Outubro 10, 2020

EU NEGO!

EU NEGO!
Reprodução

Dando um tempo no formato temático de Cine & Séries, mas garantindo a leitura semanal para quem segue a coluna. Toda sexta-feira,  uma nova "Crônica em Quarentena" e, claro, dicas de filmes e séries para amenizar esses tempos difíceis de pandemia e isolamento social. Fiquem bem!

_________________________________________________________________________

 

EU NEGO!

Muitas palavras foram incorporadas ao nosso dia a dia desde o início da pandemia. Uma delas é " negacionista", explicada no dicionário como pessoa que nega um fato comprovado e documentado ou analisa esse fato partindo de argumentos ou opiniões não fundamentadas em verdades históricas.

O vocábulo tem sido bastante usado para definir quem nega a gravidade da Covid-19. Não se trata apenas do cidadão comum que se recusa a acreditar nos riscos de contágio e vai à praia ou à balada, mas também a líderes de Estado. Um exemplo bem acabado do negacionismo é o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Depois de se recusar a seguir o protocolo de segurança, como o uso de máscara e evitar apertos de mão, o homem mais "poderoso do mundo" viu que não estava imune à doença. Foi contaminado e acabou no hospital.

O mesmo já tinha acontecido com o primeiro ministro britânico, Boris Johnson, negacionista que parou na UTI para tratar da Covid. O inglês saiu do hospital com outra visão sobre a doença. Aprendeu a lição e passou a apoiar os cuidados e o lockdown.

Já Trump fez um jogo de cena depois de deixar o hospital, onde estava internado por causa da Covid, e subiu as escadas da Casa Branca ofegante para mostrar que a doença é tratável. Ele continua negando a agressividade do vírus que matou 210 mil norte-americanos.

No Brasil, o primeiro mandatário seguiu o mesmo caminho da negação, chamou os sintomas do coronavírus de gripezinha etc...etc...

Já havia uma onda negacionista  no mundo antes da chegada do coronavírus. De repente, a terra deixou de ser redonda e virou plana, o aquecimento global não existe, as vacinas precisam ser banidas da medicina e o Holocausto não existiu! Verdades científicas e históricas confrontadas com argumentos sólidos ???? Não, só aqueles que vem embalados na frase "é a minha opinião"!

Em outra escala, o negacionismo pode ser explicado como "a escolha de negar a realidade como forma de escapar de uma verdade desconfortável". Sendo assim, vou brincar de fazer a minha lista de negações também.

1) Não, eu não engordei na pandemia.

2) Não sinto falta dos amigos no confinamento.

3) Nem gosto de viajar, tá?

4) Vivo num país que preserva suas florestas, mangues, restingas, e protege as populações indígenas.

5) Não morreram 150 mil pessoas de Covid-19 no Brasil.

E você? Também nega alguma coisa inegável? Diz aí.

(Brígida De Poli)

_________________________________________________________________________

 

DICAS DE FILMES E SÉRIES

Pátria – série – HBO/Now

Chegando na HBO essa série espanhola promete! A história centra em duas famílias devastadas pelos atos do grupo separatista ETA, no país Basco. Os dois episódios disponíveis por enquanto mostram uma produção bem cuidada, cheia de momentos de tensão desde a primeira cena. Antigamente amigas, as duas famílias hoje se hostilizam e aos poucos vamos descobrindo o porquê.

***

Mrs. America – minissérie - Fox Premium

Uma visão de história contemporânea para as gerações que vieram depois e desconhecem a luta pela igualdade de direitos. Em 1972, o Congresso Americano estabeleceu um prazo de sete anos para que a EDI- Emenda de Igualdade de Direitos fosse aprovada em 38 estados.

A minissérie apresenta os dois lados desse embate. Cate Blanchet é Phyllis Schlafly, a dona de casa conservadora que lidera o movimento contra a aprovação da emenda. Casada com um advogado, mãe de seis filhos, ela é inteligente e articulada. Na outra ponta, um grupo de feministas como Betty Friedan, autora do livro " A mística Feminina ", que mudou a mentalidade de muitas mulheres e Gloria Steinem, todas personagens reais. A minissérie foi um pouco criticada por ter como protagonista a antifeminista – e não o feminismo em si - e uma atriz do quilate de Cate Blanchet para representá-la. ( Na foto, Cate e a verdadeira Phillys)

***

The Goof Fight – 3 temporadas - Prime

Para quem ainda sente saudades esse é um spin of  nascido da costela  da ótima The Good Wife  que acabou depois de 7 temporadas. The Good Fight recupera a personagem de Diane Lockhart, vivido por Christine Baranski, uma das advogadas sócias do escritório que abrigou Alicia Florrick, a "boa esposa". Agora, Diane integra um escritório centrado nas questões raciais. Para quem gosta de histórias de tribunal, um prato cheio.

***

Um lindo dia na vizinhança – filme – HBO/Now

Tenho uma certa impaciência para filmes muito certinhos, com mensagens edificantes, mas resolvi assistir para checar o trabalho de Tom Hanks e porque os personagens centrais realmente existiram.

A trama: Lloyd Vogel é um jornalista investigativo que recebe a tarefa de fazer o perfil de Fred Rogers, também conhecido como Mr. Rogers, criador de um programa infantil de TV muito popular na década de 1960 nos Estados Unidos. Contrariado com a pauta, o amargo Vogel se depara com um homem que é a bondade em pessoa. Hanks está ótimo no papel de Mr. Rogers.

_________________________________________________________________________

 

Para os cinefilhinhos:

Enola Holmes –  filme – Netflix

Uma série para os "maiorzinhos" porque a indicação é de 12 anos. A Netflix está em meio a ações judiciais porque se utilizou da obra de Arthur Conan Doyle, criador do detetive mais famoso do mundo,Sherlock Holmes, sem pagar direitos autorais. Mas o filme é um sucesso.

O filme traz Enola Holmes, uma irmã adolescente de Sherlock e Mycroft, que vive longe deles. Assim como o irmão, ela também tem aptidão para investigar mistérios e decide procurar pela mãe que sumiu de casa. O irmão mais velho, Mycroft, quer colocá-la num colégio interno para moças, mas ninguém segura a decidida Enola.

***

One Life (A vida selvagem) – documentário livre – Prime

O documentário mostra o comportamento de vários animais e como, entre outros hábitos,  eles protegem as crias nos primeiros instantes de vida. Um filme gostoso para pais assistirem com filhos já alfabetizados. A narração original é feita por Daniel Craig ( 007).

***

Bee Movie- A história de uma abelha – animação – Telecine/Now

Para os pequeninhos, o Telecine resgatou a história de Barry, a abelhinha aventureira que sai pelo mundo e descobre que os humanos roubam o mel das colméias. Indignada, ela vai à luta para evitar isso. Esse é o início da história, mas Bee Movie fez tanto sucesso que já ganhou uma sequência.

_________________________________________________________________________

 

BÔNUS

Duas mostras importantes online e gratuitas!

_________________________________________________________________________

 

THE END

(*) Fotos reprodução/divulgação

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

O álibi perfeito

Outubro 30, 2020
Exclusivo

Adeus às ilusões

Outubro 17, 2020
Exclusivo

O Som do Cio

Outubro 02, 2020

Brígida Poli

Brígida Poli

Jornalista, cinéfila desde criancinha e maníaca por séries de TV desde "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, pois não consegue deixar o coração de lado na hora de avaliar um filme. Adora falar e escrever sobre o assunto e tenta chamar a atenção para as grandes obras cinematográficas que as novas gerações desconhecem. Concorda com o mestre Federico Fellini quando ele disse que "o cinema é um modo divino de contar a vida".

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!