Fevereiro 04, 2019

As represas criminosas da economia

As represas criminosas da economia
Foto: reprodução

Os desastres de Mariana e Brumadinho oferecem uma imagem simbólica, metafórica, muito clara, do que está acontecendo na economia do Brasil. Meia dúzia de grandes empresas processam a riqueza do país, e a população, fora dessas empresas, recebe o lixo do desastre econômico, a pobreza e a morte. Entre essas grandes empresas e a população também se implantaram represas, para manter as riquezas dentro dessas grandes empresas, e a pobreza econômica e as mortes, consequentes, fluindo para dentro da população.

Tem tecnologia sobrando no mundo para a Vale, de Mariana e Brumadinho, já ter construído represas que poupassem do desastre a miséria da população. Se não tivesse tecnologia para isso, a Holanda já estaria debaixo d’agua. A Vale não fez o que poderia ser feito. Para não gastar dinheiro com as necessidades e interesses da população. Existem também tecnologias e sistema econômico para se colocar em lugar das represas econômicas primitivas, que impedem a população de progredir economicamente. Se o governo Bolsonaro não fizer isso, colocar em lugar das represas econômicas primitivas que estão aí um sistema, uma tecnologia econômica, que façam toda a população, e não apenas meia dúzia de empresas privilegiadas, progredir economicamente, estará apenas apoiando, com isso, inúmeras Marianas e inúmeros Brumadinhos dentro da economia. Tecnologia, desenvolvimento e enriquecimento apenas para as empresas privilegiadas. E inundação, com pobreza e mortes, para a população abandonada pelo desenvolvimento econômico.

São dois os passos fundamentais para acabar com o represamento primitivo, ineficiente, ameaçando a economia de toda a população. Acabar com a corrupção política, via informação: Vida pública não é vida privada. Privacidade zero para quem se envolver com política ou governo. Quem não quiser se submeter a privacidade zero não se envolva com política ou governo. E, segunda providência, revolucionar radicalmente o sistema educacional. Obrigando-o a assumir a responsabilidade total pelo sucesso das carreiras concretas de vida e trabalho de todos os cidadãos.

Enquanto o governo continuar a acreditar que o desenvolvimento de meia dúzia de empresas privilegiadas, egoístas, vai resolver o problema de toda a população, e continuar aceitando o represamento econômico primitivo que impede a população como um todo de desenvolver, continuaremos a ser inundados por pobreza e mortes, numa densidade muito maior do que ocorreu em Mariana e Brumadinho. Pois essas represas econômicas que descrevemos – que fecham a riqueza econômica apenas nas mãos de meia dúzia de empresas privilegiadas, e vazam pobreza e morte para o resto da população - matam muitíssimo mais do que conseguiram matar as represas primitivas e criminosas de Mariana e Brumadinho.

*Ricardo Luiz Hoffmann é Formado em direito, técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal de SC, aposentado.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários