Janeiro 17, 2020
SÃO JOSÉ EM AÇÃO

Assembleia conta prazo para criar a comissão especial

Assembleia conta prazo para criar a comissão especial
RODOLFO ESPÍNOLA/AGÊNCIA AL

O governador Carlos Moisés da Silva, a vice-governadora Daniela Reinehr (no exercício do cargo) e o secretário Jorge Eduardo Tasca (Administração) foram notificados pela Assembleia no final de tarde da última quarta (15), o que faz com que o prazo de 15 dias para que apresentem suas considerações sobre o processo de crime de responsabilidade comece a ser contado.

Neste período, o presidente da Assembleia Julio Garcia (PSD) - na foto entre vários deputados antes do recesso - enviará ofício aos líderes das bancadas e dos blocos parlamentares para o preenchimento das nove vagas na Comissão Especial que analisará a denúncia feita pelo defensor público Ralf Zimmer Júnior sobre o que considera ilegal: a equiparação dos salários dos procuradores do Estado com os do Legislativo Estadual.

A Constituição Estadual e o Regimento Interno do parlamento preveem que a proporcionalidade deve ser obedecida na montagem dos cargos na comissão, sendo a do MDB, com nove parlamentares; a do PSL (mesmo rachada), com seis membros, e a do PSD, com cinco deputados, as três maiores.

Depois vêm, PT com quatro, PL com três (em breve, com quatro), PP com três, PSDB com dois, PDT com dois, PSB com dois, e REPUBLICANOS, PSC E NOVO, cada uma com um integrante.

 

E os blocos

A dúvida é como se comportarão os blocos, já que, do início dos trabalhos legislativos, em fevereiro do ano passado até agora, dois deles já se desfizeram, e um outro rachou.

Tantas movimentações fizeram surgir o que já foi chamado de bloquinho, que se tornou o maior, com 11 deputados: Vicente Caropreso (PSDB), Paulinha da Silva (PDT), Rodrigo Minotto (PDT), Altair Silva (PP), José Milton Scheffer (PP); Nilson Berlanda (PL), Nazareno Martins (PSB), Sérgio Motta (REPUBLICANOS), Jair Miotto (PSC), Moacir Sopelsa (MDB) e Valdir Cobalchini (MDB).

 

Como eram, como ficaram!

De acordo com o Diário Oficial da Assembleia, à época, o maior bloco era o Social Democrático (10 cadeiras com PSDB, PSD, PDT e PSC), o Liberal Social, já implodido, (nove integrantes de PSL e PL); e um terceiro, com PP, PSB, PRB e PV, outro desmontado, migrou para o bloquinho, que de oito deputados pulou para 11 e pretende crescer.

Além disso, o deputado Ivan Naatz integrará a bancada do PL, a partir de 8 de fevereiro, depois que garantiu a justa causa da Justiça Eleitoral para sair do PV, e elevará para quatro o número de cadeiras da sigla.  

 

Em defesa

Leitores e internautas defenderam a posição do defensor público Ralf Zimmer Junior em relação à sua amizade com o adversário de Moisés, em 2018, no segundo turno, o ex-deputado Gelson Merisio (então no PSD), e lembram que, na disputa, o advogado, que estava licenciado das funções públicas para poder concorrera deputado federal, apoiou o candidato do PSL.

Deve ter sido tão circunstancial quanto agora, onde o corporativismo e a tentativa de criar um clima ruim para a análise da Minirreforma da Previdência, propiciaram a denúncia por crime da responsabilidade para pedir o impeachment do chefe do Executivo.

 

MARCOS CORRÊA/PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

PARCERIA DA ALIANÇA

O ambiente era o melhor possível entre a governadora em exercício Daniela Reinehr e o presidente Jair Bolsonaro, na audiência desta quinta (16), testemunhada pelo secretário da Presidência, general Luiz Eduardo Ramos, e pela secretária especial de assuntos Federativos, Deborah Arôxa, que elogiou o sistema de gestão implantado no governo do Estado, principalmente a metodologia de avaliação por indicadores de desempenho. Foi uma recepção tão cordial que, do encontro pela manhã, surgiu o convite de Bolsonaro para Daniela retornar à tarde para participar do lançamento do novo site da Operação Acolhida. O alinhamento entre o presidente e a governadora em exercício é evidente, desde que ela foi uma das primeiras a debandar do PSL e assinar a filiação na Aliança Pelo Brasil, ainda em formação. Na conversa, Daniela reforçou as demandas do Estado e pediu mais investimentos em infraestrutura, enquanto Bolsonaro ressaltou que trabalha duro para resolver situações herdadas de anos anteriores, de outros governos, que ainda causam problemas para a máquina pública federal.

 

Aliás!

No evento da Operação Acolhida, ao lado de crianças venezuelanas que estão asiladas no Brasil, além de atacar a imprensa a quem acusa de não mostrar os fatos favoráveis à sua gestão, o presidente Jair Bolsonaro sugeriu claramente, em uma brincadeira, que o ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) seria o seu sucessor, em 2027, depois de uma reeleição ao Planalto.

O fato causou risadas, mas a coisa é mais séria do que se pensa, pois Moro deu uma passada no “bandejão” do Palácio Presidencial, não quis falar sobre o juiz de Garantias com os jornalistas e elogiou a comida, isso tudo antes da solenidade em que foi “indicado” pelo presidente. 

 

Discurso

O avanço da esquerda em países da América Latina, como ocorreu na Argentina e está em curso no Chile, fez Bolsonaro endurecer o discurso sobre os adversários mais pontuais dele e de seus seguidores.

Na mesma solenidade da Operação Acolhida, que trata da recepção aos venezuelanos em Roraima, também saídos de um país governado pelo regime populista de Nicolás Maduro, alertou seus ministros para o que chamou de "grande responsabilidade" de impedir a volta da esquerda ao poder:

"Eu peço a Deus que continue abençoando o nosso Brasil, abra a mente daqueles que ainda estão do lado da esquerda. Essa maldita esquerda que não deu certo em lugar nenhum do mundo", declarou Bolsonaro, e completou: "Não dê chance para essa esquerda! Eles não merecem ser tratados como se fossem pessoas normais que quisessem o bem do Brasil. Isso é mentira!"

 

LUCIANA CARDOZO/DIVULGAÇÃO

FRENTE POPULAR

O projeto é longo, envolve as eleições de 2020 e de 2022, e reúne PT, PDT, PSOL e PCdoB que se reuniram para a terceira reunião da Frente Popular de Santa Catarina, uma reedição de uma ação coordenada da esquerda. A ideia é unir esforços nos principais municípios do Estado para lançar candidaturas em coligação à prefeitura com o critério de quem estiver melhor indica o prefeiturável. Na foto, além do presidente estadual do PT, o ex-deputado Décio Lima, que foi o anfitrião na nova sede do partido em Florianópolis, o secretário nacional do PDT, o ex-deputado Manoel Dias; o vereador Afrânio Boppré, da Capital, que representou o PSOL; João Ghizoni, que representou o PCdoB; os petistas da executiva estadual Luciano Boico e Zeca; e o representante da direção estadual do PDT,  Mauricio de Conti.

 

* MULTA: O Consórcio Fênix, que possui a concessão do transporte coletivo de ônibus em Florianópolis, foi multado em R$ 74 mil pelo Procon Estadual por problemas na acessibilidade para cadeirantes nas rampas dos veículos, depois que a primeira advertência havia sido feita em novembro do ano passado.

* SUCESSO: A manobra especial com o navio de 300 metros de comprimento e 48,3 metros da largura, na Bacia de Evolução, deixou entusiasmado o pessoal da Operação do Complexo Portuário de Itajaí em busca da autorização da Marinha do Brasil para a atracação de embarcações de maior porte.

DAIANE FAGUNDES/PORTONAVE

* INEDITISMO: A Operação foi a primeira no país, faltam outros cinco testes, o que significará a operação com navios de maior porte, de 335 metros a 366 metros de comprimento e de 48 a 52 metros de largura, e confirma a importância do investimento do governo do Estado de R$ 141,9 milhões para aumentar a nova bacia, que passou a ter 500 metros de diâmetro e 14 metros de profundidade.

* EM ALTA: Inauguração do alargamento da faixa de areia da Praia de Canasvieiras, nesta sexta (17), pelo prefeito Gean Loureiro (DEM), deixa o turismo no Norte da Ilha de Santa Catarina com outra cara e mais atrativo para os visitantes.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia. Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis), e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, assina uma coluna no Diarinho (Itajaí), faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento), na 105 FM (Jaraguá do Sul) e na Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!