Janeiro 13, 2020

O desafio da CNN Brasil é maior do que bater a GloboNews

O desafio da CNN Brasil é maior do que bater a GloboNews
Foto: Montagem/Reprodução

Depois de 40 anos gerando notícias para o mundo, a partir de Atlanta, Estados unidos, a CNN vai inaugurar a filial brasileira em março. É um investimento do empresário mineiro, dono da MRV, e do pessoal que deixou a Record, liderado por Douglas Tavolaro, sobrinho do bispo Edir Macedo.

Uma das questões que cerca a futura operação é qual será a linha editorial. Aquela conhecida mundialmente pela isenção e relatos atualizados, estilo americano, ou mais alinhado com o poder?

O maior desafio, no entanto, é o mercado de TV fechada, em queda livre de assinantes e audiência. São 15,9 milhões de assinantes, com uma diminuição de 10% na base, segundo o Kantar Ibope. A GloboNews, conforme levantamento do jornalista Ricardo Feltrin, está com sua pior audiência desde 2016,  em 11º lugar, com apenas 0.93 % de share em 2019.

Se a emissora da Globo, com o apoio de toda a estrutura de rede, está com esse problema de público, conseguirá a CNN sozinha, com estúdios em Rio, São Paulo e Brasília tomar conta do mercado de notícias?

Não se sabe também, exatamente qual a programação da CNN. Mas indícios não são animadores. Evaristo Costa, por exemplo, uma das atrações do canal e atuante nas redes sociais, deverá fazer um programa semanal de Londres. Se for apenas isso, o impacto será “zero”.

É claro, tem William Waack no time, entre outros destaques ex-globais como Monalisa Perrone, Philipe Siani  e Mari Palma.

Do que eles serão capazes? Resposta em pouco mais de dois meses.

 

Pegadinha do G1

O canal de notícias online da Globo, G1, o mais lido do Brasil, vai perder público se continuar tentando enganar o usuário, como no fim semana. Quem abria o vídeo de uma notícia, era surpreendido por um comercial de trinta segundos sem possibilidade de encurtar. Era ver ou desistir da informação.

 

Botox

Tem gente no vídeo abusando da aplicação de botox e na produção de sobrancelhas artificiais. É um festival de testas lisinhas, rostos sem expressão e sobrancelhas arqueadas, parecendo logotipo do McDonald´s.

Menos, pessoal!

 

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!