Fevereiro 14, 2020

América Latina registra 38 agressões a jornalistas em janeiro

América Latina registra 38 agressões a jornalistas em janeiro
Reprodução

No primeiro mês de 2020, 38 casos de violação à liberdade de imprensa foram contabilizados em nove países da América Latina. O levantamento é rede Voces del Sur e reuniu episódios de agressão a jornalistas e veículos de comunicação.

Entre os alertas identificados em janeiro, 17 correspondem a agressões e ataques; 6 a discursos estigmatizantes; 4 a casos de restrição na Internet e 4 ao uso abusivo do poder estatal.  A organização também notificou 3 processos judiciais contra jornalistas, 3 impedimentos de acesso à informação e 1 prisão arbitrária. Em 22 dos casos, as agressões partiram de governos. 

As violações são classificadas de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). 

Os países que lideram a lista em números de agressões são Venezuela, Nicarágua e Equador, cada um com 8 casos. Bolívia ocupa o segundo lugar, com 5 agressões. Brasil e Honduras tiveram 4 alertas, e o Peru 1. Argentina e Uruguai também compõem o Voces del Sur com organizações da sociedade civil que monitoram a liberdade de expressão e imprensa nos países, mas essas instituições não reportaram nenhuma ocorrência em janeiro.

Entre os 4 episódios brasileiros reportados à rede latino-americana estão: a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o jornalista e fundador do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald (21.jan.2020); a detenção e agressão a fotojornalistas que cobriam manifestação sobre a tarifa do transporte público em São Paulo (7.jan.2020); e as duas agressões proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro a veículos de imprensa, em 6.jan.2020 e 16.jan.2020

Tags:
comunicacao
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!