Março 31, 2020

Mais de 30 mil máscaras e mil macacões doados

Mais de 30 mil máscaras e mil macacões doados
Foto Labellamafia

Com a ajuda de costureiras voluntárias, a Labellamafia está produzindo uma série de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para as cidades de Florianópolis e Palhoça.

Um contraponto importante no momento em que o mundo todo está acompanhando o avanço da pandemia do coronavírus, com números de casos confirmados e mortes relacionadas à doença que não param de crescer - em paralelo a isso, as ações solidárias e de ajuda seguem na mesma frequência e um exemplo disso é a marca catarinense Labellamafia.

De acordo com proprietário da marca fundada em 2007, Giulliano Puga, até agora foram confeccionados mais de 30 mil máscaras e mais de mil macacões e aventais. Os produtos são distribuídos de acordo com a necessidade das Secretarias de Saúde de cada município.

 

Fábrica de proteção

A produção dos materiais é realizada por uma equipe reduzida de profissionais na fábrica da Labellamafia, em Palhoça, e conta ainda com a colaboração de várias costureiras guerreiras.

 

Para Somar

"Estamos recebendo doações de tecido de diversas empresas do Estado e junto com o Somar Floripa repassamos os insumos e todo o material que está sendo cortado na fábrica para que as costureiras possam produzir as máscaras, macacões e aventais em suas casas", explica o empresário.

Giu destaca que apesar da incerteza em relação a proliferação no Brasil, a marca segue comprometida com a responsabilidade de evitar o avanço do Covid-19 no país. Ele também visa incentivar ações como essa, tão importantes no momento atual.

"É hora de retribuir toda a confiança recebida por colaboradores, lojistas e clientes. Por isso, além de seguir as recomendações da OMS e estar atenta as orientações do Governo de Santa Catarina, a Labellamafia pausou parcialmente as atividades no Brasil, América Latina, América do Norte e Europa, com o intuito de preservar a saúde dos colaboradores e minimizar a propagação do vírus como um todo", salienta Giu.

*****

 

Festa no lar

Hoje quem celebra mais um ano de vida é o queridíssimo Dodô, do Quinteto S.A. Parabéns pelo seu aniversário, meu amigo! E dias melhores virão, com muito samba e aquela alegria no coração.

*****

 

Atendimento terapêutico 100% on-line 

Comprometidos com o esforço coletivo de conter a disseminação do Covid-19, no qual o confinamento compulsório representa cuidar de si mesmo e do outro, a ASSIM SC, entidade sem fins lucrativos de Florianópolis, que presta atendimentos terapêuticos gratuitos ou a custo social passará a oferecer seus atendimentos terapêuticos de forma remota através de plataformas digitais, até que seja seguro retomar  a rotina habitual.

Essa decisão está pautada nos protocolos da saúde e segurança, mas também levou em conta a atenção  à saúde mental e ao bem estar emocional de seus clientes. Em um contexto no qual as pessoas podem sentir-se extremamente vulneráveis, a ASSIM adaptou o formato do atendimento de forma a manter as terapias em curso dentro de uma rotina habitual. 

Num esforço inédito, a ASSIM mantém o seu programa social em funcionamento, totalmente online, engajando seus clientes a manter o processo terapêutico neste momento crítico.  

 

Valor social

"Juntamente com a importância de manter a rotina dos nossos atendimentos terapêuticos regulares a custo social em andamento em prol da saúde emocional dos nossos clientes, a sua continuidade no formato remoto foi a solução que encontramos para não fecharmos as portas de forma definitiva", informa a psicóloga Telma Lenzi, presidente da ONG.

"São esses atendimentos, pagos a valores sociais, que pagam as contas e permitem a continuidade deste projeto, que existe desde 2007. Se os clientes não aderirem ao atendimento on-line neste momento, é possível que a ASSIM SC seja mais uma vítima indireta do Covid-19", complementa Telma.

Para mais informações, entre em contato pelo WhatsApp (48) 99156 2354.   

*****

 

Malha aérea essencial

Definida entre Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), aeroportos e as empresas aéreas Azul, Gol e Latam, a malha aérea essencial para todo o território brasileiro entrou em vigor sábado (28/03) e segue em todo o mês de abril. Com a medida, o Aeroporto Internacional de Florianópolis passa a ter até 5 decolagens e 5 pousos por dia, um movimento 87,5% menor do que a média para o período, que é de 80 voos diários.

 

As três cias aéreas - Azul, Gol e Latam - continuam atuando no Aeroporto Internacional de Florianópolis. Mas o destino será 1 só: São Paulo, com voos, majoritariamente, para os aeroportos de Guarulhos e de Viracopos. Os voos internacionais, que neste período do ano costumam ser para a Argentina, também estão suspensos.

O dia de maior movimento no aeroporto de Florianópolis será a segunda-feira, com previsão de 5 pousos e 5 decolagens. Aos sábados e domingos, o Aeroporto de Florianópolis terá apenas 2 decolagens e 2 pousos.

O objetivo da ANAC com a implementação da malha aérea essencial é garantir que nenhum estado brasileiro fique sem conexão aérea, durante a pandemia de coronavírus. Além das capitais dos 26 estados e o Distrito Federal, outras 19 cidades do país serão atendidas. 

A região com maior movimento é o Sudeste, com 723 frequências semanais. A região Sul fica em segundo lugar, com 155 voos por semana. No total, serão operados 1.241 voos por semana no país, um volume 91,61% menor para o período.

A malha aérea essencial pode sofrer alterações pontuais, de acordo com as demandas. A Floripa Airport reforça que passageiros com voos marcados para este período procurem, por telefone ou canais digitais, a respectiva cia aérea para adequação à malha essencial.

Tags:
social entretenimento Floripa Florianópolis gente festas eventos agenda
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Yula Jorge

Yula Jorge
Jornalista graduada pela UFSC. Antes disso estudou e viveu quatro anos entre o Canadá e os Estados Unidos e quando retornou a sua terra natal, Goiânia, graduou-se pela PUC em Secretariado Bilíngue. 
Logo mudou-se para Florianópolis, ingressou na Universidade Federal, e da ilha não saiu mais. Atua como colunista desde 2012, assinou uma coluna diária no jornal Notícias do Dia por alguns anos, e, paralelamente, foi repórter da RICTV Record e Record News. Traz todos os dias o que rola de especial em Floripa: sobre quem acontece, empreende, se engaja em causas legais. O que inaugura, as festas bombásticas, as melhores casas, restaurantes, os shows, as ações bacanas e o voluntariado.

Comentários

Rancho Açoriano

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!