Junho 19, 2020

CAFÉ NA CAMA NUM DIA FRIO

CAFÉ NA CAMA NUM DIA FRIO

Dando um tempo na coluna temática de Cine & Séries, mas garantindo uma leiturinha semanal para os queridos leitores. Toda sexta-feira uma "Crônica em Quarentena", sem esquecer do cinema, claro!  Se puderem, fiquem em casa. Cuidem-se! 

__________________________________________________________

 

Crônicas em Quarentena - VIII - CAFÉ NA CAMA NUM DIA FRIO

 

A gente quer ter voz ativa/No nosso destino mandar/Mas eis que chega a roda viva/E carrega o destino prá lá ... (Chico Buarque)

 

Já conversamos em crônica anterior sobre casais  que vivem uma verdadeira "guerra dos Roses" tendo que conviver 24 horas por dia, sete dias por semana, durante a quarentena. Se as coisas já não andavam bem, a convivência integral forçada pode ser a gota d`água.  As mais sombrias previsões indicam que haverá muitos divórcios quando acabar a necessidade de isolamento social. Melhor assim? Ouço o casal do apartamento de cima gritando um com o outro e agradeço aos céus pela sorte que tenho.

Mas a pandemia não trouxe só desunião. Assisti a uma reportagem que mostrava jovens casais formados por causa da quarentena. Namoravam há algum tempo e acharam oportuno morar juntos para deixarem seus pais e avós em isolamento total. Apesar do "casamento" imprevisto, as duplas estavam dando certo, ao menos diante das câmeras.

A pandemia veio também para nos lembrar que não somos senhores  absolutos do nosso destino. Minha prima, depois de duas experiências, estava decidida a não voltar a dividir o mesmo espaço outra vez. Pedida em casamento pelo namorado fez uma exigência: aceitaria, mas deveriam continuar morando em casas diferentes. Ainda estavam na semana de lua de mel no apartamento do marido quando "veio a roda viva e levou o destino pra lá...". A necessidade do isolamento - que impediria as idas e vindas da casa de um para a do outro - os mantém juntos no mesmo espaço há mais de três meses. Estão adorando a experiência. " Hoje, dia frio, ganhei café na cama", conta ela.

O casais antigos também podem aproveitar o confinamento para reforçar os laços. Para isso é preciso investir, oferecer  pequenos mimos , dizer palavras gentis, fazer coisas como ver um filme e comentar ou cozinhar em dupla, relembrar os melhores momentos vividos, as viagens e, acima de tudo, rir juntos. Tudo parece tão simples, tão clichê, não é mesmo?  Pois, sem medo de ser piegas: a gente também pode mandar no próprio destino. Que tal começar levando café na cama num dia frio?

(Brígida De Poli)

 

__________________________________________________________

REFLEXÕES SOBRE A CRÔNICA "APRENDENDO A SE VIRAR"

Sempre vivi meio em quarentena, em meio a natureza, com silêncio. O que mudou foi que comecei a reservar mais tempo para cinema online. Estimulada e muito por este portal (adoro). Difícil é escolher os filmes, entre tantas dicas e salas!
Muito obrigada Brígida a paixão pela sétima arte reacendeu após suas indicações!!!! ( Nara Ferrari)

Aprendi a fazer pão durante a quarentena e gostei bastante! Foi inesperado, pois normalmente me atrapalho na cozinha. (Bulbassaura)

Pintei o cabelo sozinha pela 1a vez na vida durante a quarentena, não tinha ideia da quantidade dos "ingredientes", mas milagrosamente deu tudo certo. Também fiz uma superfaxina na casa que há muitos anos não precisava fazer, fiquei exausta mas orgulhosa do meu trabalho - e valorizando cada vez mais a minha diarista. É bom a gente descobrir que, como bem disse a colunista/cronista, a necessidade nos mostra que somos capazes de nos virar e aprender coisas novas. (Dulce Bergmann)

As crônicas trazem boas questões para reflexão, porém como não tem resposta certa, vamos rever filmes lindos como "O Feitiço do Tempo". E agora vai ficar mais leve. Talvez eu até me permita mexer o nariz (como "A Feiticeira") para ver se a casa fica limpa sozinha! (Regina Romano)

__________________________________________________________

 

DICAS * DICAS *DICAS * DICAS * DICAS * DICAS * DICAS

FILMES E SÉRIES LIBERADAS NA QUARENTENA

Festival de Cinema Varilux – Looke

Não esqueçam que os filmes do Festival Varilux estão liberados para não assinantes até agosto. São 12 títulos do atual cinema francês. Muitas comédias, mas também dramas e épicos.

Entre eles estão: Normandia Nua ( com François Cluzet), A última loucura de Claire Darling ( com Catherine Deneuve), Tour de France ( com Gerard Depardieu)

__________________________________________________________

 

Cinema #EmCasaComSesc

O Sesc lançou uma plataforma digital que reserva um espaço exclusivo para filmes. Basta acessar o Cinema Em Casa para conferir longas e documentários, sempre a partir de quinta-feira, com acesso gratuito a qualquer hora do dia e sem necessidade de cadastro.


Estão disponíveis um clássico do cinema de 1967, o terror surrealista A Hora do Lobo, do sueco Ingmar Bergman,  e também o poético Coração de Cachorro, dirigido pela musicista e multiartista Laurie Anderson, que faz uma reflexão profunda sobre a vida através da morte de sua cachorra Lolabelle.

Completam a programação dois filmes nacionais: o aclamado Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, uma produção conjunta com a França com Sonia Braga no papel principal, da jornalista aposentada, viúva e mãe de três adultos; e o delicado Jonas e o Circo sem Lona, um documentário com ficção dirigido por Paula Gomes que aborda a importância de sonhar através do circo.

__________________________________________________________



FILMES E SÉRIES PARA ASSINANTES

Little Fires Everywhere (Pequenos Incêndios por toda a parte) – minissérie – PRIME VÍDEO

A nova série-sucesso da Prime é baseada no livro de Celest Ng e protagonizada por Reese Witherspoon e Kerry Washington.  A história é ambientada na década de 1990, na cidade de Shaker Heights e gira em torno do encontro de duas famílias completamente diferentes, lideradas por Elena Richardson (Witherspoon) e Mia Warren (Washington). Elena é branca, rica, tem marido e quatro filhos adolescentes. Típica família de propaganda de margarina. Tudo em sua vida é meticulosamente organizado.

Mia é negra, mãe solteira, artista plástica, sempre muda de uma cidade para outra, vive em más condições financeiras. Ela tem uma filha adolescente. Chegando em Shaker Heights, Mia aluga uma casa que é de Elena. As duas mãe se aproximam, apesar das diferenças. A partir daí...não vou dar spoiler, mas a primeira cena é a linda casa de Elena em chamas!

Obs: Reese está ótima; não gosto do trabalho de Kerry, que ficou famosa quando fez a série Scandal. Ela é bonita, mas acho sua atuação exagerada.

__________________________________________________________

 

Ford versus Ferrari – Telecine/Now/Net

O filme é bom mesmo para quem não é apaixonado por automobilismo, se for então...é um prazer duplo. A história pouco conhecida para quem não acompanha a atividade é a concorrência entre Henry Ford II, dono da Ford, e Enzo Ferrari, o chefão da famosa marca italiana. Mas o eixo da trama é o temperamental piloto Ken Miles ( Christian Bale) e o projetista Caroll Shelby( Matt Damon), encarregados de criar um carro que vença a poderosa Ferrari.

O filme concorreu ao Oscar de Melhor Filme em 2020, mas acabou ganhando apenas dois prêmios técnicos: melhor edição de som e melhor montagem.

__________________________________________________________


DRIVE IN PARK EM JURERÊ, FLOPS

Quem estiver com saudades de ir ao cinema ou curioso para conhecer como é um drive in (exibição de filmes ao ar livre muito popular nos anos 70) agora tem o Drive Park, em Jurerê. Em tempos de pandemia é tudo bem seguro, cada um dentro do seu carro, som pelo rádio do veículo, com possibilidade de pedir lanches e bebidas por aplicativo. Obs: Para ir ao banheiro é obrigatório o uso de máscara de proteção.

Ingressos à venda no site da Blueticket.

Sábado, 20/06 : Vizinhos (18h); Parasita (21h); O Chamado 3 ( 00:30)

__________________________________________________________

 

HASTA LA VISTA , BABY!

(*) Fotos reprodução/divulgação

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Adeus às ilusões

Outubro 17, 2020
Exclusivo

EU NEGO!

Outubro 10, 2020
Exclusivo

O Som do Cio

Outubro 02, 2020

Brígida Poli

Brígida Poli

Jornalista, cinéfila desde criancinha e maníaca por séries de TV desde "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, pois não consegue deixar o coração de lado na hora de avaliar um filme. Adora falar e escrever sobre o assunto e tenta chamar a atenção para as grandes obras cinematográficas que as novas gerações desconhecem. Concorda com o mestre Federico Fellini quando ele disse que "o cinema é um modo divino de contar a vida".

Comentários