Janeiro 09, 2019

Aonde você iria se pudesse viajar no tempo?

Aonde você iria se pudesse viajar no tempo?
A máquina do tempo: acima o remake de 2002 e abaixo o original de 1960 (Montagem: Deviante)

Viajar no tempo sempre foi um dos grandes sonhos da humanidade, além de voar e descobrir a fonte da juventude. Não sei vocês, mas acho que nunca senti tanta vontade de voltar no tempo. Falo em voltar e não avançar por vários motivos. Um deles é porque, no segundo caso, teria antes que achar a tal fonte. Outra é que o passado a gente conhece e pode escolher com mais tranquilidade para onde ir, já o futuro é desconhecido.  A terceira é que, bem, deixa pra lá...

A coluna gostaria de saber que época e lugar você escolheria se pudesse viajar no tempo? Eu tenho a minha escolha, mas só digo se você revelar a sua.

Como o Cinema também é fascinado pelo tema, fiz uma pequena seleção onde você pode se inspirar. Escreva contando: cineseries@portalmakingof.com.br ou no rodapé da coluna.

 

A MÁQUINA DO TEMPO -George Pal - 1960 e Simon Welles-2002

Há duas versões baseadas no livro de H.G.Wells. A primeira, de 1960, tem Rod Taylor no papel de George, um cientista que decide construir uma máquina do tempo. Depois que sua noiva é assassinada, ele sonha em conhecer o futuro, acreditando que lá haverá paz entre os homens. Ao realizar a viagem, ele encontra a raça humana dividida em duas: na superfície são pacíficas e nos subterrâneos elas são deformadas e canibais. Para voltar a sua época, George tem que ir até os subterrâneos. Levou o Oscar de Efeitos Especiais. O remake de 2002 traz o versátil Guy Pearce no papel do cientista. Na foto, Rod Taylor.

******************

EM ALGUM LUGAR DO PASSADO – Jeannot Szwarc – 1980

A crítica torceu o nariz para este filme super romântico, mas o público adorou. Depois dele a história do amor que ultrapassa o tempo, amantes que se reencontram na eternidade, voltaria às telas muitas vezes. Ghost é a mais famosa. Aqui, o escritor Richard Collier, é abordado por uma senhora na noite de estréia de sua peça. Ela pede "volte para mim". Através da hipnose, Richard volta no tempo e descobre que ela havia sido uma atriz famosa no início do século e que...foram apaixonados. Steve Reeves, famoso pelo papel de Superman, atua ao lado da linda Jane Seymor ( ambos na foto). A música de John Barry embala essa doce história de forma hábil.

******************

DE VOLTA PARA O FUTURO – Robert Zemeckis – 1985

A franquia De volta para o futuro – 1,2,3 – é uma das mais bem sucedidas do cinema americano. A história do adolescente Marty McFly que viaja no tempo através das engenhoca instalada num carro De Lorean pelo cientista aloprado, Doc Brown. No primeiro, Marty volta a 1955 e encontra sua mãe, ainda jovenzinha, que se apaixona por ele, criando a maior confusão. O papel do garoto marcou a carreira de Michael J.Fox para sempre. O filme ganhou o Oscar de Melhores Efeitos Especiais e foi indicado a Melhor Roteiro Original. Mais de trinta anos depois, De volta para o futuro continua encantando as novas gerações em suas intermináveis reprises na TV.

***************

PEGGY SUE - SEU PASSADO A ESPERA – Francis F.Coppola – 1986

O diretor Francis Coppola fez algumas obras-primas como Apocalipse NowO poderoso Chefão e O Fundo do Coração ( um dos meus favoritos ever...). Fez também ótimos filmes como O Selvagem da Motocicleta, Drácula de Bram Stocker e este Peggy Sue-Seu passado a espera. Hoje está mais ocupado em cuidar de suas vinícolas e quem tem brilhado na direção é a filha, Sophia. Bem, voltando ao que interessa, Peggy Sue tem a chance de fazer algo que muitos de nós gostaríamos: voltar no tempo para fazer outras escolhas. Estamos em 1985 : Peggy é uma dona de casa de 43 anos que, depois de desmaiar na festa de reencontro com os colegas de escola, acorda jovem em 1960. Ela acabou de se separar do marido que agora revê jovem, ainda como seu namorado. Ela vai mudar ou não o seu destino? E você faria o quê? Os protagonistas são Kathleen Turner (na foto) e Nicolas Cage.

*************

O FEITIÇO DO TEMPO – Harold Ramis -  1993

Este é o meu favorito da lista e a prova de que comédia romântica pode ser (muito) inteligente.  Bill Murray interpreta um repórter de televisão arrogante que faz a previsão do tempo e vai a uma pequena cidade para uma matéria especial sobre o celebrado "Dia da marmota"( título original do filme). Pretendendo ir embora o mais rapidamente possível, ele inexplicavelmente fica preso no tempo, condenado a vivenciar para sempre os eventos daquele dia. A mistura de romance, ironia, comédia e aventura teve um resultado final encantador. Colaboram para isso a parceria entre Bill Murray e a sempre elegante e simpática Andie McDowell (ambos na foto).

*****************

OS 12 MACACOS – Terry Gilliam – 1995

Muita gente reclama que o final do filme é confuso. Acontece que Os 12 macacos tem um quê de loucura mesmo. A trama: no ano de 2035, James Cole aceita a missão de voltar ao passado para tentar decifrar um mistério envolvendo um vírus mortal que atacou grande parte da população mundial. Considerado louco, no passado, ele tenta provar a sua sanidade para a médica Kathryn Railly , sua única esperança de mudar o futuro. Cole é interpretado por Bruce Willis e esta é uma das suas melhores atuações, graças ao diretor que "podou" seus maneirismos costumeiros. Outra boa surpresa é Brad Pitt ( na foto com Bruce Willis), despojado de sua beleza acachapante para interpretar Geffrey Goines, um maluco que lhe rendeu o Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante. Madeleine Stowe ( de "Revenge") completa o elenco. A história virou também uma série exibida pelo Canal SyFi.

*******************

KATE & LEOPOLD – James Mangold – 2001

O versátil ator australiano Hugh Jackman interpreta um nobre inglês arruinado do século 19 que é pressionado a se casar com alguma americana rica para salvar a família. Por acidente ele atravessa um portal do tempo e vai parar no século 21. Lá, ele conhece Kate, interpretada por Meg Ryan, uma executiva bem sucedida. Eles se apaixonam, mas acontece que Leopold é tataravô do namorado de Kate, o cientista que o trouxe para o presente. Jackman foi indicado a Melhor Ator no Globo de Ouro, mas só a canção tema de Sting, Until, levou o prêmio. (Na foto Meg e Hugh Jackman)

********************

O EFEITO BORBOLETA – Eric Bress – 2004

Evan Treborn é um estudante universitário que teve problemas de memória quando garoto. Adulto, ele descobre uma capacidade de poder viajar pelo tempo através desses buracos em suas lembranças. Ele utiliza desse poder para ficar com a garota dos seus sonhos, só que a cada vez que ele utiliza esse recurso, algo de muito ruim acontece a alguém querido de sua vida. Evan tenta então, voltar no tempo para salvar essas pessoas, mas alguém sempre vai sair perdendo. Este talvez seja o melhor papel da carreira de Ashton Kutcher (na foto), habitual rostinho de comédias românticas. Seguiram-se as sequências 2 e 3, mas muito inferiores ao primeiro filme.

*******************

DÉJÀ VU – Tony Scott – 2006

O mega star Denzel Washington já fez filmes melhores que esses de ação dos últimos anos. Em "Déja Vu",  onde interpreta Doug Carlin que trabalha para a Agência do Tabaco, Álcool e Armas de Fogo e é chamado para recuperar provas após a explosão de uma bomba em uma balsa, ele tem chance de mostrar que pode ser um ótimo ator.Ambientada na sempre misteriosa Nova Orleans, Carlin descobre que aquilo que a maioria das pessoas acredita estar apenas em sua mente é bem mais poderoso do que se imagina. Ele descobre então um meio de viajar no tempo para evitar a explosão.

*******************

MEIA NOITE EM PARIS – Woody Allen – 2011

Embora eu goste muito de "Vicky Cristina Barcelona", com o Javier Bardeeeem, "Meia Noite em Paris" é o melhor filme de Woody Allen da safra europeia. Com uma trama muito original e os costumeiros diálogos primorosos de Allen, o filme conta  que Gil Pender, um escritor de Hollywood, viaja no tempo ao visitar Paris. É encantadora a ideia de encontrar nossos ídolos da literatura e das artes pessoalmente. É isso que "acontece" com Gil, interpretado por Owen Wilson, que não está entre meus atores favoritos, mas funciona no papel (lembra muito o próprio Woody Allen quando atua). Gil é apaixonado pelos anos dourados, a década de 20. Ao viajar para lá conhece Ernest Hemingway, Picasso, Salvador Dalí... Nessa época ele conhece também Adriana( a francesa Marion Cottilard), por quem se apaixona. Mas Adriana sonha com a belle époque. Essa nostalgia, essa sensação que nos faz sentir saudades de algo que não vivemos é bem definida na boca do personagem Paul Bates: a nostalgia não é nada além de uma negação do doloroso presente.

*********************

QUESTÃO DE TEMPO -   Richard Curtis   - 2013

E se cada momento da vida viesse com uma segunda chance? Este é o mote do filme que conta a história de Tim, descendente de uma família de viajantes no tempo, que usam o poder para ajudar o mundo. Ao fazer 21 anos, Tim é informado desse dom e o aproveita em benefício próprio, principalmente para conquistar a mulher que ama. Aos poucos, ele vai amadurecendo e mudando a maneira de ver as coisas. O resultado final é bem simpático.

***********

UMA DOBRA NO TEMPO – Ava DuVernay  -2018

Não vi este filme, mas a sinopse oficial diz que os irmãos Meg (Storm Reid) e Charles (Deric McCabe) decidem reencontrar o pai (Chris Pine), um cientista que trabalha para o governo e está desaparecido desde que se envolveu em um misterioso projeto. Eles contarão com a ajuda do colega Calvin (Levi Miller) e de três excêntricas mulheres em uma ousada jornada por diferentes lugares do universo. O elenco tem nomes de peso: Oprah Winfrey e Reese Witherspoon. Este foi o primeiro blockbuster dirigido por uma cineasta negra, Ava DuVernay, que já tinha trabalhado com Oprah em Selma.

 

OUTROS : O Exterminador do Futuro (1985), O Predestinado (2014), Sr.Ninguém (2009), O Som do Trovão (2005), Primer (2004)

 

 

O LIVRO QUE VIROU SÉRIE

Dr. Who – vários autores – 19

Não existe um, mas diversos livros do Dr.Who. O primeiro publicado no Brasil, em 1975, foi "Dr.Who e a mudança da História", de Terrance Dickens. No Reino Unido, foi lançado bem antes disso. O personagem central é o Doutor, um viajante no tempo e no espaço que pode se regenerar antes de morrer e mudar sua aparência física e sua personalidade. Ele consegue conservar sua história e suas lembranças. Apesar de sua forma humana, o Doutor é um alienígena, pertencente ao grupo dos Senhores do Tempo. Ele viaja na nave Tardis, sempre acompanhado de alguém, para lutar contra as injustiças no mundo

Um volume muito interessante é " Dr. Who : 12 doutores, 12 histórias", contos escritos por doze autores diferentes, publicado no Brasil e 2014. O último volume traduzido para o português foi " Cidade da Morte", em 2015.

Dr.Who – a série – Reino Unido

Embora a série só tenha se tornado sucesso no Brasil há poucos anos, no Reino Unido ela está no ar há 55 anos !!! Lançada em preto e branco, em 1963, a série foi interrompida pela doença do primeiro ator que interpretou o Doutor. Os roteiristas então criaram a capacidade do cientista se transformar a cada viagem, com vários atores interpretando o personagem. A mais nova temporada, a 11ª, traz uma novidade: pela primeira vez o Doctor é "a" Doctor. A atriz Jodie Witakker ficou com o papel e deverá repeti-lo na 12ª temporada em 2020. (Veja o trailer da 11ª)

Para quem for começar a acompanhar pelas primeira temporadas é bom saber que os efeitos especiais na época eram quase inexistentes. Isso vai mudando com o passar do tempo. Com o selo de qualidade da BBC , Doctor Who é um prato cheio para quem gosta de ficção científica leve e bem humorada. Disponível no serviço de streaming Crackle ( Now/Net).

 

É COISA NOSSA

O Homem do Futuro – direção: Cláudio Torres – 2011

João/Zero é um cientista genial, mas infeliz porque há 20 anos foi humilhado publicamente durante uma festa e perdeu Helena, uma antiga e eterna paixão. Certo dia, uma experiência com um de seus inventos permite que ele faça uma viagem no tempo, retornando para aquela época e podendo interferir no seu destino. Mas quando ele retorna, descobre que sua vida mudou totalmente e agora precisa encontrar um jeito de mudar essa história, nem que para isso tenha que voltar novamente ao passado.

O papel do cientista coube a Wagner Moura, um dos melhores atores dessa geração. A namorada é interpretada por Aline Moraes. O filme teve uma produção bem cuidada, onde 400 figurantes foram selecionados para a cena de uma festa. (Disponível no canal Looke)

 

FORA DE SÉRIE

Outlander

A série chega a sua quarta temporada de sucesso. A trama: Claire , uma enfermeira da Segunda Guerra Mundial tenta se reaproximar do marido após o término do conflito. Durante um passeio, ela descobre por engano um portal e acaba transportada para a Escócia no ano de 1743, completamente longe de sua realidade. Lá ela conhece Jack Randall, o perigoso antepassado de seu marido, e Jamie Fraser, por quem acaba se apaixonando. Ela vai e volta no tempo, vivendo duas vidas. Além da parte romântica da série há muito de História, o que torna tudo mais interessante. Disponível no Fox Premium.

 

O Ministério do Tempo

A série espanhola mistura ficção científica, suspense e História de uma maneira bem original. A trama foca num grupo de três agentes de diferentes épocas que trabalha para o Ministério do Tempo, instituição governamental autônoma e secreta que foi criada durante o período em que a Rainha Isabel governava a Espanha. Somente reis, presidentes e um número restrito de pessoas sabem de sua existência. Seu principal objetivo é preservar a história da humanidade, tal como ela ocorreu, e impedir que intrusos do passado ou do presente façam uso da história para benefício próprio. Para isso, o Ministério conta com diversas patrulhas, informantes, e funcionários de diversas épocas que se comunicam entre si, e viajam pelo tempo sempre que é necessária sua intervenção. Eles não usam máquina do tempo, mas sim, portais monitorados  que levam a diferentes datas e épocas, mas sempre, dentro do território espanhol ou suas antigas colônias. Essas portas possuem origem misteriosa, e estão localizadas em um subterrâneo na cidade de Madrid e foram descobertas na idade média, por um rabino que acabou revelando esse segredo à nobreza (dados Cinema10). Disponível na Netflix.

 

FRASES DE CINEMA

"Você fez a coisa mais maravilhosa que alguém já me fez, a vida inteira.Trouxe-me amor". (Personagem..-Em Algum lugar do Passado)

"Deitado em minha cama, eu repito, eterna e sempre, o nome dela. Ellise McKenna. Vejo seu rosto, estou ao seu lado, numa noite de julho de 1912. Preciso acreditar que é possível. Preciso acreditar que vejo e sinto-a junto a mim". (Personagem Richard Collier –Em Algum Lugar do Passado)

"Aconteça o que acontecer amanhã ou pelo resto da vida, agora estou feliz porque te amo" ( O Feitiço do Tempo)

"O passado sempre teve um charme especial para mim" ( Meia Noite em Paris)

"Um amor verdadeiro e real cria uma trégua da morte" ( Meia Noite em Paris)

" É isso que o presente é. É um pouco insatisfatório porque a vida é insatisfatória" (Meia Noite em Paris)

 

 

FORA DA PAUTA

E O GLOBO DE OURO FOI PARA...

Como a nova edição de Cine&Séries entra às terças, achei que não faria sentido cobrir na íntegra o Globo de Ouro que aconteceu domingo. Mas, não dá pra deixar passar em branco, né? Então, alguns breves comentários.

*Na coluna C&S sobre os melhores de 2018, o leitor Mário Antonio apontou  Bohemian Rhapsody como um dos filmes do ano. O jornalista Claiton Selistre escolheu Rami Malek, que interpreta Fred Mercury no filme, a melhor atuação de 2018. A Associação de Correspondentes Estrangeiros concordou com eles e deu o Globo de Ouro para Bohemian Rapsody e para Rami Malek.  Nossos cineseriéfilos super antenados...

*Em que pese o elenco estelar- Penélope Cruz, Rick Martin... – não concordei com o prêmio para a minissérie O Assassinato de Gianni Versace – American Crime Story, a não ser pela atuação de Darrin Criss, como o serial killer David Cunanan que matou o famoso estilista. Criss acabou levando o Prêmio de Melhor Ator em Minissérie ou Filme para TV. Havia o suspense Sharp Objects  na lista, por exemplo, que é superior.

* Por falar em Sharp Objects (disponível na HBO), Patrícia Clarkson, que interpreta a mãe manipuladora na minissérie, levou o Globo de Ouro na categoria Melhor Atriz Coadjuvante. Patrícia é uma intérprete peculiar daquelas que prefere uma atuação minimalista, enxuta, mas que funciona à perfeição na minissérie.

* Comecei a ver O Método Kominski (disponível na Netflix) sem grande expectativa. Achava que era mais uma história de velhinhos animados etc...e me surpreendi.A minissérie fala de velhice masculina e da amizade de uma forma inteligente, engraçada e comovente. Acabou levando o Globo de Ouro e ainda deu a Michael Douglas, por quem não morro de amores, o prêmio de Melhor Ator em série de Comédia. Reconheço que ele mereceu. Foi seu melhor papel em muitos anos.

* A categoria Melhor Atriz em Drama trazia os trabalhos espetaculares de Nicole Kidman (falei sobre isso na coluna anterior)e  Melissa McCarthy e também o badaladíssimo trabalho de Lady Gaga em Nasce uma Estrela, mas quem faturou foi Glenn Close por A Esposa. Ela é pouco prestigiada apesar do seu enorme talento, então valeu.

Eu disse breves comentários? Melhor parar por aqui, mas... mas....

***************************************************************************** 

MENS@GEM PARA VOCÊ

 

De: Vera Lúcia Castilhos Diniz

Um grande ano para você! Tudo de bom, e continue nos brindando com as suas maravilhosas dicas de cinema e séries. Abraços.

Obrigada, Vera. É muito bom começar o ano com esse estímulo. Que 2019 nos traga bons filmes & séries e que consigamos reencontrar a "meninazinha dos olhos verdes". Um abraço.

 

 

 

A CARA DO CINEMA

Elizabeth Taylor ( 1932-2011) além de ser um dos rostos mais belos da história do Cinema, com seus olhos cor violeta únicos, foi uma grande atriz. Na imagem, um de seus melhores papéis, Maggie, em "Gata em Teto de Zinco Quente". É um filmaço baseado na peça de Tennesse Williams, onde Liz a tela com nosso homenageado da semana passada, Paul Newman. Dose dupla de talento e beleza.

THE END

 

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Brígida Poli

Brígida Poli

é jornalista. Cinéfila desde criancinha, converteu-se à mania das séries depois de assistir a "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, apenas alguém que gosta de trocar ideias sobre a sétima arte.

Comentários