Fevereiro 13, 2020

O líder que é crucial para Moisés

O líder que é crucial para Moisés
BRUNO COLLAÇO/AGÊNCIA AL

Ainda sem horário definido, o deputado Valdir Cobalchini (MDB), na foto, deve se encontrar nesta quinta (13) com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) para tratar de um assunto fundamental para a administração estadual: o novo líder do governo na Assembleia.

Cobalchini deve ser convidado formalmente para a função, mas a tendência é que não aceite o pedido do governador, não só em função do posicionamento da cúpula emedebista, que rechaça a ideia, como pelo desgaste que a pauta Legislativa exigirá do ocupante da liderança.

O que se antevê da conversa é que Cobalchini não irá de mãos vazias ao encontro de Moisés, levará a ele pelo menos uma proposta, de se cercar de mais deputados, uns quatro ou cinco, que participem das articulações favoráveis às matérias do Executivo, visto que a base de apoio está cada vez  mais diluída ou desesperançosa.

 

Namoro antigo

O nome de Cobalchini sempre apareceu nas apostas para a liderança do governo, pela proximidade de Moisés e pela independência na maior bancada da casa.

O episódio que culminou com o desembarque de Carlos Hassler da Secretaria da Infraestrutura foi prova da força do deputado, encorpada por um posicionamento unânime no parlamento.

 

E ela

A deputada Paulinha da Silva (PDT) costuma brincar com a possibilidade de virar líder do governo.

Resume que não foi convidada, entre sorrisos, e desconversa rapidamente com jeito de quem não estaria disposta à missão.

 

RODOLFO ESPÍNOLA/AGÊNCIA AL

ANTES PODIA, AGORA NÃO!

Presidente estadual do PSD, o deputado Milton Hobus encaminhou uma representação ao Ministério Público contra o que considera assédio do PSL a prefeitos para trocarem de partido. Hobus, que faz oposição ao governador Carlos Moisés, e, na semana passada, rasgou as respostas que recebeu do Executivo Estadual sobre o atraso na liberação de emendas parlamentares, quer que o MP acompanhe a execução de convênios e a liberação de verbas do Fundo Partidário nos municípios em que os prefeitos migrarem para o partido do governador. O deputado que representa o Alto Vale só esqueceu de  mencionar que a prática de cooptar prefeitos, histórica nas relações políticas no Estado e no país, foi uma das tônicas da presidência que o antecedeu nas hostes pessedistas, quando o então deputado Gelson Merisio, em nome de seu projeto político e alimentado pelas verbas de dois governos consecutivos de Raimundo Colombo, engordou o PSD em Santa Catarina.

 

Sobre o episódio

Independentemente disso, Hobus tem razão que há um limite para os convites e o processo de convencimento baseado em verbas públicas, enquanto denuncia que o presidente estadual do PSL, deputado federal Fábio Schiochet, leva uma “tabelinha de valores” quando visita lideranças e prefeitos.

O episódio que ele citou à tribuna da Assembleia, nesta quarta (12), demonstrou, mais uma vez, a necessidade de Moisés ter uma linha de proteção na liderança do governo, já que, às manifestações do presidente estadual do PSD, juntaram-se críticas de Ivan Naatz, líder do PL, e de Sargento Lima, líder do PSL (do B), ambos adversários do governador na casa.

 

Não desistiu

Defensor Público Estadual Ralf Zimmer Júnior avalia como vitória as decisões do MP, do TCE e do TJ em mudarem o entendimento sobre a equiparação dos salários dos procuradores do Estado com os da Assembleia, caso que ainda repercute nos bastidores, pelo menos no viés jurídico.

Na Assembleia, Zimmer, que circula por alguns gabineteas, procura um deputado que aceite propor, mais uma vez, a reabertura do processo de impeachment contra o governador e a vice-governadora, tarefa mais difícil depois que o presidente Julio Garcia arquivou a matéria.

 

Euforia no Sul

Reitora Luciane Bisognin Ceretta, da Unesc, comemora a posição de segunda colocada na instituição no ranking das Melhores Empresas para se Trabalhar no Brasil, na categoria terceiro setor, de acordo com a revista Época em parceria com o site Great Place To Work (GPTW).

Para a Universidade Comunitária o prêmio é ainda maior porque entre as 15 empresas destacadas no ranking é a única catarinense, orgulho que se repete, pois, em novembro de 2019, a Unesc apareceu entre as 15 melhores de Santa Catarina na categoria médio porte.

 

Até mais

O ministro-deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) perdeu o posto na Casa Civil muito menos pelas bobagens do seu ex-número dois, Vicente Santini, o que usou aviões da FAB para ir à Suíça e à Índia, do que pelas pesadas críticas que o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem feito a integrantes do governo. 

Onyx, pelo menos, fez as maldades que podia para Santa Catarina, para proteger interesses gaúchos e só depois perdeu musculatura no governo de Jair Bolsonaro, e se a máxima tiver certa, vem alguma bomba contra o ex-ministro já já.

 

Quase explicado

Um dos motivos que poderiam ter apressado a saída de Paulo Bauer da assessoria especial da Casa Civil, em meio ao desmonte para enfraquecer Onyx Lorenzoni, foi revelado nesta quarta (12), com a decisão do Ministério Público Federal de São Paulo denunciar o ex-senador catarinense por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, no Caso Hypermarcas, que caiu como uma bomba na campanha à reeleição, em 2018.

Estranho é que a delação premiada de Nelson José de Mello, ex-diretor da empresa, que deu origem à denúncia de que Bauer teria recebido R$ 11,8 milhões em propina para defender a empresa na área tributária sobre medicamentos humanos, havia sido objeto de pedido de anulação pela então procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ao ministro Edson Fachin, do STF.

 

DIVULGAÇÃO

REFORMA A MUITAS MÃOS

A secretaria adjunta da Fazenda catarinense, Michele Roncalio (no detalhe, à esquerda), voltou otimista da reunião que reuniu secretários da Fazenda (Finanças, Receita ou Tributação) dos estados e do Distrito Federal, onde o assunto Reforma Tributária evoluiu para a construção de uma proposta que ouça as unidades da federação e a União. O ministro Paulo Guedes (no detalhe, ao centro), da Economia, esteve presente ao encontro, que debateu o Plano Mais Brasil, composto por PECs, de caráter emergencial, dos fundos públicos e do pacto federativo, sonho de consumo histórico dos governantes brasileiros. O assunto é muito amplo e o temor dos estados passa pela absorção do governo federal do ICMS. Já quando o tema foca só nas PECs, Michele confirma que “a ideia é que sejam adotadas medidas de controle de gastos quando as despesas dos estados cheguem a 90% e quando atingirem 95% das receitas correntes, em resumo, mais aperto e prioridade para a gestão.

 

* SOBRE A LICITAÇÃO: Protocolado no Ministério Público um pedido do deputado Bruno Souza (NOVO) para instauração de inquérito civil visando apuração de possíveis irregularidades na aquisição dos 85 veículos da Secretaria Estadual de Educação com valores de R$ 120 mil a R$ 150 mil, uma cruzada do parlamentar, que apresentou novos elementos à denúncia que ele mesmo havia feito na Assembleia.

* INTELIGENTE: O deputado Marcos Vieira (PSDB) propôs e teve o apoio de todos os demais colegas de plenário para viabilizar uma emenda de R$ 20 milhões que serão divididos entre os 13 consórcios intermunicipais de saúde do Estado.

* EM ALTA: Pesquisa Industrial Mensal do IBGE mostra que Santa Catarina, além de Pará e Mato Grosso, são os únicos estados que, em 2019, tiveram desempenho na produção acima do nível pré-crise, enquanto Minas Gerais e Espírito Santo são os que estão mais longe da recuperação no setor.

* BAIXARIA, NÃO!: Cenas deprimentes encerraram antes do prazo a reunião da comissão especial da Câmara que discute Proposta de Emenda Constitucional sobre a volta da prisão após condenação em segunda instância, logo depois do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) chamar o ministro Sérgio Moro (Justiça e segurança Pública), que participava do debate, de “capanga da  milícia”, “capanga da milícia” e de “mentiroso”, gerar uma confusão com o deputado Eder Mauro (PSD-PA) e de ambos serem separados por outros parlamentares.

* LUTO: O jornalismo catarinense e do sul do país perdeu o colega Geraldo De Cesaro, de 61 anos, na noite desta quarta (12), um grande profissional, com quem tive a honra de trabalhar no Diário Catarinense, ainda no Grupo RBS. Um lutador até o final. Vá com Deus!

* HOMENAGEM: O corpo de Geraldo De Cesaro será velado no Crematório Catarinense, na BR-101, quilômetro 217, em Palhoça, a partir das 8h.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 35 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, editor-chefe, chefe de Redação, gerente e diretor de Jornalismo na RBS TV (Blumenau e Florianópolis), hoje NSC TV; na TV Record (Florianópolis) e na Rede TV Sul (hoje SCC SBT); comentarista na RIC TV (hoje NDTV) e na Record News; editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia. Atuou nas rádios União AM e FM (Blumenau e Florianópolis), e na Rádio Record da Capital. Atualmente, além do Making Of, assina uma coluna no Diarinho (Itajaí), faz comentários nas rádios do Grupo RCC (Bombinhas e Nova Trento), na 105 FM (Jaraguá do Sul) e na Cidade em Dia FM, de Criciúma, e é diretor de Conteúdo na TVBV (Band).
  • Youtube

Comentários