonnie ( Faye Dunaway) e Clyde (Warren Beaty), no filme "Uma rajada de balas" de 1967.

------------------------------------------------

HASTA LA VISTA, BABY !

Frases de Cinema

"Nós roubamos bancos. " ( resposta simples de Clyde quando um pacato senhor pergunta o que ele e sua mulher, Bonnie, fazem da vida).

"Samba... Pão de açúcar... Selva... Pará..." ( Crown, deixando no ar um enigma para a namorada ao fugir da polícia. Para onde será que ele ia, não é mesmo???)

"Você pode se tornar um herói morto ou um covarde vivo, abra o cofre!( Inimigos Públicos)

"Attica, Attica, Attica" ( Al Pacino em "Um Dia de Cão", lembrando o massacre  de 29 presos e 10 reféns durante rebelião no presídio de Attica, NY, em 1971).

------------------------------------------------

MENS@GEM PARA VOCÊ

Mario Antonio sobre a coluna  "Nosso destino sombrio nos filmes distópicos":

"Acho que vale a pena registrar uma desprezada distopia cinematográfica cujo lançamento se deu na metade dos anos 90 e que, para muitos, foi um verdadeiro desastre: Waterworld– O Segredo das Águas.

O orçamento foi tamanho XXXG, bateu os recordes de então, a produção beirou o caos e, mesmo gastando adoidadamente por conta disso, se pagou com sobra, arrecadando cinquenta por cento mais do que custou.

A crítica negativa ao elenco do filme foi praticamente unânime.

Kevin Costner atuou como protagonista, além de ter sido um dos produtores; o personagem Dennis Hoper foi o vilão, e o jovem Jack Black fez uma ponta como piloto.

O principal papel feminino ficou com Jeanne Tripplehorn, talentosa geminiana de 10 de junho de 1963, que estreara três anos antes no badalado "Instinto Fatal" e que muitos seriéfilos devem conhecer de Criminal Minds.

Um crítico estadunidense resumiu assim Waterworld: "É uma confusão fantasiada de filme. Uma
produção que se propõe fazer algo assombrosamente novo, mas que acaba sendo incrivelmente familiar".

No entanto, um certo consenso de crítica poderia ser descrito de forma um pouco mais ampla:

"Ainda que o filme tenha sido alvo de muita fofoca promocional mal-intencionada ao tempo de seu lançamento, Waterworld, no final das contas, é um ambicioso tiro n'água (com perdão do irresistível trocadilho): um extravagante filme de ficção científica, com alguns momentos decentes e muitos outros recheados de bobagens." (Fonte: Rotten Tomatoes)

------------------------------------------------

"Tinham que terminar a coluna falando mal de mim?"



THE END

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Brígida Poli

Brígida Poli

é jornalista. Cinéfila desde criancinha, converteu-se à mania das séries depois de assistir a "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, apenas alguém que gosta de trocar ideias sobre a sétima arte.

Comentários