Agosto 03, 2020

Governo diz que seguranças presidenciais não têm de proteger jornalistas

Governo diz que seguranças presidenciais não têm de proteger jornalistas
Reprodução/Folha

O Governo Bolsonaro declarou à Justiça que os seguranças presidenciais não têm de proteger jornalistas. A declaração foi feita por causa de um processo, aberto depois de jornalistas serem hostilizados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, durante a cobertura em frente ao Palácio da Alvorada. As informações são do portal UOL.

Na ação, a organização Repórteres Sem Fronteiras, o Instituto Vladimir Herzog, o Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal e a Federação Nacional dos Jornalistas pedem que a Justiça obrigue o governo a adotar medidas preventivas para garantir a segurança dos jornalistas.

Por causa dessas agressões, jornais, canais de TV e portais deixaram de enviar repórteres para o Palácio da Alvorada.

As entidades pedem que a guarda presidencial identifique os agressores e tome medidas para que a pessoa seja encaminhada para a polícia militar.

O governo, no entanto, declarou à Justiça, que não é papel da segurança presidencial intervir nesses casos. Afirmou que a guarda tem a função específica de proteger o presidente e que apenas em situações de grave e iminente risco pode atuar em prol de terceiros. Para o Planalto, a responsabilidade deveria ser da Polícia Militar do Distrito Federal.

Na ação, os grupos pedem que Jair Bolsonaro pague uma indenização de R$ 300 mil, pois entendem que ele hostiliza a imprensa e, por isso, incentiva outros a fazerem o mesmo.

O governo afirma que a postura crítica do presidente em relação à imprensa não ultrapassa os limites da sua própria liberdade de expressão, não sendo possível extrair da sua conduta qualquer lesão à liberdade de imprensa.

Tags:
comunicacao
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!