Agosto 16, 2019

Como rádios de Santa Catarina geram novas oportunidades com a migração para o FM

Ouvintes e anunciantes de 46 emissoras de rádio em Santa Catarina já conferem desde 2016 os efeitos práticos da migração do AM para o FM. A emissora mais recente a passar pelo processo foi a Rádio Jaraguá (foto), que com seus 70 anos de operação, uma das mais antigas em operação no estado, desde o dia 18 de julho de 2019, passou a ser sintonizada pelos moradores de Jaraguá do Sul e região na frequência 101,3 no FM.

Mais do que uma mudança técnica, a migração abre a possibilidade para que as emissoras de reinventem, inovem na programação e na interação com a audiência e ampliam as oportunidades comerciais para a geração de novas receitas, diretamente com anunciantes ou ingressando em redes nacionais já consolidadas. Para Ranieri Bertoli, que comanda a rede composta pelas rádios Demais FM 104,7 (Taió), Demais FM 107,9 (Presidente Getúlio) e Demais FM 101,1 (Itaiópolis), a migração é, sem dúvida, o grande divisor para o segmento.

Bertoli conta que na década de 80 havia dificuldade de achar aparelhos de rádio com a banda FM. O AM predominava. A situação se inverteu nos últimos anos e ficou difícil achar rádio com a opção AM – situação reforçada pela popularização dos rádios instalados em smartphones que só sintonizam as emissoras FM. “Com isso estávamos perdendo ouvintes dia a dia e, por consequência, anunciantes”, analisa Bertoli, ex-presidente da ACAERT.

Além da dificuldade prática de sintonizar o AM, o radiodifusor dita também a queda da abrangência como outro problema do AM que prejudicava o alcance das emissoras e que a migração veio corrigir. “Os anunciantes sempre atentos aos clientes e os buscando por meio de pesquisas internas enxergaram que o AM estava perdendo ouvintes, enquanto o FM aparecia ganhando”.

Diante deste cenário, Ranieri Bertoli conta que o processo de migração para o FM foi desenvolvido com antecedência de olho nas oportunidades e também no atendimento das novas demandas tanto de ouvintes quanto de anunciantes. “Como sabíamos que haveria a migração quanto anos antes começamos a implantar uma nova configuração artística e de locução que quando chegamos no FM nossos ouvintes já estavam acostumados com nossa programação e locução”, diz. “Ou seja, já estávamos fazendo FM mesmo estando ainda no AM”.

O resultado desta estratégia, segundo ele, é que quando ocorreu a virada para o FM, em 2018, o transmissor de AM foi desligado automaticamente e “fomos à luta”, destaca Bertoli. “Ganhamos mais audiência porque nossa abrangência e sinal aumentaram consideravelmente”, conta. “Nossa carteira de anunciantes está aumentando mês a mês e audiência triplicou e nos colocou como líder em nossa cidade e região”.

 

Falta espaço para encaixar anunciantes

Resultados positivos como os mencionados por Ranieri Bertoli não são um caso isolado. De um modo geral, entre as emissoras que passaram pelo processo, a mudança para o FM só trouxe novas perspectivas. Na frequência 89.9 FM desde a migração em 10 de agosto de 2016, a rádio Belos Vales, de Ibirama, no Alto Vale do Itajaí, deixou de enfrentar problemas técnicos que atrapalhavam seu desempenho. Alisson Kufki, gerente da emissora, diz que antes, no AM, havia dificuldade para que o sinal fosse sintonizado no centro da cidade. 

“A rádio não ‘pegava’ no centro e ainda tinha muito ruído e interferência em outras regiões”. Por isso, ele considera que o melhor que poderia acontecer para a Belos Vales era a migração para o FM. “Por mais que a emissora tivesse 25 mil watts era mais do que necessário migrar urgentemente”, diz. No processo, que inclui a análise de rádios de outras cidades e até de fora do estado, a emissora investiu em uma nova programação, com nova “roupagem”, vinhetas e locutores. “Mudamos tudo o que foi necessário para fazer uma rádio diferente sem deixar nada do que era AM, apostando em uma programação mais eclética e dinâmica”, afirma Kufki.

A estratégia impactou junto aos ouvintes. “Foi um arrastão”, diz o gerente. “Tenho certeza que a gente triplicou nossa audiência, com índices maiores do que esperávamos”. Automaticamente, atraídos pelas novidades e principalmente pela qualidade proporcionada pela transmissão em FM, os anunciantes vieram junto com o crescimento a audiência. Com isso, a Belos Vales, segundo Kufki, tem mais do que o dobro do faturamento registramos três anos atrás quando estava no AM.

Superadas as dificuldades técnicas do passado e com o desempenho alcançado após a migração para o FM, a emissora agora convive uma “dor de cabeça boa”, como se diz no jargão do futebol quando o técnico tem mais de uma boa opção para uma mesma posição. “O nosso problema agora é encontrar espaço na programação para encaixar todos os comerciais”, comemora Alisson, afirmando que houve inclusive um aumento no valor de tabela. “Vendemos programação (inserções) e não pacotes de quadros, das 6h até às 19h, e fazemos um trabalho mais forte junto ao comércio local”.

 

Migração para o FM em Santa Catarina

Ao todo, 46 emissoras já migraram do AM para o FM em Santa Catarina. O levantamento é do portal TudoRadio.com, atualizado em 29 de julho de 2019.

88.9 FM - Rádio Gralha FM - Urubici

89.1 FM - Rádio Rainha das Quedas - Abelardo Luz

89.9 FM - Menina FM - Lages

89.9 FM - Rádio Belos Vales - Ibirama

89.9 FM - Cruz de Malta FM - Lauro Muller

90.3 FM - Educadora FM - Taió

90.3 FM - Rádio São Bento - São Bento do Sul

90.3 FM - Difusora FM - Maravilha

90.9 FM - FM Divino Oleiro - Balneário Camboriú

90.9 FM - Rádio Litoral - Imaruí

91.5 FM - Rádio Difusora - Laguna

91.5 FM - Modelo FM - Modelo

91.9 FM - Verde Vale FM - Braço do Norte

92.1 FM - Massa FM - Lages

92.1 FM - Cultura FM - Timbó

92.1 FM - Rádio Belos Montes - Seara

92.7 FM - Rádio Nambá - Ponte Serrada

93.9 FM - Hiper FM - Laguna

93.9 FM - Rádio Cultura - Campos Novos

94.1 FM - Rádio Imigrantes - Turvo

94.3 FM - RBN FM - Jaraguá do Sul

94.5 FM - Alvorada FM - Santa Cecília

94.7 FM - Rede Onde FM - Coronel Freitas

94.7 FM - Rádio Sintonia - Ituporanga

94.9 FM - Rádio Clube - Canoinhas

95.1 FM - Rádio Pomerode - Pomerode

95.1 FM - Rádio Fraiburgo FM - Fraiburgo

95.5 FM - Rádio Planalto - Major Vieira

95.7 FM - Rádio Cidade - São Miguel do Oeste

96.7 FM - A Nossa Rádio 96.7 FM - Caibi

96.9 FM - Rádio São José - Mafra

97.7 FM - Massa FM - São José / Florianópolis

97.9 FM - Rio Negrinho FM - Rio Negrinho

98.3 FM - Rádio Clube - Lages

99.9 FM - Rádio Marconi - Urussanga

100.3 FM - Rádio Difusora - Imbituba

100.5 FM - Antena 100 FM - Joaçaba

100.9 FM - Centro Oeste FM - Pinhalzinho

101.1 FM - Rádio Clube - Indaial

101.1 FM - Demais FM - Itaiópolis

101.3 FM - Rádio Jaraguá - Jaraguá do Sul

104.1 FM - A Nossa Rádio 104.1 FM - São Carlos

106.1 FM - Coroado FM - Curitibanos

106.7 FM - Rádio Difusora - São Joaquim

107.3 FM - Rádio Jornal A Verdade - São José / Florianópolis

107.3 FM - Rádio Caçanjurê - Caçador

 

Este conteúdo é parte da série Mapa de Oportunidades, uma parceria do Portal Making Of com a ACAERT (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão).

Conteúdo produzido por Alexandre Gonçalves, especial para o Portal Making Of

Tags:
Mapa de Oportunidades Mídia Regional Mídia Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!