Novembro 06, 2019

Filho: AI-5, ou empreendedorismo, empregos, rendas?

Filho: AI-5, ou empreendedorismo, empregos, rendas?
Reprodução

Esquerda e direita são coisas do passado, prezado Eduardo. Falar delas no seu tom é infantilismo político. O Brasil precisa é de empreendedorismos, empregos e rendas satisfatórios para todos os brasileiros. Direita e esquerda tradicionais, obsoletas, fracassaram de providenciar essas coisas. Hoje, com a roda inventada pelo século XX, a revolução comunicacional-informacional, o que decide tudo é o controle e o uso da informação e dos conhecimentos. As posições política modernas não têm nada a ver com a esquerda e a direita tradicionais. São: A favor da abertura das informações, dos conhecimentos. Ou a favor do fechamento, da propriedade monopolista das informações, dos conhecimentos. Trump é a favor do fechamento. A Asia, especialmente Japão e China, buscaram e buscam o caminho da abertura das informações, dos conhecimentos. Globalização versus antiglobalização.

O Brasil tem nesse momento dois grandes problemas. A desigualdade sócio-econômica monstruosa. E a corrupção, que dificulta desenvolver-se programas de geração de empreendedorismos, empregos e rendas satisfatórios, para se acabar com a desigualdade. As duas coisas só têm solução via informação e conhecimentos.

A solução da corrupção via informação é decretar que vida pública não é vida privada, e impor privacidade zero à vida financeira dos políticos, como fez a Suécia.

A solução para geração de empreendimentos, empregos e rendas satisfatórios para todos os brasileiros, é através da revolução radical do sistema educacional, que se constitui em distribuição de conhecimentos, de informações. Metade de seu tempo diário a educação, integral, assume responsabilidade total pelo sucesso das carreiras concretas de vida e trabalho dos cidadãos, do nascimento à morte. Usando-se para isso as tecnologias da revolução comunicacional-informacional. E na outra metade de seu tempo, a educação integral injeta nas carreiras concretas de vida e trabalho dos indivíduos as tais matérias básicas – matemática, línguas, ciências, etc. – de acordo com os interesses concretos de tais carreiras.

Falar em direita e esquerda sem discutir a decisão política inescapável imposta pela revolução comunicacional-informacional que está aí – entre abrir ou fechar as informações e os conhecimentos – é ficar perdido dentro do museu das opções política do passado, mortas, da direita e esquerda tradicionais, retrógradas, obsoletas.

A inconsciência do filho do Presidente sobre esse assunto é total. Cegueira absoluta. Não só dele. Da maioria esmagadora dos políticos brasileiros. Não basta ser eleito para estar garantido ao praticar ataques contra a democracia, que está se estruturando institucionalmente no Brasil de maneira forte, com apoio dos noventa por cento de militares honestos do país. Collor eleito, impeachment. Lula eleito, cadeia. Dilma eleita, impeachment. Ameaçar o Brasil com outro AI-5 é demência infantilóide. Que merece uma dessas coisas.

Vamos discutir, senhores políticos eleitos – em vez da direita e esquerda obsoletas – como acabar com a corrupção e gerar empreendedorismos, empregos e rendas satisfatórios para todos os brasileiros. Abrindo-se informação e conhecimentos, para se fazer essas duas coisas. Criando-se, com isso, a democracia informacional, para substituir a democracia corrupta da desinformação e da desigualdade sócio-econômica.

*Ricardo Luiz Hoffmann é Formado em direito, técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal de SC, aposentado.

Tags:
artigos opinião especialistas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!