Maio 29, 2020

A VACINA DO ABRAÇO

A VACINA DO ABRAÇO
Cena do filme brasileiro Abraço

Dando um tempo no formato temático da coluna Cine & Séries, mas garantindo uma leiturinha semanal para os queridos leitores com as "Crônicas em Quarentena". Toda sexta-feira uma história do cotidiano em tempos de isolamento social, mas sem esquecer o Cinema, claro! Dicas de filmes, séries e streamings gratuitos.

__________________________________________________________

Crônicas em Quarentena - V - A VACINA DO ABRAÇO

"Abraço é um laço dado por fora que desata o nó por dentro"                             

Li que um dos motivos para a peste ser tão avassaladora na Itália – a ponto de deixar mais de 30 mil mortos – seria a estreita relação entre os membros da família, as nonas que cuidam dos netos, os grandes almoços de domingo e os abraços. Ah, os abraços...Talvez pelo DNA italiano sou daquelas que mal enxerga um amigo do outro lado da rua já "corre pro abraço".

Em outras culturas, porém, o toque humano pode ser raro e até mesmo ofensivo. Um dia ouvi o crítico de cinema Rubens Ewald Filho ( Deus o tenha!) cotar que ao preparar o espaço para a entrevista co um cineasta estrangeiro, cujo nome esqueço agora, o assistente que ajustava a luz tocou no braço do diretor, dizendo "podemos ir, está tudo pronto". Rubens disse que o homem armou um escândalo, achou o gesto invasivo, quis cancelar a entrevista, um horror.

Também li há pouco que a americana Megan Markle, casada com o príncipe Harry da Inglaterra, teria reclamado que sua cunhada, a princesa Kate Middelton, é uma mulher "tensa e fria". Um dos motivos para Megan e Harry abandonarem o Reino Unido e as benesses que cercam a monarquia britânica foi o desejo de criar o filhinho deles num ambiente carinhoso. Cheio de beijos e abraços, I presume !

A moral da história é que durante a quarentena algumas pessoas estão sentindo falta de muitas coisas, outras sentem falta de muitas coisas+ dos abraços. A droga preventiva contra a Covid-19 poderia se chamar " vacina do abraço" ou mantendo a tradição em latim " vaccinum amplexus".

Até os cientistas encontrarem a fórmula da vacina, guardem seus amplexos numa caixinha amarrada com um grande laço. Como escreveu o poeta Mário Quintana: Meu Deus! Como é engraçado! Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma fita dando voltas. Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braços.

Quando acabar a necessidade do isolamento social, use-os para abraçar seu amor, seus amigos, sua família, o "delegado, o vizinho do lado e o português da padaria".

(Brígida De Poli)

Crédito: conexaompb –YouTube

____________________________________________________________
 

REFLEXOS DA EDIÇÃO "UM DIA VAMOS RIR DISSO TUDO"

Recebo com prazer comentários sobre a edição passada... Escrevam sempre!

 

"Primeiro, parabéns pela coragem do título nesses tempos de uma irritante patrulha do politicamente correto. E não, não concordo que um dia vamos rir disso tudo. Acho que estamos rindo agora – e precisamos rir – para não enlouquecer, seja com o Corona, seja com a outra desgraça brasileira, como elegantemente descreves. Se/quando tudo passar, deve pintar aquela sensação de alívio enorme no primeiro momento, e então virá aquela tristeza avassaladora pelos que se foram, pelo que perdemos, pelo país que se nos escapou. Haja bom humor para encarar. E viva o politicamente incorreto, com moderação". (Suzete Antunes)

***

"O humor nos ajuda a passar por toda essa desgraça sem enlouquecer. Como os filmes, as séries e agora tuas crônicas! Estou adorando! "(Dedé Ribeiro)

***

"Se vamos rir disso tudo lá frente eu não sei, mas pra garantir estou rindo muito é agora mesmo!!!" ( Esni Soares)

***

"Quando li o título achei que você estava afirmando que um dia íamos rir disso tudo. No final, entendi onde você queria chegar. Parabéns pela criatividade." (Bia Aguiar)

***

"É provável que muitos de nós venhamos a rir disso, sim. E é muito provável que haverá muitas produções para cine e séries sobre o tema. Mas será que, entre elas, haverá comédias?"(Mário Antonio)

____________________________________________________________
 

We are the one : fique de olho porque a partir de hoje (29) filmes dos grandes festivais  estarão disponíveis no YouTube. Segundo o site GQ, o " festival virtual vai ao ar entre os dias 29 de maio e 7 de junho, e foi organizado por conta dos cancelamentos dos eventos físicos. Tudo será de graça, e o público será incentivado a realizar doações para o fundo de resposta ao Covid-19 da OMS (Organização Mundial da Saúde)."

Entre os festivais participantes, estão Cannes, Sundance, Toronto International, Berlin International, Tribeca e Veneza.

Cine Virtual do Paradigma

O Paradigma Cine Arte, de Florianópolis, conhecido por sua programação diferenciada, aderiu à plataforma Cinema Virtual enquanto permanece fechado por causa da pandemia do coronavírus. São filmes inéditos e exclusivos, com preços de bilheteria. 

Mais informações no site: https://cinemavirtual.com.br/

***

 

Homecoming – 2ª temporada – Prime Vídeo

A melhor notícia do Prime é a chegada da segunda temporada de Homecoming.  A primeira tem Julia Roberts como protagonista. Vale assistir. Na segunda é Janelle Monáe (Julia produziu essa segunda).

Uma história diferente, cheia de suspense, que mostra um experimento com soldados que carregam traumas de guerra. Os episódios são curtos e poucos. Dá pra maratonar numa boa.

***

 

Hollywood – 1 temporada – Netflix

Pra quem quer algo mais leve, embora com pontos dramáticos, essa minissérie mostra os bastidores da Hollywood dos anos 50. Uma das figuras principais é um jovem caipira que vai tentar carreira no cinema e precisa enfrentar o "teste do sofá". Seu nome artístico? Rock Hudson. Grande parte dos personagens saíram da vida real. O final faz concessões para alegrar o coração do espectador.

***

 

Meu amigo Enzo – Telecine

Chegou no Telecine mais um filme sobre a relação humano & cão amigo. No caso, o narrador da história é Enzo, o cão que filosofa sobre  vida do dono na voz de Kevin Costner. Como costuma acontecer nesse tema, prepare a caixa de lenços.

Denny Swift (Milo Ventimiglia) é um piloto de corridas arrojado, com um talento especial para dirigir sob chuva. Um dia, ao ir para o trabalho, encontra um filhote de cachorro que decide adotar. Ele ganha o nome de Enzo, em homenagem ao criador da Ferrari, e passa a acompanhá-lo em todo lugar que vá, ganhando um apreço especial pela adrenalina das corridas, seja ao assisti-las ao vivo ou pela televisão. Com o passar dos anos, a amizade entre Denny e Enzo sofre profundas mudanças quando o piloto conhece, e se apaixona, por Eve (Amanda Seyfried). (Sinopse: Adoro Cinema)

***

 

Canal Looke

Continua disponível para não assinantes os filmes do Festival Varilux. Dá pra assistir a todos até agosto, quando termina o prazo.

Entre títulos tem um para pais e filhos: A raposa má, que recebeu o César de Melhor Animação em 2018.

Sinopse: Aqueles que pensam que o campo é um lugar calmo e tranquilo estão muito enganados. Lá, vivem animais especialmente agitados: uma raposa que pensa que é galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer tomar o lugar de Papai Noel.

***

 

BÔNUS

Saindo do cinema, um bônus para encher os olhos e o coração de beleza. Esse link que permite você visitar várias obras de arte pela cor escolhida na barra. https://artsandculture.google.com/color

____________________________________________________________

Hasta la vista, baby!

(*) Fotos reprodução/divulgação

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Adeus às ilusões

Outubro 17, 2020
Exclusivo

EU NEGO!

Outubro 10, 2020
Exclusivo

O Som do Cio

Outubro 02, 2020

Brígida Poli

Brígida Poli

Jornalista, cinéfila desde criancinha e maníaca por séries de TV desde "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, pois não consegue deixar o coração de lado na hora de avaliar um filme. Adora falar e escrever sobre o assunto e tenta chamar a atenção para as grandes obras cinematográficas que as novas gerações desconhecem. Concorda com o mestre Federico Fellini quando ele disse que "o cinema é um modo divino de contar a vida".

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!