Maio 02, 2019

Muitas rádios e TV transmitem futebol à distância

Muitas rádios e TV transmitem futebol à distância
Claiton Selistre

Uma circulada pelas cabines de imprensa do estádio da Ressacada ontem, dia primeiro, em Florianópolis, mostrou a dura realidade dos meios de comunicação diante do futebol: é cada vez menor a presença da crônica esportiva em jogos ao vivo.

As emissoras locais comparecem, mas a TV deixa comentaristas e narrador em estúdio descrevendo aquilo que o telespectador já vê: a imagem enquadrada em 16X9, sem detalhes periféricos. 

Outro detalhe: das cinco rádios que narram futebol em Porto Alegre, apenas a Gaúcha tinha narrador. As outras três não saíram da capital e da frente do aparelho de TV.

O futebol se transformou em um produto caro para as rádios, além das dificuldades de obter informações exclusivas em campo, onde os repórteres são proibidos de entrar. Uma leva a outra e as duas levam o futebol a ficar sem graça.

Percebe-se, no entanto, que o meio digital já está ganhando espaço, mostrando futuro breve.

 

 

GRITÃO

O melhor jogo de ontem em todo o mundo foi Barcelona e Liverpol, onde os espanhóis ganharam de 3 a 0, com dois de Messi. No jogo de volta, o Barcelona tem vantagem.

O difícil foi aguentar a narração de André Henning, conhecido com o "gritão". Como o jogo foi na TNT, assumindo a bronca que era do extinto Esporte Iterativo, sabe-se quem está gerenciando isso. Provavelmente ninguém entendido da área. Só pode!

 

 

Mudanças

Até o final do ano teremos mexida no meio televisivo. Vai ter o lançamento da CNN Brasil, um contraponto à Globo News e que provavelmente vai matar de vez a fraca Band News. E também a venda dos dois canais da Fox, que estão há um mês a procura de comprador.

É possível prever que em curto prazo haverá toda uma nova discussão sobre direitos de futebol, ameaçando a Globo que tinha hegemonia. Hoje ela não tem Champions, direito de escolha em alguns jogos da Libertadores e nem o Palmeiras no Brasileirão. O elo foi rompido.

Veremos no que vai dar.

 

 

Ponto verde

Circula em grupos de WhatsApp um aplicativo que mostra o som de rádios em qualquer lugar do mundo. É só tocar o ponto verde.

Serve de curiosidade e também para confirmar que temos aqui em Floripa o privilégio de ouvir uma rádio de classe mundial, a Itapema FM.

Confira aqui.

 

 

De saída do SBT

Bruna Andrett deixou a chefia de reportagem do SBT. Vai ser gerente de jornalismo na editora Supernova.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!