Novembro 14, 2019

A polarização dos lixos de esquerda e direita

A polarização dos lixos de esquerda e direita

O discurso do Lula sinalizou que o Brasil vai partir para a polarização dos lixos de esquerda e direita tradicionais, obsoletas. Lula é um Bolsonaro de esquerda, e Bolsonaro é um Lula de direita. Os dois lados roubaram – rachadinhas, laranjais, corrupção empresas-governo – e o povo brasileiros não está tendo a solução para seus problemas. Moro tentou, mas parou ao se inserir no governo. COAF e corrupções atingindo a família Bolsonaro abafadas.

Moro foi o principal agente, mas não a força racionalizante que está tentando modernizar o Brasil. Essa força, um fenômeno mundial, foi e continuará sendo a revolução comunicacional-informacional, que veio expor a corrupção política e governamental, de esquerda e de direita. Força que precisa reformar a democracia, criando dentro dela o quarto poder, o Informativo, para salvá-la do defeito previsto por Thomas Paine, de os políticos eleitos tratarem apenas de seus interesses, e não dos interesses da população. Corrupção.

Só tem um caminho para se acabar com a corrupção política, já disse Giovanni Falconi: Informação. Assumindo o Ministério da Justiça, Moro limitou-se a propor aumento de penas criminais. Em vez de propor ao Congresso lei definindo que vida pública não é vida privada, impondo privacidade zero à vida financeira dos políticos e governantes, como fez a Suécia. Com um quarto poder, o Informativo, responsável pela verdade, aperfeiçoando o Poder Judiciário, que mistura demais investigação, acusação e julgamento. As três coisas têm que ser completamente separadas. Com o poder investigativo, informativo, independente, constituindo-se no quarto poder da democracia moderna, a democracia informacional. Um exemplo chocante da falta desse poder informativo, investigativo, responsável pela verdade e altamente potencializado: Só 10% dos crimes de homicídio no Brasil são elucidados.

A criação desse quarto poder, o responsável pela verdade, acabará com a polarização dos lixos corruptos da esquerda e da direita tradicionais. E colocará em lugar do debate que vem por aí, entre o Bolsonaro da esquerda e o Lula da direita, a higienização da política e dos governos federal, estaduais, municipais do Brasil, explodindo, todos eles, dentro da corrupção mafiosa dessa polarização política tradicional, entre direita e esquerda obsoletas.

Resolvido dessa forma, com informação, o problema corrupção, faltará, para se desenvolver o Brasil, providenciar empreendedorismos, empregos e rendas satisfatórios para todos os brasileiros. Isso só será conseguido com uma revolução radical da educação, com ajuda da revolução comunicacional-informacional. Assumindo responsabilidade total pelo sucesso das carreiras concretas de vida e trabalho de todos os cidadãos, do nascimento à morte. Dividir ao meio o tempo diário da educação. Metade do tempo modelar essas carreiras. E metade do tempo injetar nelas as matérias básicas – matemática, línguas, ciências, etc. – devidamente combinadas com os interesses das carreiras de vida concreta. Educação integral.

Decretando-se que vida pública não é vida privada, e revolucionando-se radicalmente a educação, salvaremos o Brasil do embate ideológico idiota, estéril, que vem por aí dentro da polarização dos lixos de esquerda e direita tradicionais, comandados pelo Bolsonaro de esquerda e pelo Lula de direita, que querem comandar, ditatorialmente, o país.       

*Ricardo Luiz Hoffmann é Formado em direito, técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal de SC, aposentado.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!