Fevereiro 04, 2019

Fizeram William Bonner cantar Jennifer

Fizeram William Bonner cantar Jennifer

A Globo sempre que pode usa a equipe em situações inusitadas, como fez o Vídeo Show em 35 anos. A tese é que dá resultado junto ao público. Agora, um quadro do Fantástico usou ontem, 3, pela terceira vez o mesmo processo com o gancho "Isso a Globo não mostra". Além de relacionar falas de Tiago Leifert do Big Brother com as confusões na eleição da presidência do Senado - bem engraçado - pegou textos aleatórios de William Bonner e editou como se ele estivesse cantando Jennifer - o sucesso brega do momento.

Esse processo feito com o apresentador do Jornal Nacional começou nos Estados Unidos na eleição de Barak Obama, com os mais variados temas. Funcionou lá. Agora veja a edição de Bonner e o resultado aqui:

 

Plastificada

Envelhecer no vídeo requer muita sabedoria. Às vezes recursos estéticos ajudam, quando são excessivos, prejudicam.

Quem está abusando é a repórter e apresentadora eventual do Jornal Hoje, Renata Capucci. Ela fez tantos procedimentos no rosto que ficou plastificada e sem expressão. Só mexe os olhos.

Renata é uma boa profissional, bonita e elegante, mas deveria deixar aparecer algumas referências a idade para ser mais real.

 

Bom Dia

A TV Anhanguera, de Goiás, tem sofrido problemas frequentes de audiência e resolveu contra-atacar. Sábado, 2, inovou colocando no ar o Bom Dia de Sábado, das 8 às 9. Não deu certo na estreia, ficou em terceiro lugar na audiência.

Algumas afiliadas da Globo têm a mesma dificuldade de Ibope, mas está provado aí pela Anhanguera que não basta apenas abrir espaço local, tem que entregar o produto que o público quer.

 

Brumadinho

A cobertura da imprensa, especialmente televisão, já passou do limite do aceitável em Brumadinho. As cenas, entrevistas, pautas, se repetem. Não se trata de negar a tragédia. Ela já foi mostrada à exaustão. É preciso ir para as etapas seguintes.

Na tragédia de Mariana foi a mesma coisa. Um turbilhão de informações, mas anos depois, quando suavizaram as leis, que acabaram levando ao horror de Brumadinho, a imprensa estava desatenta e não acompanhou, deixando os lobistas à vontade.

Há uma responsabilidade social também do trabalho jornalístico. Esperamos que desta vez pressione autoridades e legisladores para que tragédia igual nunca mais se repita.    

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!