Setembro 10, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Estádio Adolfo Konder

1 - Salvatina Soares fez 100 anos

Dona Salvatina Soares, esposa do Valoca, zelador do Campo da Liga, onde morava com a família. O Campo da Liga, nomeado Estádio Adolfo Konder, palco de histórias de honra e glória de quem jogou futebol profissional naquele gramado careca. Tempo em que os edifícios públicos como: escolas, colégios, ginásios de esportes e estádios de futebol tinham zeladores. Hoje contratam uma empresa para fazer manutenção e outra para a segurança. Eu sinto saudades do Campo da Liga.

Para lembrar um pouco este tempo, a outra foto descreve um tempo que valia tudo para ver um jogo de futebol. O velho ponto de ônibus, abandonado, quebrado servia. Se fosse amigo das filhas do seu Valoca ou de um amigo dele, como a turma do Gêga, China, Beto Bandeira, Malhado, Paladino, Roberto Vaz, bastava dar a volta, que do outro lado, o portão estava sempre aberto, entrar e passar cumprimentando a dona Salvatina. Ela virava o rosto e fingia que não via o furão...

 

2 – Falta um gol

Quem gosta de futebol sabe que só falta um gol para a Chapecoense arrematar o título que está em poder do Avaí. Mas precisa fazer este gol em Brusque, no domingo, o que obrigaria o time adversário a fazer três gols. Ontem, 9, terminou 2 a 0, como aconteceu contra o Avaí no primeiro jogo da fase eliminatória do estadual. Lembrando que nos últimos cinco anos, o time de Chapecó, sem jogadores de renome, com experiência, com aprovação da torcida como disse o Marquinhos Santos, disputa o título estadual. O Brusque achou que tinha ganhado e pensando na Copa do Brasil e na Série C, perdeu.

 

3 – Avaí e Geninho

- Temos um jogo (amanhã, sexta-feira) em casa, contra um candidato a promoção, que é a Ponte Preta. Temos que somar pontos para se aproximar do G4. E as definições ocorrerão mais adiante.

Será que eles pensam o que dizem? Por pontos corridos todos os jogos valem, seja fora ou em casa. Pior é quando pensam assim: “Há uma balança grande na Série B. Esse ano o panorama é diferente. Muitos times brigam na frente e não podemos ficar muito longe”.

Todos os clubes disputam a promoção. Neste início de campeonato não existe uns são melhores do os outros. São todos iguais, como ele mesmo disse: “As definições ocorrerão mais adiante”. Ele e os jogadores do Avaí precisam vencer 22 jogos. Não pode é deixar – como aluno malandro, tudo para o fim do curso.

 

 4 – Com calma

O Figueirense encontrou em Cuiabá, na terça-feira à noite, no 0 a 0 contra o time da casa, uma desculpa para esquecerem a invasão, as injúrias e as agressões no último sábado. A desculpa:  um erro da bandeirinha, só visto na ampliação de uma foto. Um impedimento de risco, de grossura da meia, do bico da chuteira, sem permitir a auxiliar, o princípio do “in dúbio pro reo”. Assim, o Figueirense voltou como vítima, mais uma vez, e segue seu calvário de lutar para permanecer na Segunda Divisão. O time não tem dinheiro, quase faliu, quando foi para a terceira divisão e a torcida esquece que disputa a segunda e quer um time de primeira.

 

5 – Taxa de vitrina

Evanilson, 20 anos, jogador do Tombense, ligado ao Uram, emprestado ao Fluminense, foi jogar na Europa, não para a Inglaterra. O Porto, de Portugal, veio, pagou a multa que estava no contrato e levou o jogador. O Flu levou a taxa de vitrina de 20% e mais 10%, o que equivale R$ 13,5 milhões dos R$ 47,4 milhões pagos pelos portugueses. Ontem, dia seguinte a esta negociação, o Fluminense perdeu para o Flamengo por 2 a 1. O dinheiro de Evanilson servirá para quitar salários atrasados de Nenê e Ganso, craques de futuro.

 

6 – Amo e senhor do gol

Na terça-feira a seleção de Portugal que disputa a Copa das Nações da UEFA bateu a Suécia por 2 a 0. Advinha de quem foram os dois gols e cada um mais bonito do que o outro? Cristiano Ronaldo, que com estes dois soma o 100º gol por Portugal. Cristiano, com os dois que fez, soma 101 pela seleção de Portugal e tentará passar o legendário: Ali Daei, do Iran, com 109 gols. Seguido de Puskas, húngaro, com 84; Kamamoto, japonês, com 80; Chitalu, de Zâmbia, com 79; Messi, argentino, com 70: Neymar Jr., brasileiro, com 61 e Lewandowski, polonês, com 61 por suas seleções. Pelé, com três Copas do Mundo (1958; 1962 e 1970), é o artilheiro do Brasil com 77 gols.

Tens tempo? Então veja os 10 melhores e escolhe um clicando aqui.

 

7 – Lamentações e rezarada

Esta louvação religiosa, depois de um gol, é proibida pela Fifa. Qualquer manifestação religiosa e política, segundo os estatutos da Fifa, atentam contra a heterogeneidade do público no estádio e na TV, ferindo o sentimento do outro, que professa outra religião. São atos privados que não deveriam vir a público. Um jogo de futebol não pode ser um veículo de propagação de religiões ou fé. Imagine um muçulmano festejando um gol, ajoelhado, se curvando três vezes em direção ao leste. Se um cristão pode, ele também pode. “Não misturem alhos com bugalhos”, dizia minha avó.

 

8 – A melhor entrevista

Não é que escutando Ander Herrera, jogador espanhol que atual pelo PSG, depois de um jogo deu uma entrevista que considero a melhor em todas que escutei durante a minha carreira como jornalista, acompanhando o futebol. Escutem e tente entender em espanhol, aqui.

 

9 – Semana passada

Me lembrei de uma frase comum no futebol que escuto dos dirigentes quando perguntam se está interessado em determinado jogador.

- Todo bom jogador interessa!

Que tal Messi? Tem 33 anos de idade.

E veja este anúncio.

 

10 - Investidores

Tem investidor que paga salário de jogadores, não sei a troco do que. Que salvam os clubes da falência e pelo visto o mundo do futebol, no Brasil, anda cheio de empresários e investidores. Nunca vi e não sei porquê os ex-jogadores de futebol ricos não investem no futebol brasileiro e nos clubes, até por gratidão?

 

11 – Valdívia

Alguém escutou, numa roda de bate-papo, o presidente do Avaí respondendo uma pergunta sobre o Valdívia, se este não estaria custando muito caro pelo futebol que está jogando.

- Ele é jogador do Internacional e está emprestado ao Avaí, até o final do ano.

Meu amigo, sentado ao lado ainda escutou: “Ainda bem que o Inter paga 80% do salário dele. Ainda bem”

Eta presidente bom!

 

12 – Rodízio

Ainda ontem escutei numa rádio: a temporada é longa, o time precisa de grupo, tem jogo a cada três dias. Se tem grupo, não há problema fazer rodízio. Não é?

Me diz outra coisa: Gabigol ficou no banco, entrou, fez um gol e foi reclamar, desabafar ou sei lá o que. Mas me diga: em oito (8) jogos ele só marcou quatro (4) gols. Nos jogos que entrou e não marcou o treinador faz o que?

Como tem gente torcendo contra o treinador Dome, do Flamengo.

 

13– Só sobre se...

Depois de disputar 38 jogos, 19 em casa e 19 fora. Some: se passar de 64 pontos - sobe. Nas tabelas de classificação dos últimos 10 anos, um dos times que subiu, precisou somar mais de 64 pontos. Pelos cálculos um time só pode perder 10 jogos dos 38 que joga até o final da campanha.

 

FIM.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Setembro 21, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Setembro 17, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Setembro 14, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Setembro 07, 2020

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC. Além de colunista no Portal Making Of é comentarista na Rádio Guarujá.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!