Cerveja quente

Cerveja quente
Foto: Karen McKinnon/REPRODUÇÃO

Quem leu a coluna anterior, percebeu que o calor excessivo na Europa está complicando a operação de cervejarias de médio porte da Alemanha. O motivo é a falta de garrafas para atender uma demanda acima da média. Aqui no Hemisfério Sul o desafio das cervejarias é outro: manter o consumo num período em que o frio afeta a venda das cervejas mais leves e refrescantes – que são o carro-chefe na maioria das linhas de produção.

A alternativa há alguns anos tem sido a produção de cervejas com elevado teor de álcool, que passam a sensação de aquecimento. Uma delas é a Russian Imperial Stout que tem 7% de álcool – o dobro de uma cerveja pilsen. Outros estilos que fazem sucesso entre os apreciadores são Einsbock, Barley Wine, Dark Strong Ale e Double IPA, entre outros. Algumas dessas cervejas “quentes” podem ser consumidas quase em temperatura ambiente no inverno catarinense – bem à moda europeia.

A pedido do DRINK4FUN o beer sommelier Edézio Nasatto (ESCM/Doemens Akademie), administrador da loja Mestre-Cervejeiro.com de Blumenau, selecionou algumas cervejas nesse perfil:

 

Torta Alemã (2cabeças + Freigeist)

Estilo: Baltic Porter

Teor alcoólico: 7,5%

Características: Apresenta notas de biscoito e chocolate. Na produção foi utilizado aveia e malte tostado, alem de nibs de cacau de Ilhéus, na Bahia.

Sugestão de harmonização: Sobremesas doces a base de chocolate, como a própria torta alemã.

Valor médio: R$ 28,00

 

Carvoeira (Lohn Bier)

Estilo: Imperial Stout

Teor alcoólico: 9,5%

Características: A Carvoeira foi a cerveja mais premiada do Brasil em 2017. Ela possui o corpo denso com aromas de chocolate amargo, baunilha e café. Na boca uma complexidade de sabores que passam por chocolate, cacau, baunilha e café.

Sugestão de harmonização: Carnes vermelhas intensas ou sobremesas a base de chocolate.

Valor médio: R$ 23,00

 

Mestre-Cervejeiro.com Tripel Wood Aged (Bierhoff)

Estilo: Trippel com adição de nibs de cacau

Teor alcoólico: 9,5%

Características: Esta cerveja é um blend entre uma cerveja nova e uma envelhecida em barris de cachaça. Ela é intensa e equilibrada, remetendo a aromas frutados, madeira, pêssego, baunilha e cachaça.

Sugestão de harmonização: Marreco com molho de laranja e purê de maça

Valor médio: R$ 33,00

 

St. Bernardus ABT 12 (Brouwerij St. Bernardus - Bélgica)

Estilo: Belgian Dark Strong Ale

Teor alcoólico: 10%

Características: Esta talvez seja a cerveja desta lista que mais combina com o inverno. Aliando aromas de frutas secas (ameixa seca, uva passa, banana), dulçor, complexidade de sabores e alta potência alcoólica, esta cerveja possui o corpo denso.

Sugestão de harmonização: Carnes de caça, queijos azuis ou chocolate amargo.

Valor médio: R$ 37,00

 

Aecht Schlenkerla Rauchbier Marzen (Schlenkerla - Alemanha)

Estilo: Rauchbier

Teor alcoólico: 5,1%

Características: Ao contrário das demais cervejas, que entraram nesta lista devido ao teor alcoólico, esta entra pelas possibilidades de harmonização. A Schlenkerla Marzen é produzida com maltes defumados, o que confere notas que lembram bacon, salames e demais embutidos.

Sugestão de harmonização: Feijoada.

Valor médio: R$ 30,00

 

Blumenauer Samichlaus (Blumenau + Eggenberger)

Estilo: Doppelbock

Teor alcoólico: 12%

Características: Uma cerveja altamente alcoólica com aromas e sabores bem maltados. Apresenta ainda especiarias como canela, cravo e baunilha, alem da madeira amburana, onde foi envelhecida.

Sugestão de harmonização: Carnes ou queijos fortes. Sobremesas a base de chocolate ou café.

Valor médio: R$ 25,00

________________________________

 

VINHO E TURISMO 

O ministro do turismo, o catarinense Vinicius Lummertz, visita nessa sexta (27) algumas vinícolas da região de São Joaquim. Embora já conheça empreendimentos e o potencial enoturístico da região, vai ouvir as demandas de alguns empresários que querem projetar a região como destino para turistas de todo país.

Quem faz as honras da casa é o novo presidente da Associação dos Produtores de Vinhos de Altitude, Acari Amorim. Fundador da Quinta da Neve, Amorin foi um dos pioneiros na produção de vinhos na região de São Joaquim e aposta muito no potencial da Vindima de Altitude - que ocorre no início do ano que vem. “A festa da colheita das uvas da altitude catarinense, durante o mês de março, pode atrair turistas de todo o país e ativar diferentes cidades da serra nesse período” comenta. Durante o evento, os visitantes participam de degustações, eventos gastronômicos e até da colheita da uva. O cultivo de uva e produção de vinhos finos na Serra de Santa Catarina começou há menos de vinte anos. A atividade envolve aproximadamente vinte vinícolas que comercializam mais de 200 rótulos.




Fotos: Villa Francioni/Divulgação 
___________________________

 

SHOT

Copa do Mundo impulsionou as vendas de cerveja no Brasil no segundo trimestre do ano. Volume comercializado cresceu 1.7%. Portal G1 informa que lucro da Ambev no período foi de R$ 2,4 bilhões.

Londres sedia no fim de setembro mais uma edição do Whisky Show. A feira é a maior do gênero para os amantes da bebida e vai apresentar 500 diferentes rótulos. Mas a principal novidade deste evento é a criação de um espaço inédito dedicado ao rum. Além de aulas e degustações guiadas, os organizadores devem realizar uma espécie de “duelo” entre whiskis tradicionais e marcas nobres de rum.

O Brasil recebe pela primeira vez uma edição do campeonato Patron Perfeccionists, que testa a criatividade e habilidade de bartenders. As inscrições vão até setembro e os interessados precisam criar um drink inspirado no Brasil. O vencedor da etapa nacional participa da final mundial em Jalisco, no México.

Tags:
vinhos cervejas cerveja artesanal drinks destilados whiskey gastronomia portal makingof
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!