Podemos começar dizendo que o 1° BRASILEIRO DE JIU JITSU PARADESPORTIVO é importante para modernizar nossa visão de mundo, porque socializa na derrota e na vitória.
 
Se o esporte já é inclusivo, o paradesporto é mais ainda. E ter em Santa Catarina sediando uma competição exclusiva para paratletas de Jiu Jitsu, eleva ainda mais a condição do Estado como exemplo de inclusão social para o Brasil.
 
O campeonato será de 11 a 13 de Julho, no Hotel Internacional de Canavieiras. As lutas serão no dia 13, próximo sábado, e quem quiser assistir essa incrível competição pode acessar o https://www.instagram.com/p/BvKqP5QguaJ/

Pra quem não sabe, nós temos um tricampeão mundial nesse esporte! Ele é Daniel Borges, que já foi noticia aqui na coluna quando buscava patrocínio para disputar o Mundial. Daniel sagrou-se Tricampeão Mundial de Parajiujitsu nos Emirados Árabes Unidos em abril desse ano.

Ele lutou não só no esporte, mas na batalha para conseguir chegar aos Emirado Árabes sem patrocínio. Agora começam as captações de recursos para o próximo ano, para, quem sabe, Dani trazer o Tetra para o Brasil, para Santa Catarina e para nossa Ilha da Magia. 

  

 

Parcerias

Foi com esse desejo de modernizar e ampliar nossa visão de mundo, que a fotógrafa Carol Medeiros, junto com alguns amigos, criaram uma iniciativa chamada Desbravadores Inclusivos, que busca o empoderamento das pessoas com deficiência.

Este trabalho começou em Janeiro e já se vê muitas vitórias. Hoje além da fotógrafa e do Daniel, nosso para-atleta tricampeão, eles contam com Dr. João Lorenzetti e com o fotógrafo paulista Rafael Luperi - que também já passou por aqui, quando realizou a co-autoria do ensaio para a Playboy Portuguesa da Brusquense Claudia Cesário, junto com a nossa querida fotógrafa manezinha e com a arquiteta paranaense Priscila Souza. E pensa que a lista para aí? Não para não!

Eles tem também o apoio do Jornalista Felipe Kraus, da TV POP do RJ, e de várias pessoas engajadas na realização do evento e no conceito de empoderamento de portadores de deficiência.

Os Desbravadores Inclusivos avisam que seguem aceitando e recebendo os que estiverem dispostos a apoiar essa causa, porque essa empreitada precisa de toda ajuda possível. Precisa de pessoas que anseiam por mudanças na sociedade, que queiram mudar sua maneira de ver o mundo e a maneira do mundo ver as pessoas com deficiência, e, assim, ajudar na quebra dessa barreira de preconceitos e diferenças.

 

Retratando realidades
 
A fotógrafa Carol Medeiros também realiza há três anos o projeto Dores Psicológicas, onde retrata, por meio de imagem e texto, os traumas da alma. Agora ela vai unir a história e o ensaio já realizado da linda Thay Gonçalves, que contou desde sua dor e depressão até sua reconstrução, à de Jean Lucas, recém fotografado no Paraná. Jean sobreviveu a um atentado no dia de seu aniversário, onde foram disparados 12 tiros contra ele e os amigos, tirando a vida de sua amiga e comadre.
 
Carol conheceu a história de Jean Lucas pelas redes sociais quando ele estava hospitalizado, hoje ele ainda tem uma bala na coluna, mas, mesmo assim, em vez de se paralisar pelo medo, é um exemplo de luta, como alguns desses mais de 120 atletas que estarão no 1° BRASILEIRO DE JIU JITSU PARADESPORTIVO.

 


 
Os inscritos no campeonato participarão da seleção para um ensaio realizado por Carol (@estudiocarolmedeiros) e uma super equipe de profissionais que está apoiando essa inciativa nesse momento histórico. Serão 10 pessoas selecionadas por esse projeto que tem o intuito de mostrar um novo olhar sobre a realidade das pessoas com deficiência. 


 

Pódio e troféus 

A valorização do ápice do atleta passa a ter um elemento especial. A diretoria da Fesporte desenvolveu um projeto de pódio adaptado ao paradesporto, visando uma maior autonomia do atleta na cerimônia de premiação. Confeccionado em aço e ferro galvanizados, o pódio ainda conta com piso em chapa xadrez antiderrapante, proporcionando o máximo de segurança ao atleta paradesportivo. 

"Mesmo em viagens pelo Brasil e exterior não vi nenhum pódio com essa qualidade de adaptação ao paradesporto", orgulha-se Daniela Borges

Além disso, o material de premiação também é exclusivo, com belos troféus contendo impressão em braille da colocação do ganhador. 

 

Esquenta

Daniel Borges esteve junto com mais paraatletas na última semana em um aquecimento para o BRASILEIRO DE JIU JITSU PARADESPORTIVO. Eles tiveram uma aula especialmente preparada para pessoas com deficiência fisica, na academia do mestre @monalisateam, outro apoiador desse esporte sem fronteira. 

 

E manda o recado: "Se você possui ou conhece alguma pessoa com deficiência fisica, convide ela a conhecer esse esporte inclusivo. Se você não é uma pessoa com deficiência; e quer saber um pouco sobre nossa realidade, venha também conhecer esse esporte que está empoderando e transformando a vida de milhares de pessoas com deficiência pelo mundo".   

*****