Setembro 05, 2019

Criatividade no ar: Iniciativas de emissoras catarinenses ajudam a fidelizar marcas junto ao público

Criatividade no ar: Iniciativas de emissoras catarinenses ajudam a fidelizar marcas junto ao público

O conceito de criatividade pode ser resumido como a capacidade de sair do lugar. Ou seja, criar e produzir algo diferente, atrativo, que chame e, principalmente, conquiste a atenção. Para as empresas de comunicação pode significar literalmente sair do lugar, no caso dos estúdios. É o que faz o radiodifusor e comunicador Luiz Carlos Goedert, o Luizinho da Regional FM, com a promoção Te Peguei, uma ação que cativa os ouvintes, inclui o uso de plataformas digitais e dá visibilidade à emissora por conta também dos outdoors espalhados pela Grande Florianópolis.

 

Na promoção Te Peguei, Luizinho sai pelos bairros, transmitindo pela rádio e pela live do Facebook e premia com R$ 500 em dinheiro o ouvinte que estiver sintonizado na Regional. A ideia da promoção nasceu de pesquisas informais feitas pelo próprio Luizinho em locais de grande movimentação em Florianópolis. Perguntadas sobre o que gostariam de ganhar, as pessoas respondiam “dinheiro”.

No começo da promoção, a emissora dava um salário-mínimo, depois readequou o valor à realidade econômica do país, mas o impacto, segundo Luizinho, acabou sendo maior. “A transmissão ao vivo também pelas redes sociais foi a maneira mais prática para dar transparência a promoção e mostrar que é séria”, além de registrar em vídeo a emoção do ouvinte ao ganhar os R$ 500.

 

Regra básica para promoções

Luizinho conta que desde o início de suas atividades, a Regional FM procura criar promoções que, em primeiro lugar, “deem chances iguais a todos os ouvintes, com prêmios interessantes e de fácil participação”. “A criatividade na criação das nossas promoções tem uma regra básica: não ouvir em hipótese alguma as emissoras concorrentes”, diz, afirmando que assim a emissora construiu uma história própria com suas promoções.

Para o radiodifusor, o que se espera com as promoções é a fidelização da marca. E isso, segundo ele, têm ocorrido no caso da Regional. “Depois da entrada de duas novas emissoras FMs na região, a Regional continua firme e forte na audiência”, diz. Além da Te Peguei, a emissora conta com outras promoções em sua programação. Mas segundo Luizinho, a promoção mais incrível da Regional está para ser lançada. “Está no forno uma promoção grandiosa que vai atingir mais de 1 milhão de pessoas”, diz. “Queremos fazer a inversão na participação, que é a rádio indo ao ouvinte e não o ouvinte vir até a rádio”, diz.

 

Jogando fora de casa

Sair do lugar, usando a criatividade, também tem sido uma das estratégias da rádio CBN Diário AM, de Florianópolis, para surpreender ouvintes e atrair anunciantes. 

Com o especial Estádio CBN deixa os estúdios no Morro da Cruz uma segunda-feira por mês, das 20h as 21h, e leva sua equipe de esportes para “jogar fora de casa”, recebendo convidados em bares e restaurantes da cidade. “Em seu quinto ano de exibição, o Estádio CBN Diário tem quatro patrocinadores fixos e há espera de interessados em receber as próximas edições, o que comprova o sucesso no mercado”, conta Márcio Serafini, coordenador-geral da CBN-Diário.

Na visão do executivo do Grupo NSC, levar programas para fora do estúdio é essencial para marcar presença, reforçar o produto e explorar outras oportunidades de negócios. Serafini explica os ganhos que o programa especial gera:

Para os comunicadores: “O Estádio CBN Diário reforça a relação interpessoal e o cultivo de fontes”.

Para a área comercial: “O programa promove e consolida o relacionamento com o mercado. É um evento que começa antes e se encerra depois daquela uma hora em que vai ao ar”.

Para o ouvinte: “Em especial aquele que é apreciador de esportes, o Estádio CBN oferece entrevistas mais descontraídas, muitas vezes pontuadas por revelações e declarações pouco comuns em situações convencionais”.

 

Criatividade em campo para evitar desgaste

Criado em 2015, o Estádio CBN foi construído em conjunto entre as áreas de produto, marketing e comercial para tirar comentaristas e narradores do estúdio e realizar um programa atraente para o público e abrir uma nova oportunidade comercial. “E tudo isso contando com o talento de Roberto Alves (na foto abaixo, ao lado de Serafini, em ação fora dos estúdios da CBN Diário) na arte de ancorar com improviso e leveza”, destaca Serafini.

Márcio Serafini, ao lado do comentarista Roberto Alves, em ação fora dos estúdios da CBN Diário - Foto: José Somensi / Divulgação

Foto: José Somensi, divulgação

No comando da emissora desde março de 2016, ele conta que principalmente a partir do terceiro ano do programa, a criatividade entrou em campo para ajudar a vencer o principal desafio: consolidar a fórmula sem esgotá-la, evitando que o Estádio CBN Diário ficasse preso às análises sobre Avaí e Figueirense, já feitas no Debate Diário e demais programas esportivos da emissora. “Para isso, buscamos variar o leque de convidados, do torcedor símbolo ao presidente do Tribunal de Justiça, e inserir atrações musicais”, diz.

 

Mais programas fora do estúdio e novidades na programação

Márcio Serafini afirma que a CBN Diário tem levado cada vez mais programas para fora do estúdio. Ele cita como exemplo recente seguindo o mesmo caminho do Estádio CBN, a transmissão, no Dia do Meio Ambiente (5/6), do programa Notícia na Manhã, apresentado ao ar livre pelo âncora Mário Motta, direto do trapiche da Beira-Mar. Em outra ação, o Debate Diário foi transmitido direto da nova loja do Fort Atacadista em Palhoça. “Outras saídas do estúdio estão previstas para 2019, como na reinauguração do Centro Histórico de São José”, revela Serafini.

“É fundamental estar nas ruas, em cima dos fatos, mas a rádio não pode ficar refém do factual ou do momento dos clubes, no caso da cobertura esportiva”, analisa o coordenador-geral da CBN Diário. “Reportagens, análises e aberturas a novos formatos são essenciais”, diz. Neste contexto, ele destaca outras ações, além dos programas especiais fora dos estúdios, como peças-chave para reforçar o vínculo da emissora e da marca com o ouvinte.

Entre os exemplos, Serafini cita o Direto da Redação, transmitido em duas edições da redação integrada da NSC e com participação de repórteres da rádio, mas também das TVs e dos jornais do grupo. “A audiência praticamente dobrou nessa faixa horária na comparação com o ano anterior”, festeja Serafini.

 

Este conteúdo é parte da série Mapa de Oportunidades, uma parceria do Portal Making Of com a ACAERT (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão).

Conteúdo produzido por Alexandre Gonçalves, especial para o Portal Making Of

 

Tags:
Mapa de Oportunidades Mídia Regional Mídia Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!