Março 29, 2020
Fiesc

Moisés amplia a quarentena por mais sete dias

Moisés amplia a quarentena por mais sete dias

O governador Carlos Moisés da Silva prorrogou até o dia 7 de abril a quarentena em Santa Catarina e manteve a flexibilização da abertura dos bancos, cooperativas de crédito e agências lotéricas, a partir desta segunda (30 de março), com certas restrições ao atendimento, publicadas em uma portaria, veja os detalhes abaixo.

Pela manhã, a decisão já havia sido compartilhada com os prefeitos das 15 maiores cidades de Santa Catarina, com o presidente da Fecam, Saulo Sperotto (PSDB, de Caçador); e com os presidentes da maioria das 21 associações de municípios, que participaram de uma videoconferência.

Moisés pediu a eles que as decisões sobre o combate à Covid-19 fossem tomadas em conjunto e alinhadas com o Estado para impedir distorções e má interpretação pela população, bem como as divulgações sejam unificadas com a Secretaria Executiva de Comunicação Social do governo do Estado. Assista ao vídeo:

 

O aval

Os prefeitos e chefes de poderes e órgãos com autonomia financeira e administrativa, com quem Molisés se reuniu à tarde, concordaram com as medidas a partir do argumento do secretário estadual da Saúde, Helton Zeferino, de que a flexibilização está condicionada à chegada de recursos e EPIs por parte do governo federal, além de equipamentos para leitos de UTI que foram comprados pela Secretaria de Estado da Saúde e igualmente não foram entregues.

A preocupação é com o aumento no número de casos e o agravamento da situação de saúde dos mais vulneráveis: maiores de 60 anos e portadores de doenças crônicas. Todos esses prosseguem longe convívio social, no isolamento, independentemente das liberações que virão.  

 

Decisão difícil

Manter a quarentena, com isolamento social, não foi fácil para os prefeitos, pressionados pelo empresariado, em todos os níveis, que têm necessidade em voltar à normalidade, em muitos casos para manter o negócio em funcionamento.

O prefeito de Palhoça, Camilo Martins (PSD), revelou ao blog que esta foi uma das decisões mais difíceis que ele tomou, e olha que foi em comum acordo com os colegas Adeliana Dal Pont (PSD, de São José) e Ramon Wollinger (PSD, de Biguaçú) e anunciada um dia antes da medida adotada pelo governo do Estado.

 

Fecam

O presidente da Fecam Saulo Sperotto elogiou a atitude do governador em reunir lideranças dos municípios e passar a tomar as decisões em conjunto.

"Precisamos sincronizar nossas atitudes e atuar juntos, em busca de um alinhamento. É importante todos os esforços nesse sentido”, disse Sperotto.

 

A luta desigual

Evidentemente devem ser aceleradas as medidas para compensar as perdas de empresários e trabalhadores, empreendedores e informais ou com carteira assinada, que venham do governo federal e do estadual, pois a frase que a crise nem começou assusta muito.

Gente precisa trabalhar para comer e comprar remédio.

 

Utilização politiqueira

Tanto o deputado Ivan Naatz (PL) quanto o deputado Milton Hobus (PSD) abusaram do discurso fácil de opositores antes mesmo de Moisés anunciar a prorrogação.

Naatz cobrou que o governo mostre as UTIs que estão sendo preparadas, pois sugere que elas não o estejam sendo, e Hobus, que está licenciado da Assembleia, chamou o governador de "idiota" em áudio divulgado para seu correligionários, a maioria do Alto Vale, onde disse que se reuniria com empresários para barrar as medidas e cravou que havia conversado com o deputado Julio Garcia, presidente da Assembleia, que ele não iria a reunião, depois de acusar Moisés de "usar os demais poderes" para cometer o equívoco.

 

Errou 

Hobus errou, pois Julio foi à reunião, na Casa d'Agronômica, que era presencial, juntamente com o desembargador Ricardo Roesler (presidente do TJ), o procurador-geral de Justiça Fernando da Silva Comin (chefe do MP) e o conselheiro Adircélio Moraes Ferreira Júnior (presidente do TCE).

Não dá para misturar questões partidárias e ideológicas com a gravidade do Coronavírus, embora Hobus tenha cumprido o seu papel em defesa da atividade econômica.  

 

Sensato

Para os mais destemperados, vale a lição do ex-deputado Gelson Merisio (hoje no PSDB), que, em uma rede social, ponderou sobre as decisões de Moisés.

E isso com a prerrogatuiva de ser um adversário assumido, opositor que disputou o segundo turno da eleição em 2018 com o atual governador, mas foi corretíssimo em sua intervenção. Merisio mostrou grandeza e civismo:

 

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia. Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis), e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, assina uma coluna no Diarinho (Itajaí), faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento), na 105 FM (Jaraguá do Sul) e na Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!