Setembro 17, 2020

Nossa Jogada

Nossa Jogada
Gabriel Guimarães ex-Avaí e Neymar Jr, o reclamão.

1 - Racismo

Eu não sei e não ouvi. Publicaram um áudio de uma denúncia de racismo sobre o Neymar Jr.. Vi as imagens da TV. O comportamento de alguns jogadores não foi exemplar. Uma vergonha o que protagonizaram no encontrão de PSG e Olimpique. A rivalidade entre Marselha e Paris remonta a Revolução Francesa; a guerra com a Argélia; a Marselhesa; o hino e a imigração segundo a história da França. O Olimpique de Marselha é o único clube francês com título na Champions[i]. O PSG é um clube com raiz estrangeira, instalado em Paris, a capital cujas elites intelectuais miram o futebol como coisa de provincianos. Neymar pegou dois jogos por agredir Álvaro, a quem acusa de racista. Este será investigado.

2 - Gabriel Guimarães aqui ficou e castigo

Assisti a estreia de Gabriel Guimarães no Arsenal contra o Fulhan FC. Na foto acima com a camisa do Lille. No jogo marcou um gol de cabeça, disputa válida pela Liga Inglesa. Torcedores do Avaí ficaram felizes. Estes são os primeiros que vaiam os juvenis e aplaudem os velhos de segunda mão que chegam ao clube. Esta transferência do jogador avaiano do Lille para o Arsenal, deixou o presidente Battistotti feliz com o dinheiro que recebera, pelo mecanismo de solidariedade pela formação do atleta. Gabriel começou a jogar futebol profissional no Avaí.

3 - Raça e cor da pele

Atenção a estes nomes: Wanderley Luxemburgo, Roger Machado, Gentil Cardoso, lula Pereira, Gradin, Paulo Silas, Serginho Chulapa, Clarence Seedorf, Tim, Zé Carlos, Pingo, Frank Rijkaard, Didi, Francisco Maturama, Jean Tingana e Andrade, este campeão em 2009 pelo Flamengo. Todos eles têm uma coisa em comum: a cor da pele.

4 - Racismo que aprendi

Segregação[ii], lugar no banco de trás dos ônibus, banheiro separado, não frequentar os mesmos lugares que os brancos, escolas diferentes... O que escuto me aprece ofensa racista não ato de racismo[iii]. Escute bem o que andam falando sobre o treinador do Flamengo. São os mesmos que falam em racismo no futebol. Eu penso que quando alguém chama o outro de negrão, quem se ofende são os brancos. Os mesmos que chamam outros de alemão, argentino de gringo, nordestino de “paraíba”, baiano de preguiçoso, gaúcho de gay...

Eu desculpo o outro que, na hora da raiva, ofende a mãe, o pai, a vovó e até se refere a cor da pele. Racismo existia nos USA e na África do Sul, no Brasil chamo de preconceito racial e social. Não esqueça que os brancos, que viviam anos ou nasceram na África, foram jogados no mar de volta para a Europa.



5 - Tour de France

É um tour de bicicleta por todo o país. Ciclistas profissionais disputam etapas de velocidade, resistência, contra o relógio e escaladas pelos Pirineus e Alpes, por este imenso jardim que é a França. A paisagem me enche os olhos e vontade de estar lá. Época também de reencontrar o Afonso Gentil Ramos, ex-ciclista, com ele viajo nas bikes de Franco Sala, Milton Dellagiustina e Samuel Santos, este último correndo em “bicicleta” pelas ruas da cidade, nas provas de Volta ao Morro. 

Mas o Tour de France sabe? Envolve 176 ciclistas divididos em 22 equipes competindo em 21 etapas percorrendo pela Franca 3.484,2km. O tour gera riqueza e empregos. A cada final de etapa, seja numa montanha ou dentro de uma cidade, ocorre a “competição”. A festa termina, domingo em Paris, nos Champs-Élysées.

6 - Recado

Para o Battistotti e para o Boppré: um time de futebol para participar de uma temporada de oito meses não necessita mais do que 18 jogadores, o resto completa com juvenis. Me diz se os reservas do Betão ou do Alemão jogam mais do que eles? Imagine o reserva do reserva do Betão e do Alemão se jogam alguma coisa?

7 - Volta do Público

Aos estádios, que tal assim: nas sociais cabem 4.000 torcedores, então uns 400 podem separados, com cadeira marcada, assistirem aos jogos nas sociais. Quem não obedecer ao “regulamento” e não sentar nos lugares marcados: rua como era no cinema. Nesta sexta-feira, o Allianz Arena do Bayern abrirá as portas para os torcedores, quando enfrentará ao Schalke. Serão permitidas 15 mil pessoas, onde cabem 75 mil torcedores.

8 - Segunda Divisão

Time de segunda: jogadores de segunda dispensados pelos grandes; treinador de segunda; estádios de segunda e arbitragem de segunda. Querem o que na Segunda Divisão? Árbitro da FIFA?

9 - Pênalti

O Núcleo de Inteligência do Avaí – os outros não têm ou não são, elaborou um vídeo sobre os lances reclamados no empate com o Confiança na terça-feira, com razão se na Segunda Divisão tivesse VAR. Não tem. Então ficará apenas no registro de que nas imagens enviadas pelo Avaí, o árbitro errou. Ser humano é assim: erra. O Gaston não errou a cobrança de pênalti? Isto é futebol. O Avaí já teve a seu favor gol ilegal e o estádio festejou. E a vida é assim: um dia erram contra, noutro erram a favor.

Neste jogo e no pênalti, menos mal que o Valdívia salvou o Gaston, senão o Geninho estaria reclamando até hoje. Ah, e preparador de goleiro não tem nada que interpelar o árbitro no meio de campo, ao final da partida.

No jogo do Avaí o pênalti que era uma cobrança de “Copa do Mundo” e o Gringo foi para a bola como se estivesse participando de um rachão.

10 - Figueirense

Lucas, aos 32 anos, lateral direito formado no clube, anunciou que encerrou a carreira de jogador profissional. Ele chegou à seleção brasileira como André Santos e Felipe Luis também formados no clube. Mas ainda há torcedores e dirigentes que acreditam em trazer jogadores reservas ou dispensados de times paulistas irão transformar o Figueirense em um clube de Primeira Divisão. Penso que é como o Guarani da Palhoça, formar um time com ex-jogadores de Avaí, Criciúma e Figueirense.

11 – Brusque x Ceará

Terminou com uma derrota de dois a zero, resultado difícil de reverter em Fortaleza. Brusque tem agora 33 jogadores, que continuarão defendendo o clube no brasileiro da Série C. A Copa do Brasil parece que terminou. Como gostam de gastar dinheiro, vendo o Baianinho, jogador de futebol de salão, jogando contra a Chapecoense e contra o Ceará. Deve ser um belo jogador de treino. No futebol brasileiro tem treinador de goleiro, mas não tem treinador de atacante para fazer gols.

 

[i] https://videos.marca.com/v/0_gjsryp78-el-marsella-saca-a-la-luz-una-agresion-no-vista-de-neymar-antes-de-pegar-a-alvaro?uetv_pl=futbol-internacional&count=2

[ii] Uma Historia Americana, The Long Walk Home, 1990, com Sissy Spacek e Whoopi Goldber.

[iii] Green Book: o Guia com Viggo Martensen e Mahershala Ali no canal HBO Mundi.

Tags:
futebol nossa jogada paulo brito
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Exclusivo

Nossa Jogada

Outubro 29, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Outubro 26, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Outubro 22, 2020
Exclusivo

Nossa Jogada

Outubro 19, 2020

Paulo Brito

Paulo Brito

Paulo Brito nasceu em Florianópolis, graduou-se em jornalismo na PUC RS em 1972, mas desde 1971 exerce o ofício de comentarista esportivo, tendo trabalhado em jornais, rádios e televisões nas praças de POA, SP, BCN e FLN. Foi professor do IEE: - Instituto Estadual de Educação e no Colégio Catarinense, profissão que o levou a UFSC: - Universidade Federal de Santa Catarina onde permaneceu até 1998. Foi membro da Comissão que criou o Curso de Jornalismo na Federal de SC.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!