Janeiro 04, 2019

A guerra continua: família Bolsonaro e imprensa

A guerra continua: família Bolsonaro e imprensa
Bolsonaro em entrevista ao SBT

Não houve distensão depois da posse entre o presidente e sua equipe e os jornalistas escalados para cobrir os eventos do dia primeiro. Muitos profissionais publicaram reclamações em tuítes devido as condições de trabalho e foram desmentidos na hora por uma equipe de um movimento dito popular, que circulava livremente pelo evento, com credenciais, mostrando que havia, banheiros e outras facilidades para jornalistas (algo semelhante a uma equipe oficiosa na cobertura da possse, no estilo do Dilma Bolada, ou da mídia ninja, lembram?).

O próprio Bolsonaro colocou mais água na fervura ao dar a primeira entrevista depois da posse exclusiva ao SBT, preterindo as demais redes e em especial a Globo. A emissora dos Marinho havia feito a cobertura mais ampla da posse, deslocando para Brasilia profissionais de peso, inclusive o âncora do Jornal Nacional, William Bonner. A Globo teve pouco mais de 12 pontos de audiência da cobertura, superando as outras somadas.

Obvio que não é uma questão de audiência e representatividade. Bolsonaro marcou a emissora como representante do que ele chama de velho processo de fazer política e imprensa. Até onde ele vai levar esse processo?

Desconhecido.

Mas tem limite. No momento, a Globo faz seu trabalho sem queixas e posiçoes agressivas, citou a entrevista do presidente ao SBT e pelo visto está esperando os próximos capítulos para saber como agir. Não interessa a ela essa posição da família bolsonarista assim com no fundo também não aos novos governantes fechar uma grande janela de comunicação.

 

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários