Novembro 04, 2019

Bolsonaro e o quarto poder da democracia

Bolsonaro e o quarto poder da democracia
Reprodução

A afirmação – não confirmada – de envolvimento do Presidente com o caso Marielle mostra, de forma chocante, o enorme poder que a revolução comunicacional-informacional que está aí oferece às “fake news” – denominação da moda em lugar da palavra “mentiras” – se alguma coisa sistêmica não for organizada para impor a verdade.

O Presidente Bolsonaro já disse, citando a Bíblia, que a verdade é o valor organizador da vida decente. Se os governos da democracia moderna não organizarem a verdade, as mentiras, as “fake news”, apoiadas na revolução comunicacional-informacional que está aí, produzirão um efeito devastador.

A democracia do futuro vai precisar de um quarto poder, o Informativo, responsável por trazer à tona a verdade em tudo que envolva política, governo, justiça, direitos humanos, etc. Em tudo que requeira a construção da ética.   

Com Sérgio Moro no Ministério da Justiça, o Presidente tem uma situação altamente favorável à construção desse quarto poder, o responsável pela verdade, como um modelo a ser oferecido para o resto do mundo.

Reunir dentro do Ministério da Justiça todos os órgãos de governo e da sociedade voltados para investigações. Inclusive a imprensa. Criar lei punitiva vigorosa – prisão perpétua, pena de morte se estivéssemos na China – para quem dentro desse organismo responsável pela verdade der qualquer colaboração à imposição da mentira. E colocar esse quarto poder em ação, dentro do Ministério da Justiça, para responder pela informação verdadeira antes de qualquer procedimento de acusação e de julgamento.

Dentro da revolução comunicacional-informacional que está aí, se não criarmos dentro da democracia esse quarto poder, responsável pela verdade, o caos ético produzido pelas mentira, pelas “fake news”, continuará crescendo desesperadoramente. A revolução comunicacional-informacional que está aí é a roda inventada pelo século XX. O que a verdadeira roda fez para modificar a humanidade todo mundo sabe. O que a roda inventada pelo século XX fará será maior ainda. E se a verdade não for imposta dentro das comunicações, e as mentiras e as “fake news” prevalecerem, o desastre será colossal.

Presidente Bolsonaro, aproveite a presença e o trabalho que já foi feito pelo juiz, e agora Ministro, Sérgio Moro, e implante na democracia brasileira, pelo menos informalmente, dentro do Ministério da Justiça, esse quarto poder, responsável pela verdade, exaltada pela Bíblia. Se o senhor fizer isso, ficará na história como um líder que passou por cima de todos os negativismos, inclusive dentro dos laços de família, para colocar o Brasil dentro de uma liderança mundial, a criação da democracia informacional. Necessária, inclusive, para salvar a democracia do problema que Thomas Paine já avisou que iria acontecer. O de os políticos eleitos se organizarem numa corte aristocrática para cuidar de seus próprios interesses, e não dos interesses da população.

A verdade, por favor, para combater todos os desmandos éticos.

*Ricardo Luiz Hoffmann é Formado em direito, técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal de SC, aposentado.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!