Março 26, 2020
PMSJ 2

Coronavírus provoca a primeira morte em SC

Coronavírus provoca a primeira morte em SC

Via rede social, o governador Carlos Moisés da Silva informou, às 23h59min, de quarta (25), que um homem de 86 anos morreu em função do Coronavírus, em São José, na Grande Florianópolis, região que também foi a pioneira registrar casos da doença.

A Secretaria da Saúde também investiga se outra morte, ocorrida em Xanxerê, no Oeste do Estado, também foi causada pelo Covid-19, dentro dos 122 casos confirmados oficialmente em Santa Catarina.

O governo catarinense fez uma reclassificação sobre a origem dos pacientes com a doença, o que fez, por exemplo, que alguns casos fossem contabilizados em outros estados e até países, onde residem os pacientes.

Florianópolis tinha 20 casos do Covid-19 e agora aparece com 16.

 

Coronavírus testa a democracia

A repercussão das declarações do presidente da República sobre os efeitos do Coronavírus, que qualifica como uma “gripezinha”, foi proporcional ao problema de saúde pública que assola o Brasil e o mundo, algo tão complexo que não justifica estar restrito às manifestações de favoráveis e contrários a Jair Bolsonaro.

No contexto, menosprezar a incidência da doença que provocou, em menos de um mês, 59 mortes (até o fechamento desta coluna) em território nacional, a maioria em São Paulo e Rio de Janeiro, já com o primeiro óbito registrado no Rio Grande do Sul, não ajuda a tese de que está na hora de começar a volta à normalidade com a abertura de estabelecimentos comerciais.

O que é inevitável, a vida seguir seu curso, deve estar amparado na opinião técnica e científica, paralelamente à necessidade de reativação da atividade econômica, dois assuntos tão relevantes que não são concorrentes, mas erram em cheio quando o debate é levado para o campo político e vira um enfrentamento sobre a consistência da democracia brasileira.

 

RICARDO DIAS/SECOM

AS REAÇÕES 

O governador Carlos Moisés participou de uma videoconferência com o Fórum de Governadores e o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), nesta quarta (25), e o tema não poderia ser outro senão o atrito provocado com o presidente Jair Bolsonaro. A maior reclamação é a de que Bolsonaro usou um discurso na manhã de terça, durante a videoconferência com os chefes de Executivo estaduais, e à noite fez uma manifestação no sentido inverso. Quanto as medidas de isolamento social, fechamento de comércio, escolas e o tráfego de ônibus entre os estados e município, os governadores manterão a posição. Moisés pregou o equilíbrio, entre o tempo de manter os procedimentos de saúde pública e a retomada da atividade econômica, que será em etapas. A palavra sensatez foi usada pelos governadores e somente Ibaneiz Rocha, do Distrito Federal, estava ausente.

 

Não é bom

A cobrança do governador de São Paulo, João Doria Júnior (PSDB), também em videoconferência, em uma conversa com o presidente Jair Bolsonaro não acrescentou nada no processo.

Um desastre que sucedeu outro, sem que melhorasse a condição de ninguém.

 

Aliados pularam fora

O impacto das declarações de Bolsonaro pode ser medido pela reação do médico, ex-senador e atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que não só repudiou o posicionamento como foi enfático ao dizer que as medidas que restringe a circulação de pessoas serão mantidas.

Em Goiás, vale a palavra do governador, assegura Caiado, enquanto a Advocacia Geral da União tenta derrubar a decisão do STF que autorizou a autonomia de governadores e prefeitos para tomar medidas de combate ao Coronavírus.

 

Indignados

Os secretários municipais de saúde também reagiram e, em nota do Conselho estadual que os reúne, o Comsems/SC, assinada pelo presidente Alexandre Lencina Fagundes, consideraram equivocada a manifestação do presidente da República e reiteraram o apoio às orientações técnicas da Organização Mundial da Saúde, que guia as práticas de combate ao Coronavírus em todos os países.

O conselho também manifestou solidariedade às medidas de combate à COVID-19 adotadas pelo governo do Estado e pela Secretaria estadual da Saúde, já que o momento de união de todos os entes da nossa sociedade e não é hora de ressaltar as diferenças políticas e ideológicas.

 

MP pela quarentena

A importância da quarentena no combate ao Coronavírus é enfatizada pelo Ministério Público de Santa Catarina, acompanhe o vídeo produzido para as redes sociais com o procurador-geral de Justiça, Fernando da Silva Comin.

 

Alerta dos supermercados

O preço do leite disparou e os supermercadistas e o Ministério Público estão de olho, já que os valores pularam de R$ 2,10, R$ 2,15 e R$ 2,30 por litro para R$ 3,10, R$ 3,23, R$ 3,70 e R$ 3,80 para novos pedidos.

O pior, os produtores cancelaram os valores dos pedidos anteriores, e o supermercados alertam para um preço que pode chegar próximo de R$ 5, inclusive o leite de cooperativas catarinenses.

 

E o MP

O Ministério Público Estadual, pela 29ª Promotoria de Justiça da Capital, com abrangência em toda Santa Catarina, abriu inquérito  civil, com base na defesa do consumidor, para investigar as indústrias catarinenses que produzem, distribuem e vendem o leite.

Resumo: as empresas têm até esta quinta (26) para responder às questões levantadas pelo procedimento com a remessa dos documentos e notas fiscais que comprovem suas informações de custos.

 

Importante

Professores do Laboratório de Sanitizantes da Universidade Federal de Santa Catarina fazem um apelo que interessa a toda a sociedade.

Eles pedem a doação de carbopol para a fabricação de álcool em gel, que será distribuído em hospitais de Santa Catarina. Quem tiver o produto pode entrar em contato pelo e-mail faleconosco@feesc.org.br. 

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia. Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis), e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, assina uma coluna no Diarinho (Itajaí), faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento), na 105 FM (Jaraguá do Sul) e na Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!