Março 02, 2020

Balas de prata por salários satisfatórios para policiais

Balas de prata por salários satisfatórios para policiais

Os salários dos policiais e militares dependem do dinheiro do governo. O dinheiro do governo depende das rendas dos cidadãos e das empresas. Assim sendo, os salários dos policiais e militares não vão ser resolvidos com balas de borracha e de ferro. As balas de prata para resolver o problema dos salários satisfatórios de policiais e militares são duas. A mais eficiente delas, aumentar as rendas dos cidadãos e das empresas. Só tem um caminho para fazer isso. Educação revolucionada radicalmente para produzir produtividade no trabalho e no empreendedorismo. A educação do futuro, para fazer isso... Dividir o tempo diário da educação ao meio. Metade do dia a educação assume a responsabilidade total pelo sucesso das carreiras de vida, trabalho e empreendedorismo de todos os brasileiros, do nascimento à morte, com ajuda da revolução comunicacional-informacional que está aí. Na outra metade do dia, a educação injeta as tais matérias básicas acadêmicas nessas carreiras de vida, trabalho e empreendedorismo, adequadamente combinadas com os interesses dessas carreiras.

Essa bala de prata vai levar muito tempo para criar as condições para dar salários satisfatórios para todos os policiais e militares? Levará algum tempo, sim. Mas não tanto quanto insinuam os educadores obsoletos, paralisados, que estão aí. E se essa bala de prata não for disparada imediatamente, seguiremos o caminho do Chile e da Venezuela. Por mais balas de borracha e de ferro que se dispare para cobrar salários satisfatórios para policiais e militares.

A segunda bala de prata para se dispor de dinheiro no governo, para pagar salários satisfatórios a policiais e militares, é acabar com a corrupção política. Decretando que vida pública não é vida privada, e impondo privacidade zero à vida financeira dos políticos e dos que se envolvem com governo, como fez a Suécia.

Disparando-se as duas balas de prata definidas acima, resolveremos em médio prazo não só o problema salarial de policiais e militares, mas também o problema de renda satisfatória para todos os brasileiros. Se não dispararmos essas duas balas de prata, continuaremos na posição, definida por pesquisa da ONU, de pior distribuição de rendas do mundo. E não conseguiremos deter a revolta contra essa má distribuição. Que se espalha no mundo, dentro de todos os países que não estão compreendendo o que está se passando com a humanidade. Onde o desenvolvimento e a qualidade de vida estão cada vez mais dependendo de conhecimento, de ciência e tecnologia, de educação para produzir e empreender. Como fazem os países que lideram como emergentes do desenvolvimento econômico, como China e Coréia do Sul. Competindo cada vez mais eficientemente com os Estados Unidos e a Europa.

A qualidade de vida de policiais e militares, portanto, depende da qualidade de vida de todos os brasileiros. Tiros com essas balas de prata, imediatamente, no subdesenvolvimento! Para podermos cessar com os tiros de borracha e de ferro. E escaparmos dos desastres do Chile e da Venezuela.

*Ricardo Luiz Hoffmann é Formado em direito, técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal de SC, aposentado.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!