Setembro 17, 2020

Bolsonaro recorre para não prestar depoimento presencial na PF

Bolsonaro recorre para não prestar depoimento presencial na PF
Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro recorreu da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, para que ele compareça pessoalmente à Polícia Federal para depor sobre eventual tentativa de interferir na Polícia Federal.

"Recorri ao STF pedindo a reconsideração da decisão do Exmo. Sr. Ministro Relator que negou ao Presidente da República o direito de optar pela prestação de depoimento por escrito nos termos de precedentes recentes do próprio Supremo", escreveu Bolsonaro nesta manhã, 17, nas redes sociais.

O chefe do Executivo apontou, ainda, que no documento entregue pediu a reconsideração da decisão do magistrado. "No recurso, protocolado pela AGU, foi requerida a reconsideração da decisão ou a concessão de efeito suspensivo para que não ocorra o depoimento enquanto o colegiado competente não julgar o recurso".

Bolsonaro finalizou dizendo que não estava pedindo privilégio, mas tratamento igualitário em casos de mesma circunstância, como o do ex-presidente, Michel Temer. "Não se pede nenhum privilégio, mas, sim, tratamento rigorosamente simétrico àquele adotado para os mesmos atos em circunstâncias absolutamente idênticas em precedentes recentes do próprio STF", concluiu.

A decisão do ministro foi tomada no último dia 11 de setembro no inquérito aberto após as declarações do ex-ministro Sérgio Moro.

Tags:
Radar MakingOf
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!