Fevereiro 05, 2019

Band enfrenta dívida bilionária e disputa familiar

Band enfrenta dívida bilionária e disputa familiar

A Band está passando por uma enorme crise financeira, com dívidas que chegam a R$ 1,2 bilhão, mais de oito vezes a geração de caixa, incluindo uma dívida crescente com as afiliadas, algumas das quais já ameaçam trocar de emissora, segundo informações do site Brazil Journal. Além desse problema, a empresa passa por uma disputa familiar iniciada em 2014, por Marcia e Leonor Saad, contra o irmão João Carlos Saad, conhecido como Johnny Saad, CEO do grupo desde a morte do pai deles, João Jorge Saad, fundador da Band, em 1999. Na época os irmãos Saad assinaram um acordo de acionistas em que previa a renovação do CEO a cada três anos e a chegada de um CFO externo para tocar o processo de profissionalização do grupo.

“Na ação, as irmãs listam uma série de decisões unilaterais de Johnny que teriam contribuído para a derrocada da empresa — incluindo um laudo da Ernst & Young, auditor da Band, que mostra um pagamento de R$ 14,5 milhões feito pela Band Rio a uma empresa do ex-governador Sergio Cabral”, aponta o texto.

Segundo o site NaTelinha, a 2ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem do Tribunal de Justiça de São Paulo negou, na noite de ontem, 4, a interdição de Johnny Saad, do cargo de presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação. A decisão é a quinta tentativa das irmãs de conseguirem uma liminar, todas frustradas.

Johnny é criticado por todos por conta da gestão familiar e nada profissional do grupo. Márcia e Leonor estariam dispostas a levar até às últimas consequências a intenção de retirar o irmão do cargo máximo da empresa. Especula-se nos bastidores que as irmãs não pretendem usurpar o poder de Johnny. O processo continua correndo na Justiça de São Paulo e tudo vai depender da decisão da corte arbitral, que decidirá como a Band deverá ser gerida daqui para frente.

Tags:
comunicacao
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários