Fevereiro 14, 2020
SÃO JOSÉ EM AÇÃO

A disputa em Joinville será acirrada

A disputa em Joinville será acirrada

O ex-senador Paulo Bauer (PSDB) perde força na corrida à prefeitura de Joinville por conta da denúncia do MPF sobre a suposta propina que teria recebido da Hypermarcas, de R$ 11,8 milhões, episódio que já o incomodou na eleição de 2018, e dará munição a todos os demais concorrentes depois de oito anos de Udo Döhler (MDB) à frente da administração municipal.

O beneficiado direto deste baque será o neotucano Gelson Merisio, ex-presidente da Assembleia e candidato ao governo do estado na última eleição, disposto a impor o nome em outubro.

O pedido do MPF depende da aceitação do ministro Edson Luiz Fachin, do Supremo, mas se for pela lógica da amizade e dos passeios de lancha na Beira-Mar Norte ou os jantares em Jurerê Internacional, Bauer, que virou inclusive objeto de uma tuitada do procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato, como novo alvo contra a corrupção, tem tudo para virar réu.

 

Indefinições

Além dos tucanos, o vice-prefeito Nelson Coelho deve concorrer no maior colégio eleitoral do Estado pelo Patriotas; o ex-vice-prefeito e hoje deputado federal Rodrigo Coelho ainda precisa resolver a relação com o PSB antes de ir para o PL; o deputado federal Darci de Matos (PSD) faz mistério; e questões de como será o futuro da postulação do secretário Derian Campos (PSL) – Assuntos Internacionais do governo do Estado - e do deputado estadual Kennedy Nunes, que precisa trocar de partido para concorrer à sucessão de Udo Döhler (MDB), além do PT entre o ex-deputado Francisco de Assis e o ex-prefeito Carlito Merss, e mais outros que vierem.

Sabem qual a opinião do deputado estadual Fernando Krelling (MDB) sobre esta profusão de candidaturas: “Quanto mais (nomes), melhor pra mim!”

 

Disse não

Deputado Valdir Cobalchini (MDB) ligou para o secretário Douglas Borba (Casa Civil) para confirmar, no início da noite desta quinta (13), o que a coluna antecipou de que não aceitará o convite do governador Carlos Moisés para ser líder do governo na Assembleia.

Mesmo assim, a conversa entre Moisés e Cobalchini sai na segunda (17), com o compromisso do deputado em atuar pelas boas propostas do Executivo. Borba entendeu os argumentos partidários do emedebista.

 

Detalhe

Cobalchini fez o contato com Borba antes de embarcar no ônibus de linha da Reunidas, às 20h30min, rumo a Caçador, mesmo meio de transporte que retorna, na próxima semana, e já tem passagem comprada.

O deputado esclarece que não se trata de modismo, é praticidade, pois quando viaja de coletivo intermunicipal consegue trabalhar mais tempo na Capital e não se preocupar com viagens de dia, em torno de seis horas, onde em grande parte do trajeto não há sinal de celular para manter o contatos.

 

SOLON SOARES/AGÊNCIA AL

O “PSSSIU” DA DISCÓRDIA!

A deputada Anna Carolina Martins (PSDB) garantiu um mal-estar com os demais deputados, na sessão de quinta (13), quando, em meio à sua manifestação à tribuna da casa, soltou um “Psssiu, ô amigos, ô amigos! Não precisam escutar a deputada aqui, mas pelo menos não atrapalhem a fala, tá!” A parlamentar chamava a atenção ao grupo de deputados, entre eles Ricardo Alba (PSL), Nazareno Martins (PSB), Milton Hobus (PSD), Marlene Fengler (PSD), João Amin (PP) Volnei Weber (MDB) e Sargento Lima (PSL), que conversavam no plenário, enquanto ele discursava, algo normal na rotina da casa. E voltou a citar um por um dos presentes quando o silêncio não veio, e emendou, ao sair da tribuna, que estavam lhe tirando a concentração. Sorrisos amarelos foram os que sobraram quando ela se aproximou dos demais na planície sob o olhar estupefato de assessores, que nunca viram coisa semelhante. Assista ao vídeo:

 

Tem bronca

O prefeito Volnei Morastoni (MDB) tem lá seus motivos para estar tiririca com a bancada do partido na Assembleia, pois a primeira suplente da coligação (MDB-PSDB), a deputada Dirce Heiderscheidt, abriu mão para dar espaço para Anna Carolina, adversária certa dele nas eleições de outubro.

O plano dos tucanos é o de que a deputada suplente emende a substituição de Vicente Caropreso (PSDB) com a de Marcos Vieira (PSDB), mas está difícil convencer os emedebistas a dar respaldo à manobra em nome de Morastoni, que sequer foi consultado sobre a suplência atual, e ainda convencer Dirce a abrir mão mais uma vez.

 

MAURICIO LOCKS/DIVULGAÇÃO

CANDIDATA DE BOLSONARO!

A jornalista e advogada Julia Zanatta oficializou a filiação ao PL para concorrer à prefeitura de Criciúma e nem precisa fazer força sobre ser a candidata de Jair Bolsonaro na cidade, ela que é amiga de Eduardo e Carlos Bolsonaro, filhos do presidente, fato que pesa na maior cidade do Sul, onde Clésio Salvaro (PSDB) busca a reeleição. “Eduardo Bolsonaro me indicou que o melhor partido para eu me candidatar em Santa Catarina seria o PL, do Senador Jorginho Mello”, afirma Júlia. E posou ao lado de Jorginho com as bênçãos do coordenador regional do partido no Sul, o ex-prefeito Márcio Búrigo.

 

Interesse público

Governo do Estado não consegue sair da atual sede do Detran, em Florianópolis, porque os proprietários do imóvel de 6.858 metros quadrados - que o Estado afirma fazerem a correta manutenção de um galpão que foi ajustado para receber a estrutura -, que recebem R$ 185, 439 mil por mês de aluguel, com renovação anual, no Estreito, questionam a escolha do novo local com dispensa de licitação, em Coqueiros. O que pega aí: a dikspensa de licitação, e só.

A transferência será para um prédio novinho em folha, com aluguel de R$ 159 mil em uma área de 9.213 metros quadrados, portanto maior e mais barato, com contrato por 10 anos, mas uma liminar concedida pelo Poder Judiciário até que fique esclarecido o motivo impede o ato. A pergunta ainda sem resposta é se o interesse público ou o apoio ao interesse privado prevaleceram na medida, embora cautelar.

 

Indenização volta

O desembargador Rodolfo Tridapalli, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, concedeu liminar ao mandado de segurança impetrado pelo governo do Estado que restabelece o pagamento da parcela fixa mensal de Indenização pelo Uso de Veículo Próprio (IUVP), válida para os auditores fiscais da Fazenda, procuradores do Estado, auditores Internos, contadores e defensores públicos, de R$ 3.179, 77 por mês, mais uma variável que pode ser de até R$ 1,8 mil.

O argumento do Estado é o de que o Tribunal de Contas, que determinou a suspensão do pagamento, como órgão auxiliar da Assembleia não possui poderes para anular o contrato administrativo do Executivo nem a legitimação constitucional. Isso vai dar pano para a manga.

 

Onyx, a fênix!

O DEM tem posição de destaque no apoio na sustentação do presidente Jair Bolsonaro e, por isso, o deputado Onyx Lorenzoni, do Rio Grande do Sul, pulou da enfraquecida Casa Civil para o Ministério da Cidadania, onde desalojou o deputado federal Osmar Terra, também gaúcho, do MDB, que retorna à Câmara.

O presidente Jair Bolsonaro tem agora uma linha de proteção militar entre os ministros que coabitam o Palácio do Planalto, os chamados da casa, com a chegada do chefe do Estado Maior do exército, general Walter Braga Netto, que não tem problema em comandar intervenções, como o fez no Rio de Janeiro.

 

Duas medidas

Marcada para 26 de abril, pelo Tribunal Regional Eleitoral, a nova escolha de prefeito de São Francisco do Sul, depois da cassação de Renato Gama Lobo e Walmor Berreta Junior, ambos do PSD, por abuso de poder econômico, e, em Laurentino está mantido o novo pleito para 8 de março, pela cassação do prefeito Gilberto Marchi (PSDB) e do vice Vitor Nardelli (PSDB), por oferecerem vantagem ao eleitor em troca de voto.

O problema nos dois casos foi a demora em se chegar à decisão, que caracteriza um mandato-tampinha quase às vésperas de outra escolha, um custo para o erário público e para a democracia.

 

* NO TSE: um pedido de vista do ministro Tarcísio de Carvalho Neto, do TSE, adiou, nesta quinta (13), o julgamento do prefeito José Thomé (PSDB) e do vice Paulo Cunha (PSD), de Rio do Sul, por suspeita de caixa dois, pasmem, na campanha de 2016.

* NOVOS PREFEITOS: Evento de anúncio de prefeitos que se filiam ao PSL será sábado (15), em São José, com direito à presença do governador Carlos Moisés e o nome certo de Luciano Buligon, de Chapecó, na lista.

* REGRA: Aliás, em Joinville, o funcionalismo cumpre a máxima de estabelecer um calendário de greve em ano eleitoral, isso não falha, embora não garanta voto algum.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia. Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis), e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, assina uma coluna no Diarinho (Itajaí), faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento), na 105 FM (Jaraguá do Sul) e na Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!