Junho 07, 2019

Globo exagerou na forma de suspender Mauro Naves 

Globo exagerou na forma de suspender Mauro Naves 
Reprodução

Mesmo que o repórter Mauro Naves tenha cometido um erro, a nota da Globo no Jornal Nacional anunciando a suspensão foi desproporcional. Dizer que um profissional com 31 anos de casa "não atendeu a expectativa" que a emissora tem de seus funcionários foi um ato desnecessário.

O "crime" de Naves foi ter fornecido ao primeiro advogado que defendia a modelo Najila, acusadora de Neymar, o telefone do pai do jogador.

A nota lida ao vivo por William Bonner caiu com uma bomba na equipe esportiva da emissora.  Nos bastidores dizem que depois da suspensão o repórter será desligado, relacionando esse fato aos enxugamentos que têm sido feitos com os maiores salários da casa. Teriam forçado uma motivação para tirá-lo?

Naves tem um ótimo ambiente de trabalho e é muito admirado no meio esportivo. Nos bastidores é chamado de "Presidente". Se for demitido, sua saída seria uma mostra real de que o respeito que a Globo tem com seus profissionais está igual a audiência: diminuindo.  

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários