Outubro 30, 2019

Bolsonaro x Globo, uma discussão em alta temperatura

Bolsonaro x Globo, uma discussão em alta temperatura

Uma reportagem no Jornal Nacional de ontem, 29, (ver aqui) acabou gerando uma repercussão fortíssima do presidente Jair Bolsonaro, em viagem pela Arábia Saudita. Entre outros recados claro, disse que vai olhar com atenção a renovação da concessão Globo em 2022. É uma ameaça muito grave, já que o meio televisão é uma concessão pública. Uma atitude desses casa com ditadores, não com presidente eleito democraticamente.

Bolsonaro chamou de “patifaria” o conteúdo e abriu a metralhadora da oratória disparando para todos os lados. Por isso, pediu uma entrevista ao vivo ao Jornal Nacional para falar abertamente sobre o suposto depoimento do porteiro do condomínio no Rio à Polícia. Nele, o informante teria anotado que um dos suspeitos de matar a vereadora Marielle e o motorista teria ido à casa do presidente no dia do crime. Uma voz semelhante a de Bolsonaro teria permitido acesso a casa 58, embora o JN tenha ressalvado que, nesse dia, estivesse em Brasília, na Câmara Federal. 

Uma análise preliminar dos fatos indica que esse material explosivo do noticiário deveria receber um tratamento mais adequado. Afinal, é uma suspeita contra o presidente da República e a posição dele deveria estar junto com a primeira matéria. É um direito publicar reportagem como esta, mas um mínimo de prudência seria recomendável. Para que abrir um conflito dessas proporções? Em nome da independência editorial?

É bonito esse posicionamento, mas se tivesse uma posição antecipada do presidente daria a mesma repercussão e manteria a coerência ética. A Globo se colocou no centro das discussões desnecessariamente.

Segundo ponto, na madrugada da Arábia, o presidente gravou um primeiro vídeo respondendo fortemente à matéria. Se dizendo surpreendido, reclama do vazamento do processo para a Globo, demonstrando que tinha conhecimento da investigação. E sugere que a emissora está procurando criar um clima nacional contra ele e a família. Coloca no pacote crítica ao governador do Rio, segundo ele, autor do vazamento. No meio, diz sobre a Globo “eu sei onde vocês querem chegar, p.....”

A Globo respondeu em nota (aqui) e nos comentários que apresentou hoje de manhã, em especial o experiente Valdo Cruz na GloboNews, a todas as críticas de Bolsonaro e vídeos de defesa. O tom foi conciliador. Mas o estrago já está feito. A emissora ainda não se posicionou sobre o pedido de entrevista no Jornal Nacional, mas a esta altura ele tem direito de resposta, tanto quanto o público merece saber o que ele tem a dizer frente a frente com William Bonner. Quem não assistiria?

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!