Setembro 17, 2020

Moisés e Daniela enfrentam o pior cenário

Moisés e Daniela enfrentam o pior cenário
FÁBIO QUEIROZ/AGÊNCIA AL

Somente na sessão regimental, marcada para as 9h desta quinta (17), é que será anunciado o procedimento durante a votação que deve aprovar o processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva e a vice-governadora Daniela Reinehr.

O clima desfavorável ao governador e à vice, que terão votação em separado, primeiro Daniela e depois Moisés, será o encerramento da sessão, que ainda deve dar espaço para cada um dos 40 deputados se manifestarem – embora o presidente Julio Garcia deva abrir mão deste –, depois da leitura da peça que aprovou a admissibilidade na Comissão Especial.

A votação será nominal, começa pela maior bancada, a do MDB, e depois virá o PSL e as demais, com a perspectiva de boa parte dos deputados de decisão rápida, e finalização até as 20h.

Nas últimas horas, o governador intensificou as conversas com deputados, algumas presenciais e outras por telefone, na busca de reverter a posição e atrás dos 14 votos que podem livrá-lo do prosseguimento do processo.

 

Assustador

O regimento da Assembleia prevê que cada partido teria direito a uma hora para manifestações durante a vota do prosseguimento do processo de impeachment.

Como são 13 siglas (MDB, PSL, PSD, PT, PP, PL, PDT, PSDB, PCdoB, PSC, Republicanos, Novo e PSB), seria necessário meio dia de espaço à tribuna, algo que o bom senso deve dirimir.

  

Sem afastamento

 

Depois de concluída a votação, se desfavorável a Moisés e a Daniela, os dois serão notificados da decisão pela sequência do processo em 48 horas, juntamente com a comunicação ao presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo Roesler.

Caberá ao magistrado, em até cinco dias, formar a Comissão Julgadora, um tribunal misto composto por cinco deputados (escolhidos por voto em plenário) e cinco desembargadores (escolhidos por sorteio).

Depois de formada a nova comissão, Roesler indica um relator, que terá a missão de se manifestar favorável ou não ao afastamento, por até 180 dias, do governador e da vice, quando assumirá o governo do Estado o presidente da Assembleia.

 

Imperdoável

Há gestos na vida pública que revelam mais do que posicionamentos políticos ou ideológicos e a decisão do deputado Rodrigo Minotto (PFT) em se licenciar e abrir espaço para Cesar Valduga (PCdoB), suplente e ex-deputado, votar na sessão extraordinária desta quinta (17), é emblemática.

Um dos mais paparicados parlamentares por Moisés no Sul do Estado, Minotto preferiu encontrar uma desculpa de última hora para fugir da responsabilidade, principalmente sendo da base onde estão Ada de Luca (MDB), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Jessé Lopes (PSL) e o presidente Julio Garcia (PSD), e deixar alguém em seu lugar que votará contra o governador e a vice.

 

Menos um

O eleitor, nestes casos, sempre optará entre covardia ou traição, nunca verá como uma atitude nobre a de Minotto, tampouco que contabilize votos.

O deputado era dado como certo na defesa do governador e da vice, um dos cinco votos nas contas menos generosas.

 

Sério

Se seguiu todos os passos que anunciou, o deputado Fabiano da Luz, líder do PT na Assembleia, se reunirá juntamente com a bancada e o diretório estadual para avaliar, nesta quinta, a posição sobre o prosseguimento do processo de impeachment contra o governador e a vice.

Durante a semana, até o presidente estadual petista, o ex-deputado Décio Lima, esteve com Fabiano para tratar do assunto delicado e o líder garantiu à cúpula que a maioria dos quatro deputados decidirá em caso de divergência.

 

MONTAGEM SOBRE CAPAS DE SITES

REPERCUSSÃO NACIONAL

Não há uma capa de site nacional que não tenha dado destaque para a Operação Alcatraz em Santa Catarina e a denúncia contra o deputado Julio Garcia (PSD), presidente da Assembleia. Há dois dias, os principais portais dão mais relevância ao esquema de corrupção, levantado pela Polícia Federal e Ministério Público Federal, agora à disposição da juíza Janaina Cassol, da Justiça federal, do que os veículos do Estado, já que, por aqui, alguns sequer aprofundaram o tema. Na versão nacional de o Estadão, O Antagonista, O Globo e Veja, um dos pontos que mais chamam a atenção é a amizade de Julio com Nappi Júnior, ex-secretário estadual adjunto de Administração, e a suposta compra compartilhada de uma lancha entre ambos, uma Phantom 300, avaliada em mais de R$ 360 mil. Nem uma viagem à Disney e vagas de garagem, que constam-na denúncia do MPF, escaparam das manchetes. Além disso, contextualizaram com a possibilidade de Julio vir a ocupar o governo do Estado com o eventual afastamento de Moisés e Daniela.

 

Lançada

A esquerda raciocinou e, em Florianópolis, criou uma frente ampla que terá Elson Pereira (PSOL) para prefeito e o vereador Lino Peres (PT) para vice, lançada nesta quarta (16).

Toa a construção teve o apoio de Janaina Deitos, do PCdoB, que também pleiteava a condição de companheira na chapa de Elson.

 

JOÃO CAVALLAZZI/DIVULGAÇÃO

ANGELA VAI PARA A LUTA

Para que defendia que só existiria de fato uma eleição com o debate de idéias e uma adversária capaz de desiquilibrar a candidatura à reeleição de Gean Loureiro (DEM), a deputada federal Angela Amin (PP) confirmou que vai disputar o cargo em novembro. De quebra, Angela garantiu o atual vice-prefeito, João Batista Nunes (PSDB), como companheiro de chapa, uma resposta dos tucanos ao desdém que Gean fez com a sigla. E o PP fez convites formais para o MDB, do senador Dário Berger, e ao PSL fazerem parte da coligação. O Progressistas constrói uma aliança interessante, onde esquece antigos ranços e constrói pontes, que podem ter desdobramentos em 2022. Convencer o eleitor de que a composição é viável e que os dois mandatos de Angela à frente da prefeitura representam um trunfo passa a ser uma prioridade.

 

Alternativos

Ricardo Vieira (Solidariedade) e Guaraci Fagundes (PV) formaram a dupla entre as chapas alternativas que concorrerão à sucessão de Gean Loureiro.

O nome da  aliança é mais do que sugestivo Floripa + Verde e Solidária.

 

Mudou

Parte da grande debandada emedebista de Joinville, que apoiava Rodrigo Fachini (PSDB) à prefeitura, aceitou que ele virasse vice do deputado federal Darci de Matos (PSD), que terá o reforço do ex-deputado federal Eni Voltolini, na coordenação do plano de governo, e do deputado federal e ex-vice-prefeito Rodrigo Coelho, na coordenação de campanha.

Darci garantiu o PP e o PL na mesma coligação, está forte.

 

DIVULGAÇÃO

SEM ESQUECER LUIZ HENRIQUE

O deputado estadual Fernando Krelling (MDB) já foi o vereador mais votado de Joinville e aos 38 anos de idade não deixa de reverenciar as conquistas do passado no seu projeto para dar uma nova cara à gestão de Joinville. Para tanto, acreditem, conta com o apoio de gente muito experiente, como o prefeito Udo Döhler e a suplente de senadora Ivete Appel da Silveira (foto, durante a convenção), que trouxe mais do que o apoio da família do ex-governador e senador Luiz Henrique, de três vitórias à prefeitura do maior colégio eleitoral catarinense. Krelling terá a professora Rosane Bonessi como vice, uma chapa pura do MDB, e conta com o apoio do PSL, PSC e do PRTB.

 

Não é inédito

Na busca de apoio da maioria do eleitorado, não só Krelling apostou na dobradinha com uma mulher na chapa, caminho também seguido por Ivandro de Souza (Podemos), que terá Angélica Ponciano (DEM) ao seu lado.

Ivandro, que lidera a Aliança por Joinville, está de olho nas estatísticas do TRE que mostram que, em Joinville, entre os 403,5 mil eleitores, há 16 mil mulheres a mais do que homens.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis) e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, faz comentários na Rádio Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!