Junho 13, 2020

Encontro pode ser até no cafezinho

Encontro pode ser até no cafezinho
RODOLFO ESPÍNOLA/AGÊNCIA AL

O deputado Ivan Naatz (PL), relator da CPI dos Respiradores e propositor da investigação, aguardará um parecer da procuradoria jurídica da Assembleia, para, a partir da análise técnica, decidir como levará adiante o requerimento pedido por ele para convocar o governador Carlos Moisés da Silva.

O assunto ganhou contornos de polêmica porque a Procuradoria Geral do Estado se adiantou e divulgou nota onde aponta para a ilegalidade da solicitação, aprovada por unanimidade na comissão, na última terça (9).

Naatz, que é advogado, minimiza as críticas e afirma que, de posse do documento com o posicionamento jurídico, espera uma manifestação de Moisés, que “pode ser no cafezinho”, desde que o governador convide os deputados para falar sobre o pagamento antecipado de R$ 33 milhões pelos respiradores junto à Veigamed.

Um detalhe essencial, na manifestação de Naatz: discorda sobre o impedimento, reclama das manifestações antes de ter feito comunicação oficial alguma ao chefe do Executivo sobre a participação, que também admite poderá vir por escrito, “como Moisés preferir”, embora considere que o ideal seria presencial, algo muito difícil de ocorrer por coerência política.

 

Entrave

Moisés acabou com os gastos do cafezinho no serviço público.

Não foi pouca gente que ficou sem o líquido tradicional durante a passagem pela Casa d’Agronômica, uma parte um tanto quanto duvidosa diante do conceito de austeridade.

 

Próximos passos

A transferência dos detidos na fase 2 da Operação Oxigênio, desenvolvida pelo Ministério Público, Polícia Civil para o Presídio de Florianópolis, ajuda a CPI, já que facilita o acesso aos depoimentos, como ocorrerá com Fábio Gausti, que intermediou a venda dos respiradores entre Secretaria da Saúde e Veigamed.

Naatz tinha até a estratégia pronta de fazer a acareação entre Márcia Regina Geremias Pauli, Helton Zeferino e Douglas Borba para depois de ouvir José Florêncio, do Fundo Estadual de Saúde, ordenador do pagamento antecipado; Debora Brum, que teria usado a senha da ex-superintendente de Gestão Administrativa da Saúde; mas que, para acalmar os ânimos na CPI, cedeu.     

 

Mais uma vez

A CPI pretende ouvir de novo o advogado Leandro Barros, um dos presos pela força-tarefa.

Para Naatz, o amigo do ex-secretário Douglas Borba mentiu demais, principalmente sobre a relação próxima de ambos e nas ações que teria praticado no combate à pandemia dentro do governo, sem ser servidor público.

 

Grave 1

Pedido do Ministério Público Estadual levou à apreensão do celular de uma agente penitenciária, que atua no Presídio de Florianópolis, depois que vazou uma foto do ex-secretário Douglas Borba, depois de transferido para a instituição penal.

Outros detidos, que igualmente foram para a Presídio, tiveram o registro espalhado pelas redes sociais e podem ter certeza de que não foi para outra coisa senão fazer juízo de valor é pré-condenar quatro dos cinco presos.

 

Grave 2

O celular foi apreendido em pleno feriado, às 7 horas da manhã, pera própria força-tarefa com autorização do Judiciário.

A conduta configura, em tese, de acordo com o MP, crimes de abuso de autoridade e violação de sigilo profissional, o que, infeliamentem lembra o episódio da prisão do ex-reitor de UFSC, Cao Cancelier, que também teve fotos divulgadas na passagem pelo Sistema Prisional, um dos fatores da humilhação que o levaram a tirar a própria vida, em meio à Operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal.

A infração funcional está em apuração pela Corregedoria da Secretaria de Estado da Administração Prisional, e, a pedido do MP, a apuração criminal será realizada pela DEIC.

 

 Ah, a Celesc!

Se a pandemia adiou uma briga e tanto dentro da maior estatal do estado na escolha do novo diretor Comercial, cargo tradicionalmente ocupado por uma representante dos funcionários, não poupou outra velha pendenga de sair do papel e ir parar na Assembleia.

A Comissão de Economia, Ciência, Tecnologia, Minas e Energia do Legislativo recebeu denúncia contra o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, por ele ter sido indicado para o cargo sem se desvincular da Engie, uma gigante do setor privado da eletricidade, o que caracterizaria grave conflito de interesses, de acordo com o presidente do Sindicato dos Eletricitários do Norte de Santa Catarina (Sindinorte), Paulo Guilherme Horn.

 

Da “República”

Poleto Martins vem da República de Tubarão e a indicação, com direito a choro de agradecimento em eventos oficiais por parte do agora presidente da estatal, teve o respaldo do secretário Lucas Esmeraldino, hoje como muitos menos prestígio e “exilado” em Brasília, na Secretaria Executiva de Articulação Nacional.

Se for por relacionamento ou repercussão de atos, o assunto promete render.

 

RODOLFO ESPÍNOLA/AGÊNCIA AL

E O BOM SENSO

Acreditem que teve deputado que fez discurso contra a medidas de isolamento social ou Lockdown que o governo do Estado adotou para frear o crescimento d e casos do Coronavírus quando confrontado com a realidade de projeção de 12% de queda na arrecadação de tributos no ano. A apresentação feita pelo secretário Paulo Eli (foto) e pela secretária adjunta Michele Roncalio à Comissão Especial de Acompanhamento dos Gastos Públicos com a pandemia. Nem a apresentação de uma agenda positiva por Eli, frente ao problema, sossegou os deputados. Milton Hobus (PSD) classificou de “temerária” a gestão na Secretaria da Saúde pediu a convocação do secretário André Motta Ribeiro, que deveria estar presente na apresentação, mas estava doente e se ausentou.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!