Junho 06, 2019

Estupro, mentiras, suspensão: noticiário policial ou esportivo?

Estupro, mentiras, suspensão: noticiário policial ou esportivo?

Quase no mesmo instante que a Globo anunciava no Jornal Nacional a suspensão de Mauro Naves, o SBT apresentava uma entrevista exclusiva de Roberto Cabrini com a moça que acusa Neymar de estupro. Dois fatos impactantes envolvendo repórteres experientes com resultados distintos: Naves punido por dar o telefone do pai de Neymar a um advogado sem avisar a Globo e Cabrini, em mais um momento de brilho, obtendo a entrevista que todos queriam, inclusive Naves.

A punição é algo para pensar sobre o procedimento ético do repórter: Naves deveria informar o número de telefone para depois conseguir uma entrevista exclusiva com a moça? Ou o erro foi não ter avisado a chefia desse fato delicado, com repercussão mundial? Esse segundo ponto parece ter pesado mais na atitude da Globo do que ser envolvido indiretamente nessa confusão de versões.

O ponto é que o veterano Cabrini chegou a Najila, a acusadora, sem nenhum incidente, ao que se saiba até agora. E entrevista com a moça é uma lição de reportagem que vale a pena assistir mais de uma vez.

Sobre o conteúdo das respostas... bom, aí só a polícia.  

 

Ibope em Chapecó

Os dados revelados pela NSC e RIC da pesquisa Ibope realizada em maio mostram uma tendência em quase todo o País: a diminuição da diferença entre Globo e Record em certos horários e mais telespectadores para quem investe no local.

A NSC lidera das 7 às 24 horas com 38,7 % de share (impacto somente sobre os aparelhos ligados), quando no ano passado tinha 43,9%. Uma queda significativa.

Já no horário do almoço, a RIC alcança share de 64,6% no Balanço Geral e 57,4% com o Ver Mais logo a seguir. Uma subida forte.

De noite, no horário nobre, a NSC se dá melhor com 48,8% de share, com destaque para o NSC Notícias com sete pontos a mais.

Como sempre, as emissoras vão mostrar seus pontos fortes no material que disponibilizam para agências e anunciantes, o que garante as mídias muitos dados para decisões técnicas.  

 

Salários


(Reprodução)

Desde o ano passado falamos sobre as discussões salariais envolvendo o pessoal de vídeo das redes. A orientação para os RHs é mexer nos contratos diminuindo o fixo e liberando o variável. Faustão e Ana Maria Braga estão na mira da Globo. Não foi à toa que o apresentador do Domingão já andou falando em rede social que está a fim de diminuir o ritmo. Já deu o seu recado.  

Galvão Bueno e outros narradores custaram a aceitar, mas já entraram na barca.

Perto do que ganham, os 600 mil reais mensais de Wiliam Bonner parecem pouco, mas, pelo que se informa lá do Rio, vai ser negociado na data de renovação.

A verdade é que não está fácil para ninguém. Os modelos implantados pelas cabeças de rede acabam sendo adotados pelos afiliados, mesmo que não seja orientação. Quando a geradora segura custos acaba repassando o problema.

 

Passo

A CNN Brasil deu um primeiro passo importante para compor seu time de vídeo: a contratação dos jornalistas William Waack e Evaristo Costa, ambos ex-Globo. São bons profissionais no ar e nos bastidores.

 

Livro

A jornalista Brígida de Poli, colunista de cinema da Making Of, lança seu primeiro livro amanhã, 7, das 19 às 21 horas, na biblioteca do Centro Integrado de Cultura em Florianópolis. Em "As mulheres da minha vida", fala dos talentos femininos que fizeram sua cabeça e contribuíram na formação. Exemplos da política, literatura, cinema, música e filosofia.

Esse vou ler, com prazer.

 

Janiter

A agressão ao repórter Janiter De Cordes, da rádio CBN Diário, por um torcedor do Avaí, é condenável em todos os sentidos. Nada justifica a violência.

Por isso, em outras épocas, os setoristas da emissora faziam revezamento a cada ano nos clubes da capital. Ajudava a não criar vínculos com clube, dirigentes e torcedores, justamente para evitar episódios lamentáveis como esse.  

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários