Julho 01, 2019

Greenwald, do Intercept, Go Home

Greenwald, do Intercept, Go Home

Já era estranha a divulgação a conta gotas das escutas hackeadas entre o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dalagnol pelo site Intercept. Jornalista não segura informação para divulgá-las semanalmente, estendendo a repercussão. No máximo, faz uma série em dias seguidos.

Agora, com os últimos fatos vazados, ficou claro que era mais do que uma reportagem jornalística. Tinha o propósito de minar a Operação Lava Jato, ao revelar fofocas e comentários de bastidores como se fossem denúncias bombásticas.

Os erros dos "hackers" sinalizaram que os editores manipularam os textos e não reproduziram na íntegra, comprovados por erros de horários e nomes, entre outros descuidos.

O criador do site Glenn Greenwald, tem cidadania americana e brasileira. Se fosse nos Estados Unidos, já teria levado um esculacho do presidente no Twitter, talvez acumulasse processos por difamação e certamente seria execrado pelos colegas de profissão. 

Aqui, elevado à categoria de celebridade, é reproduzido como se gerasse uma encíclica papal. Até agora, pelo menos. Espera-se que ele tome juízo ou então se mude para o Havaí, também território americano. Ou seja, Greenwald Go Home.

 

Globo Esporte

Diz-se no Morro da Cruz que as paredes têm ouvidos. Certos assuntos não são comentados nos corredores. No máximo, há troca de olhares e sinais.

Não há dúvidas, porém, que a demissão de Alessandra Flores, do Globo Esporte, gerou um sentimento de inconformismo. Aquela história da corda arrebentar do lado mais fraco, ou seja, do funcionário. Ela foi escalada e mantida na apresentação mesmo tendo parentes na direção do Figueirense. Quando o clube reclamou, sua cabeça foi entregue em bandeja de prata.

Não há mais dó nem piedade. Só medo de paredes que escutam.

 

IVC

O levantamento de maio, o mais recente do Instituto Verificador de Comunicação, ex-Circulação, tem muitos dados relevantes. Um deles compara a circulação do meio digital com o mercado geral pesquisado. Todos os jornais catarinenses têm dados negativos, ou seja, involuiram. Estes são os números:

Jornal, posição no ranking e evolução ano % 

Diário Catarinense 15 -54

Jornal de SC 22 -26%

Notícias do Dia 23 -5,46%

A Notícia 24 -33%

Os líderes, pela ordem, todos com crescimento são Folha de São Paulo, O Globo e O Estado de São Paulo.    

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!