Novembro 09, 2019

A HORA DO RUM

A HORA DO RUM

O gin continua fazendo sucesso. Mas não se engane, pode ser por pouco tempo. A indústria de bebidas avisa que a próxima tendência do segmento é o RUM.

Pesquisa da consultoria inglesa JefferiesInternational, explica que o principal motivo seria o boom no mercado de coquetéis e uma reconquista da imagem de bebida “refinada”. Só no Reino Unido o aumento no consumo foi de 7,5% entre 2017 e 2018, quase o dobro do gin. O rum branco é o mais consumido, mas os analistas dizem que o crescimento mais significativo é nas vendas de rum saborizado ou com especiarias.

Produzido desde o século XVII a partir da fermentação alcoólica de melaço, o rum é produzido principalmente no Caribe e tem de 35 a 55% de teor alcoólico. É uma bebida versátil e principal ingrediente de drinks famosos como mojito, daiquiri e cuba libre. Também pode ser envelhecido, dando origem a runs complexos que rivalizam em preço e qualidade com excelentes cachaças, whiskys ou bourbons.

O ÍCONE


Bacardi/Divulgação

O rum mais popular do planeta é um velho conhecido dos brasileiros: o Bacardi. A história da bebida começou com o jovem espanhol Facundo Bacardi Massó, que se mudou para Cuba em 1927. Lá ele conheceu o rum jamaicano (mais alcoólico e rústico) e desenvolveu uma maneira de suavizar o sabor e amenizar os efeitos da indesejada ressaca provocada pela bebida. O rum ficou mais palatável e garantiu fama ao empreendedor que, em 1862, adquiriu uma pequena destilaria repleta de morcegos (eis a explicação da logomarca) e deu início a produção industrial da bebida.

Em 1959 os herdeiros de Massó tiveram que fugir do país por conta da Revolução Cubana. E passaram a gerir os negócios a partir dos Estados Unidos, onde já possuíam um escritório de negócios e construíramuma destilaria conhecida como “Catedral do Rum” (foto), mais precisamente em Porto Rico (quem se interessar em conhecer, pode fazer visitas guiadas a partir de R$ 60).


Bacardi/Divulgação

Além do tradicional Carta Branca, o mais famoso e consumido, a empresa investe em runs envelhecidos por 4, 8, 10 ou mais anos (foto). Há também séries limitadas, como a garrafa preta. Considerado o mais raro e luxuoso rum da Bacardi, o Gran Reserva é um blend que mescla runs novos e envelhecidos, selecionados a cada ano pelo mestre destilador. A garrafa custa em torno de R$ 700.


Bacardi/Reprodução

Desde a década de 1990 a empresa produz uma infinidade de variações da bebida, para atender diferentes mercados e públicos (foto): Limón, Spice, Coconut, O, Silver, Peach Red, Big Apple, entre outros. Sem contar coquetéis prontos como o mojitoe cuba libre.

_______________

NOVIDADES NO MERCADO


Brands for Fans/Divulgação

A banda de metal Judas Priest decidiu comemoraros 50 anos de carreira com o lançamento de um rum produzido sob encomenda e com um “toque de maldade”. A explicação: a bebida teria notas de baunilha, açúcar queimado, baunilha e pimenta. O item foi produzido em parceria com a empresa Brands for Fans e, por enquanto, será vendido apenas na Suécia.

Já a destilaria nicaraguense Flor de Cana vai comemorar os 130 anos da empresa com o lançamento de um rum de 30 anos. São apenas 411 garrafas que devem chegar ao mercado por aproximadamente US$ 1.600.


Captain Morgan/Divulgação

O famoso Captain Morgan está lançando nos Estados Unidos uma edição limitada e saborizadacom gengibre. O produto é levemente apimentado e tem como foco o mercado natalino. Segundo a empresa, a bebida é perfeita para o inverno e harmoniza “perfeitamente” com pão ou biscoito de gengibre. A garrafa custa em torno de US$ 21.

A coluna já falou sobre a tendência, especialmente no mercado norte-americano, de produzir cerveja sem álcool, mas com THC. Como era de se imaginar, a novidade também chegou ao mercado do rum. Nas Ilhas Jersey uma destilaria local tem usado uma produção própria de maconha para produzir o Jersey Hemp. O rum começa a ser vendido no comércio local, mas já há pedidos da Suécia, Rússia, Nova Zelândia e Caribe.


Engenho do Norte/Divulgação

Já na Ilha da Madeira, em Portugal, uma destilaria local decidiu mergulhar ao mar um lote com 605 garrafas de rum já envelhecido por seis anos. A intenção foi garantir uma característica especial ao rum, que deve mudar algumas características com a falta de luz, temperatura e a pressão do mar a 10 metros de profundidade. O vídeo mostra um pouco da experiência realizada no começo do ano.  

_______________

CURIOSIDADES


 Casa Clement/Divulgação

 

O rum mais caro do mundo foi vendido em leilão, em 2017, por 100 mil euros. A garrafa (foto) tem uma rolha fabricada com 200 gramas de ouro 18 quilates e com quatro quilates de diamantes. A embalagem é de cristal Baccarat e armazena um raro rum da Casa Clement, fabricado em 1966 na Ilha da Martinica.

 

A mais antiga destilaria do mundo, ainda em funcionamento, é a Mount Gay Rum, inaugurada em 1703. A empresa fica em Barbados e exporta a bebida produzida para 110 países.

 

Outras curiosidades do mundo do rum, registradas pelo Guiness Book, o Livro dos Recordes: a maior degustação coletiva de rum envolveu 786 pessoas e ocorreu na Colômbia, em 2015. E o rum mais antigo do mundo é datado de 1780 e teria sido produzido em Barbados.

_______________

PRA PROVAR


 DomBar/Divulgação

Quem ficou interessado no assunto, uma excelente dica. Além da oferta cada vez maior de drinques prontos, bons bares de todo país oferecem uma gama grande de coquetéis à base de rum. O mais recente (e bacana) talvez seja o DomBar, inaugurado há pouco mais de uma semana em Curitiba.

A carta conta com mais de vinte drinques autorais. Muitos deles elaborados por Gabriel Bueno, que ficou em quarto lugar na etapa brasileira do World Class Competition 2019.

_______________

RECEITA


Absolut/Divulgação

Se não dá para ir a Curitiba, que tal se arriscar em casa com um drink à base de rum? A coluna recomenda testar a receita do Mai Tai. O drink foi criado entre os anos de 1930 e 1940 em Los Angeles, nos Estados Unidos. E leva, além de rum, ingredientes relativamente simples como licor de laranja, suco de limão, xarope de açúcar e cereja. No site da Absolut, tem um vídeo que mostra a forma de preparo.  

Por hora era isso. Um brinde e até a próxima!

Tags:
vinhos cervejas cerveja artesanal drinks destilados whiskey gastronomia portal makingof
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Jefferson Douglas da Silva

Jefferson Douglas da Silva

Jornalista com especialização em Gestão de Marcas, atuou por mais de 25 anos em jornais e emissoras de televisão de Chapecó, Blumenau, Joinville e Florianópolis. Foi repórter, editor, apresentador e gestor de equipes de TV, entre elas a chefia de redação da RBS TV. Tem experiência em assessoria de comunicação e relações públicas nas áreas governamental e privada. Conhece em detalhes a rotina de cantinas que produzem vinho colonial no Oeste do estado e alambiques do Vale do Itajaí. Fez cursos de coquetelaria (Senac) e produção artesanal de cerveja (Escola Superior de Cerveja e Malte). Apaixonado por vinhos, estuda o assunto desde 2001.

Comentários