Maio 21, 2019

Beijo lésbico em campanha da Calvin Klein gera polêmica e marca se desculpa

Beijo lésbico em campanha da Calvin Klein gera polêmica e marca se desculpa

Na semana passada, a Calvin Klein lançou uma nova campanha protagoniza pela top Bella Hadid e a influenciadora digital Lil Maquela. No vídeo, mirando na diversidade, a modelo e a "boneca virtual" protagonizam um beijo lésbico, criticado por parte do público e que levou a marca a pedir desculpa publicamente.

A ação começa com Hadid usando uma blusa da Calvin Klein e bermuda de motociclista adornada apenas com as sombras dos sinais de trânsito. Em seguida ela se junta a Lil Miquela, trocando olhares amorosos e eventualmente se beijando. A narração de Hadid diz: “A vida é sobre abrir portas, criar novos sonhos que você nunca soube que poderiam existir”.

O objetivo da campanha, segundo a Calvin Klein, era 'capturar a essência da individualidade e da expressão dos artistas envolvidos', mas as pessoas, ao contrário, acusaram a marca de estar praticando "queerbaiting", uma estratégia de marketing em que a propaganda sugere um relacionamento homossexual para atrair esse público sem dispersar os clientes heterossexuais.

Para os internautas, o fato da grife ter usado uma celebridade heterossexual peca pela representatividade, tendo em vista as diversas modelos LGBTs que poderiam ter sido convidados.

 

Em nota, a Calvin Klein pediu desculpas aos que foram ofendidos pelo anúncio:

"O conceito da nossa campanha #MYCALVINS mais recente é promover a liberdade de expressão para uma ampla variedade de identidades, incluindo um espectro de identidade sexual e de gênero. Essa campanha específica foi criada para desafiar normas convencionais e estereótipos na publicidade. Neste vídeo em particular, exploramos as linhas borradas entre a realidade e a imaginação. Entendemos e reconhecemos como alguém que se identifica como heterossexual em um beijo homossexual pode ser visto como um queerbaiting (jogada da mídia para lucrar e promover tensão sexual/romântica entre duas pessoas do mesmo gênero). Como uma empresa com uma longa tradição de defender os direitos LGBTQ +, certamente não era nossa intenção deturpar a comunidade LBGTQ +. Lamentamos sinceramente qualquer ofensa que causamos”. Com informações de UOL.

Tags:
Radar MakingOf
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!