Junho 25, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Antunes Severo e Teixeirinha

1 - Futebol

Na foto, Antunes Severo exerce a função de “baliza” nas transmissões esportiva da Rádio Diário da Manhã, nos anos de 1950, do século passado. Na oportunidade, entrevista Nildo Teixeira, o Teixeirinha, jogador do Carlos Renaux e craque do futebol catarinense. “Baliza” era o substantivo que se usava para identificar o repórter de campo. O aparelho que segurava, com uma das mãos, servia de microfone e retorno. Pela foto e pelos personagens que conheci, em vida, indo a campo e trabalhando, repito o que dizia Leonel Brizola: “Eu venho de longe". De um tempo em que o céu era de poucos, que o avião era um avião e não um ônibus.

Desde então, venho caminhando, deixando minhas marcas no caminho. Aprendi a ler e a escrever um oficio e o hábito de apurar fatos para não deixar que as minhas emoções sejam traiçoeiras, sem que as opiniões e desejos reflitam desconhecimento, individualismo e infantilidade. Diante de minha experiência de vida, me assusta o fato de que as quase 54 mil mortes contabilizadas até aqui não afetem o comportamento de dois dirigentes do Avaí, um dando entrevista a uma emissora de rádio, Marquinhos Santos, e o outro, Francisco Battistotti, divulgando uma nota oficial como se a vida estivesse normalizada. Em que mundo eles vivem? Quando defendem o direito de jogar em “casa”, na Ressacada, esqueceram de olhar para a pandemia que nos rodeia.

 

2 - Flamengo

No ano passado, em 7 de setembro, quando a CBF interditou o Estádio Aderbal Ramos da Silva por causa da iluminação, o presidente Francisco Battistotti transferiu o jogo contra o Flamengo, válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019, para a cidade de Brasília e ninguém reclamou que o clube foi prejudicado ou muito menos do fato de que os torcedores não foram consultados. Neste dia de setembro, o Avaí teve um público de 45 mil pessoas, 9 mil a menos dos que morreram de Covid-19 até agora no Brasil.

 

3 – Mundial da Colômbia

Faltando oito meses para o início do mundial de 1986, que deveria ser realizado na Colômbia, a FIFA transferiu o Mundial de 86 para o México. A Colômbia alegou falta de dinheiro para atender o Caderno de Encargos da FIFA. Assim, o México foi escolhido, pela segunda vez, como sede do “Mundial 86”. Ninguém reclamou ou foi prejudicado.

 

4 – Champions 2020

As oitavas de finais da Liga dos Campeões da Europa deste ano serão disputadas em jogos únicos, em Lisboa, no Estádio do Sporting. Será a chamada: “Final Oito”. A disputa dos quatro jogos que faltam poderá ser em Lisboa, no início de agosto, não mais na “casa” dos clubes: Manchester United; Bayern; Barcelona e Juventus. Nenhum deles protestou ou emitiu nota oficial se dizendo prejudicado.

 

5 – Prejudicado?

Onde está escrito, no Regulamento Geral das Competições da FCF, que o Avaí e Figueirense têm que jogarem as oitavas de final em seus estádios? E onde está escrito, que o primeiro colocado da fase de classificação, deva ser proclamado campeão do ano? O primeiro jogo do Avaí contra a Chapecoense, em Chapecó, está previsto para acontecer no dia 8 de julho. Nem foi realizado, e o que parece é que o Avaí está se sentindo derrotado, prejudicado antecipadamente?

 

6 – Você sabia?

O Regulamento Geral da Competição citado pelo Marquinhos Santos, gerente de futebol, e Francisco Battistotti, presidente do Avaí e da Associação de Clubes de Futebol, deveria ser de conhecimento dos dois. No texto do art. 125, li que os clubes participantes das competições se obrigam e se comprometem a impedir ou desautorizar por escrito, que terceiros, pessoa física ou jurídica pública ou privada, façam uso de procedimentos extrajudiciais ou judiciais para defender ou postular direitos ou interesses próprios ou privativos dos clubes em matéria ou ação que envolva diretamente a FCF, ou que tenha reflexos sobre a organização e funcionamento da FCF ou das suas competições. Eles leram? Você sabia?

 

7 – Colocar em risco o direito à vida

O artigo 134, parágrafo 2º, diz que em caso de no estádio que o clube utilize habitualmente ocorrer alguma situação excepcional, como intempéries da natureza ou motivo de força maior que o inabilite para sediar competições, conforme os critérios a serem analisados pela CIE/FCF, o clube deverá indicar outro estádio de preferência na região, devidamente aprovado pela CIE/FCF; e acrescento que para jogar o clube necessita de laudo dando condições sanitárias e de higiene, lavrado pela Vigilância Sanitária Estadual ou local, e se o estádio colocar em risco o direito à vida, à saúde ou à segurança dos torcedores... Preciso escrever mais alguma coisa?

 

8 – Pênalti, nova ordem

Liguei para o vice-presidente da FCF, Marco Antônio Martins, e perguntei:

- “Da altura da manga curta da camisa dos jogadores para cima não é mais braço, agora é ombro e não se marca pênalti? Estou certo ou no Brasil a regra é outra?”

Ele respondeu:

- “Estas certo!”

 

10 – Reunião na PMF

O presidente da FCF, Rubens Angelotti, esteve reunido com o Secretaria da Saúde da Capital, doutor Carlo Justus, e registrou que tanto a FCF quanto a PMF estão preocupados com a crise sanitária e que enquanto ocorrer riscos de o direito à vida, o retorno das atividades normais, entre elas os jogos de futebol, na Capital, estarão condicionados aos registros de contaminação de Covid-19, que teve um aumento nos últimos dias na região.


Angelotti e Dr. Justus

 

11 - Tiery Henry

Disse que para ele, uma das coisas mais importantes em um jogo de futebol é passar a bola e aonde coloca a bola para determinado jogador. É destro ou canhoto, alto ou baixo. E, em toda a história, o melhor passador que ele conheceu foi Michael Laudrup.

 

Fim.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Julho 13, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Julho 09, 2020

Nossa Jogada

Julho 06, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Julho 02, 2020

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC. Além de colunista no Portal Making Of é comentarista na Rádio Guarujá.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!