Janeiro 12, 2020

Mari Ferraz deixa o cerimonial e parte para o espetáculo

Mari Ferraz deixa o cerimonial e parte para o espetáculo
Foto Jonatan Brivio

Ela quase celebrou Bodas de Prata em seu enlace com o mundo dos cerimoniais. Um casamento que deu certo, mas que aos quase 25 anos de estrada chegou ao fim. Não por falta de amor, mas porque resolveram seguir outros rumos, morar em casas separadas. Ela foi para a Tea House Floripa e o cerimonial foi para outros braços, outros locais.

Mesmo assim se tornaram grandes amigos e estão sempre se encontrando na beira do mar da Cachoeira do Bom Jesus; Mari e o cerimonial - que agora ela recebe de peito e portas abertas, sendo apenas a anfitriã de outros sonhos, de outros amantes, de outros rituais de união.

Mari Ferraz fez carreira como realizadora de desejos. Segue firme ao lado do maridão Zeca Ferraz, por quem demontra imensa paixão (agora trabalham juntos também na gestão do novo empreendimento). Tem fama de brava, é detalhista ao extremo, mostra uma postura séria e, muitas vezes, irredutível: “A Mari é uma louca formidável! Tanto que fez o cerimonial dos meus dois filhos”, ouvi de uma amiga. Pulso firme numa mão, varinha mágica na outra. A bruxa das cerimônias, a tranquilidade das noivas, o terror dos fornecedores não perfeccionistas.

A renomada profissional largou o cerimonial para seguir seu grande sonho e, após muito trabalho, reformas e criações, a Tea House Floripa completa agora seu primeiro ano de existência com mais de 40 casamentos, realizados por outros cerimonialistas, e com uma agenda cheiaça para 2020.

Conheça um pouco dessa história e desse lugar, que chamo de arrebatador!

 

 

Você ficou mais de duas décadas como cerimonialista, imagino quanta coisa já vivenciou nessa trajetória!

Agora iria completar 25 anos na área, com 3.242 casamentos na conta! Como eu consegui fazer tudo isso? A gente fazia casamentos 5ª, 6ª, sábados, domingos.

Fazíamos muitos casamentos em São Paulo também, que tem cerimônias de segunda a segunda e eu tinha quatro equipes de cerimonial. Às vezes em um sábado eu fazia quatro casamentos! Eu estava em um, tinha equipe em mais outros três, mas todos integrados simultaneamente e organizados exclusivamente por mim, que respondia por tudo.

 

 

E sempre deu tudo certo?

Tudo! Graças a minha equipe também. Essas pessoas trabalharam comigo durante anos, me conheciam bem, eram uma extensão de mim no trabalho. Hoje cada uma tem seu cerimonial próprio.

Fazíamos muitos casamentos fora de Santa Catarina. Em Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro. E Fora do Brasil também, já fiz cerimônias em Nova York, na Espanha, em Madri, em Buenos Aires... Então, nosso grupo tinha que ser forte e competente pra caramba. O que é tarefa difícil de montar pra delegar, mas posso dizer que conseguimos com maestria.

 

 

Como você conseguia uma agenda tão cheia, sendo uma das mais caras cerimonialistas da cidade?

É que as pessoas não querem errar em um dos dias mais importantes de suas vidas! Eu fiz um nome respeitado com o passar das cerimônias que ia organizando. Então tem muita gente não pensa no preço, elas querem qualidade. Certeza de um resultado perfeito.

 

 

E como surgiu essa bela casa que hoje é a Tea House Floripa no meio da sua trajetória?

Essa casa ficava quase o ano todo fechada. Quando entrei aqui pensei, é o lugar certo... e já vislumbrei tudo! Todas as reformas, como ela ia ficar. Tivemos muito trabalho, mas no resumo da ópera saiu uma sinfonia perfeita.

 

 

Muito trabalho e muitos gastos, eu imagino...

Ah, teve investimento, sim. Colocamos muitos lustres maravilhosos, porque que tem que ter charme, né? E tudo está nos detalhes! O material que usamos pra fazer esse deck em frente ao mar é madeira nobre, veio de Belo Horizonte esse madeiramento. Mas que valeu demais pelo resultado.

Pensamos em tudo com muito carinho.

 

 

E não é uma casa perto do mar né... é uma casa pé na areia mesmo!

É... essa vista não tem preço. Até veio uma noiva do Texas se casar aqui em novembro e o pai dela fala exatamente isso no vídeo, que esse visual vale qualquer distância. A gente se sente muito realizado com isso. A felicidade dos noivos é a nossa também. A realização é dupla.

 

 

Você deixou os cerimoniais pra se dedicar somente aos seus eventos. Porque?

Deixei há um ano, como tinha uma agenda já comprometida, ainda cumpri alguns contratos até o final de 2019. Mas encerrei novos contratos já. Me preparei pra isso. Acho que deixei um bom legado também

 

 

Muitas noivas vão ficar tristes com isso...

(risos) Algumas já ficaram sim. Mas tem muita gente boa no mercado. Também tem aqueles que não ligam muito pro grande dia, ficam na torcida que acabe a festa pra descansar. Eu acho que meu diferencial também sempre foi vibrar com cada cerimônia, todo cuidado com a noiva, com o buffet, com os padrinhos, com os convidados, com a banda, com tudo! Cada casamento tinha que ser o mais lindo da vida!

Eu me envolvia mesmo. Criávamos laços. Fiz grandes amizades!

 

 

Depois que larguei o cerimonial é que vi que era boa mesmo nisso. Já vi uma noiva cortar o bolo e fazer o brinde, enquanto o fotógrafo estava fazendo fotos da decoração e da vista da casa pro mar... Eu vi tudo e perdi até o ar! E os noivos perderam fotos lindas, muito importantes! Isso também é responsabilidade do cerimonialista que tem que estar atento a tudo! Eu disse "tudo".

 

 

O que mais compensava nessa área pra você?

Eu tinha um bom retorno financeiro, mas sempre trabalhando até a exaustão. Nunca deixei a peteca cair. Mas ter o retorno dos noivos após a cerimônia, realizados e encantados, acho que foi o mais motivador na minha trajetória.

Olha o que uma noiva acabou de mandar pra mim hoje (leio no celular dela): “Como está Mari? Espero que muito bem, pelos próximos 90 anos no mínimo. Você é linda, simpática, chique e ao mesmo tempo simples, brava e muito amorosa. Só tenho a te agradecer eternamente”

 

 

Você tem fama de brava mesmo, né?

Ah, se você não tiver pulso não vai... Tem fornecedor que não consegue cumprir o acordado. E que não está muito aí também. “Um” fornecedor apenas pode desandar todo um evento! E eu não aceito desculpas. Por isso ao mesmo tempo que confio no meu fornecedor eu exijo. Quem me conhece sabe que exijo perfeição. Não adianta.

Por exemplo, em um aniversário de 15 anos em que a aniversariante escolheu um bolo Champagne, me chega um bolo pink! A festa ia começar as 11h da manhã e o fornecedor me trouxe as 9h, eu só perguntei: “Você esqueceu meu bolo de 15 anos no carro?” Fiz voltar e fazer outro bolo. Ele gastou 200 reais a mais de UBER, mas eu não podia arcar com o erro da empresa. E se queimar comigo também não é bom pra ninguém, sou uma bruxa (risos).

 

 

Uma bruxa fantástica! Que conselho você daria pra quem está começando na área de cerimonialista?

Que elas ou eles organizem os casamentos das outras pessoas como se fossem o seu. Era exatamente assim, fazia como se estivesse organizando o meu casamento com o meu Zeca. Aliás, ja nos casamos várias vezes! Sempre renovamos os votos de amor!

 

 

Como está o calendário de eventos na Tea House Floripa para 2020?

Não podemos reclamar. Não temos datas mais em março, nem em outubro e nem novembro. Tudo locado.

 

 

Meu marido, o Zeca Ferraz (foto acima), continua como celebrante de casamentos e é muito procurado, mas quando ofereço os pacotes de casamentos nem o incluo, só se os noivos quiserem. Temos uma ética aqui na Tea House; a noiva tem a liberdade de trazer sua cerimonialista, seu celebrante, pastor, padre, testemunha de Jeová, o que os noivos quiserem.

 

 

Um ano de casa com mais de 40 casamentos realizados aqui. Parabéns por esse histórico lindo!

Pois é. Mais de 40 só nesse primeiro ano. Só tenho a agradecer ao meu marido, que também é eu grande incentivador e parceiro. Quase todos os finais de semana de 2020 já estão locados para eventos especiais, entre casamentos, aniversários, almoços, eventos coorporativos, enfim. Até encontros de mulheres empreendedoras, cerimônia budista só para o casal e encontros evangélicos já fizemos.

E aproveitando que estamos celebrando um ano de casa nova, quero dar um presente pra ti!

Para fecharmos essa entrevista com chave de ouro, quero oferecer aos seus leitores o sorteio de um casamento aqui na Tea House Floripa! Uma cerimônia para 50 pessoas em um domingo!

Logo te passo os regulamentos pra fazermos o sorteio no Instagram!

Quero que você, Yula, e mais 3 ou 4 jornalistas da sua escolha, sejam os jurados da carta mais legal, mais merecedora de ganharem um casamento aqui!

(Alô, Laine Valgas, Marta Gomes, Laura Coutinho, Grazi Ubiali e Edsoul! Quem se habilita? :)

 

 

A coluna agradece! Valeu, Mari e Zeca! Logo lançaremos o sorteio por aqui ;)

 

Feedback

O que você não fica sem: Café

O que mais admira: O meu Zeca

O que não suporta: Falsidade

Um lugar no mundo: Onde eu estou

A melhor viagem: Porto Seguro

Uma saudade: Da minha mãe

Uma bebida: Suco de laranja - com tanta, tanta festa, ainda bem que não bebo álcool! (risos)

Comida: Arroz com feijão e ovo frito

Uma palavra: Amor

Um sonho: Acabei de realizar! Que era ter minha própria casa de eventos! Planejada exatamente como eu sonhei.

Uma cerimonia memorável precisa de: Simplesmente "tudo" como desejado e sonhado! Todas as pontas amarradas em um laço perfeito!

Tags:
social entretenimento Floripa Florianópolis gente festas eventos agenda
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Yula Jorge

Yula Jorge
Jornalista graduada pela UFSC. Antes disso estudou e viveu quatro anos entre o Canadá e os Estados Unidos e quando retornou a sua terra natal, Goiânia, graduou-se pela PUC em Secretariado Bilíngue. 
Logo mudou-se para Florianópolis, ingressou na Universidade Federal, e da ilha não saiu mais. Atua como colunista desde 2012, assinou uma coluna diária no jornal Notícias do Dia por alguns anos, e, paralelamente, foi repórter da RICTV Record e Record News. Traz todos os dias o que rola de especial em Floripa: sobre quem acontece, empreende, se engaja em causas legais. O que inaugura, as festas bombásticas, as melhores casas, restaurantes, os shows, as ações bacanas e o voluntariado.

Comentários

Rancho Açoriano

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!