Dezembro 28, 2018

O MELHOR DO ANO

O MELHOR DO ANO

Fim de ano já é tradição. Redes de TV, jornais e revistas costumam relacionar os principais fatos que marcaram o ano que se encerra. Aqui na Drink4Fun, não é diferente. A coluna relacionou os assuntos mais relevantes do ano. No primeiro capítulo da Retrospectiva 2018, os principais lançamentos e prêmios da indústria:

Começando pelos lançamentos inusitados... A empresa de alimentos Smith & Sinclair criou uma espécie de pastilha que pode ser dissolvida em espumante, refrigerantes ou água gaseificada. A promessa é um coquetel “digno de um bar” em apenas alguns segundos. Em Blumenau uma chocolateria produziu uma variedade de doces com adição de insumos cervejeiros. O carro chefe é um chocolate ao leite com lúpulo Citra, que garante um sabor herbáceo e levemente amargo.

No Paraná uma cervejaria começou a usar lúpulo para saborizar água com gás. A H2OP recebe infusão de lúpulos de aroma, na maioria de variedades americanas (que tem forte aroma cítrico e de frutas tropicais). Não tem calorias, álcool, açúcar, alergênicos, lactose ou glúten.

E a rede TAJ apresentou o NIB, uma bebida secreta, feita à base de ervas, frutas e especiarias brasileiras. O misterioso destilado tem pelo menos doze ingredientes (entre eles o jambú), um sabor que lembra hidromel (embora não leve mel), notas salgadas e sabores herbáceos e picantes.

Entre os destilados, dois produtos clássicos em novas versões: o tradicional Havana Club, o segundo rum mais consumido no planeta (atrás do Bacardi), lançou uma edição exclusiva para bartenders. O Havana Club Professional Edition foi desenvolvido em parceria com a Associação Cubana de Bartenders. Já a Cîroc estreou no mercado norte-americano, a Black Raspberry. A vodka tem como base uvas francesas que foram destiladas cinco vezes junto com framboesas pretas e cítricos.

Na linha “lançamentos musicais” a banda de heavy metal Motörhead anunciou o lançamento de um rum escuro. Produzido em parceria com a empresa Brands For Fans, o rum dominicano foi envelhecido por oito anos em antigos barris de Bourbon. Já a banda alemã Scorpions decidiu produzir um whisky em parceria com a destilaria sueca Mackmyra. O single malt envelheceu em barris de bourbon americano, e teve uma rápida passagem por barris de vinho de cereja doce. O Metallica fez uma parceria com a WhistlePig para produzir o Backned American Whiskey. A bebida é uma mistura de Bourbon, Rye Whiskey e Whisky americano que foi envelhecida em barris de brandy.

Novidades mil também para os fãs da série Games of Thrones. Na linha de destilados a DIAGEO lançou uma série limitada do whisky Johnny WalkerBatizada de "White Walker" a bebida foi concebida para marcar a última temporada da série Game of Thrones que chega a HBO em 2019. Já a destilaria escocesa Dardhu está disponibilizando oito novos whiskys – um para cada temporada da série e para cada casa nobre de Westeros. Os rótulos lembram as bandeiras de cada família. E a Ommegang Brewery produziu uma cerveja em homenagem ao personagem John SnowKing in The North. A stout envelhecida em barril de carvalho foi lançada no comecinho do inverno nos Estados Unidos.

Em ano de eleição (e posições políticas polarizadas), empreendedores gaúchos criaram uma cerveja em homenagem ao presidente eleito Jair Bolsonaro. A bebida foi batizada de Mito. Já no Rio de Janeiro, um coletivo de cervejeiros caseiros criou dois rótulos que tem o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva como mote. As cervejas da série Lula Livre são do estilo Pilsen e Red Ale.

Entre as vinícolas, a chilena Concha y Toro lançou o novo Reserva Rosé, que substitui o atual Casillero del Diablo Shiraz Rosé. A bebida foi elaborada a partir de um mix de uvas – entre elas a Cinsault. Outrs novidade é a embalagem pintada, que transmite um toque adicional de glamour. Das empresas nacionais, a gaúcha Lídio Carraro apresentou um vinho fermentado em recipientes de terracota (cerâmica), tal qual era feito na Mesopotâmia. O vinho da safra 2018 é um corte com uvas Merlot, Pinot Noir e Nebbiolo.

Avançando para os premiados do ano, o alambique Bylaardt, de Luiz Alves, voltou da ExpoCachaça, em Minas Gerais, com uma medalha de ouro e outra de prata. A Wruck, também de Luiz Alves trouxe outra medalha de prata da ExpoCachaça.

O espumante Salton Prosecco ficou na lista dos dez melhores do planeta em uma competição realizada na França. O evento teve 600 concorrentes de mais de 20 países. Já o Moscatel da Vinícola Garibaldi levou o principal prêmio no Cata d’or Wine Awards, realizado no Chile. E no Concurso Internacional de Vinos y Licores, realizado em Mendoza, diferentes vinhos brasileiros conquistaram 37 prêmios. O concurso reuniu 478 amostras de 17 países.

O ano foi premiadíssimo para as cervejarias catarinenses. Em especial para a Lohn Bier, de Lauro Muller. A cerveja Carvoeira, produzida pela empresa, foi reconhecida como a melhor da América Latina, segundo os jurados do South Beer Cup, em Belém (PA).  No World Beer Awards, realizado em Londres, a Lohn Bier conquistou medalhas de ouro com cervejas como Carvoeira, IPA Serra do Rio do Rastro, e Carvoeira Wood Aged. Mérito também pra Barley Wine, considerada a melhor do país, no estilo. Já na Copa Cerveza da Americas, disputada no Chile, quem levou a melhor foi a mineira Wäls, com três medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze. Santa Catarina foi premiada com a Doppelbock da Bierbaum (Treze Tilias); as Catharina Sour da Schornstein (Pomerode) e da Lohn Bier (Lauro Muller) e com a Flanders da Stannis (Jaraguá do Sul). 

O núcleo paulista da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-SP), uma das mais influentes do país, premiou estabelecimentos e profissionais que se destacaram no ano. Carolina Oda, jurada do programa Mestre Cervejeiro Eisenbahn (Globo/Multishow), foi escolhida como a melhor sommelier de cervejas e o Apothek pelaa melhor carta de coquetéis. 


Buffalo Trace Distillery/Divulgação

Um bourbon produzido no estado de Kentucky foi considerado o melhor do mundo pelo World Whisky of the Year. A escolha foi publicada pela “bíblia do whisky”. O guia avalia e classifica mais de 4.600 uísques em todo o mundo (japoneses, bourbons, tenessee, irish, scotch, entre outros).

E o Dandelyan, de Londres, ficou no topo da lista dos melhores bares do planeta e foi considerado o melhor lugar do mundo para tomar um drink e relaxar. Vice em 2017, o Dandelyan ultrapassou o então campeão - também londrino - American Bar.

Na próxima retrospectiva da coluna, as novidades tecnológicas e as estratégias de marketing que movimentaram o setor em 2018. Até lá...

Tags:
vinhos cervejas cerveja artesanal drinks destilados whiskey gastronomia portal makingof
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!