Dezembro 24, 2019

O melhor do ano em multimídia - Por Claiton Selistre

O melhor do ano em multimídia - Por Claiton Selistre

Televisão

Foi tudo convencional na TV aberta regional. Nada de novo surgiu. Muitos produtos foram alongados para tapar os furos e salvar a audiência. Sem o devido aumento de equipe e, consequentemente, de qualidade. Quadros, por exemplo, que em TV de São Paulo duram dois ou três minutos, ficam de 10 a 15 no ar, em um vai e volta de entrevistados para responder perguntas feitas muitas vezes por eles mesmos.

O JÁ está parado no desafio do tempo, mas segue com audiência regional, embora tenha perdido a liderança top das afiliadas Globo, conquistada há muitos anos.

Ao meio-dia, o localismo mais diferente, está no SBT.  A vinda de Maria Ester, de Joinville, para se somar a Fernando Machado e Cibely Favero, foi muito positiva. O jornal é leve e alegre, superando as dificuldades de cobertura factual por falta de reportagens externas. A vinda de dona Maricota é uma forma de agradar a comunidade, mas é preciso avaliar o alcance da medida junto ao público.

O Balanço Geral, só com Rapahel Polito, ainda não repercute como deveria, apesar dos excelentes repórteres que tem. Vai melhor na Hora da Venenosa.  A audiência sobe com o programa de amenidades em cima do Jornal Hoje e em especial sobre o “terrível” “Se Joga”.

 

Prime Time

À noite, o NSC Notícias continua o seu triunfo, protegido entre novelas, enquanto o noticiário da ND TV tenta alçar novo voo, com apresentação de Ildiane Silva – e ainda contida no horário onde já foi a melhor do Estado. E junto com os comentários convencionais de Paulo Alceu.

Quando se trata de acompanhar um fato jornalístico, a ND tem tido melhor performance, tanto na rapidez quando em amplitude. Em vários momentos usou tela dividida com três repórteres.  

 

Fato do Ano

Não há maneira diferente de destacar o fato do ano à comemoração dos 50 anos do Jornal Nacional com a ida de dois âncoras da NSC Comunicação para a bancada. Mário Motta e Fabian Londero cumpriram bem a missão, com direito a upgrade no ano que vem de Fabian.

 

Rádio

O rádio sobrevive heroicamente, como sempre.  Em 2019 levou muitas pancadas com o futebol catarinense. Baixou de divisão. A demissão de alguns profissionais interferiu no jornalismo da CBN Diário, que cedo da manhã e à noite vive de gravações longas e sem conteúdo informativo, e na Guarujá só não piorou porque já está na pior há anos.

As equipes esportivas salvaram as honras das emissoras, lutando com os custos altos e evitando viagens para acompanhar os clubes da capital. É o que garante audiência e receita. O veículo tem chance de se renovar com o ganho de alcance da internet, mas no momento só se aproveita disso mandando abraços para quem está ouvindo em casa, em algum boteco ou churrasco.

 

Popular

Para as rádios populares, o ano termina mal. A Rádio Magia, do empresário Vodal Lohn, que começou há um ano disposto a desbancar a Regional, não conseguiu. Demitiu todo mundo e agora está tentando refazer o projeto, ao que parece para concorrer em outra faixa de público. 

 

Os melhores de 2019

Narrador: Paulo Branchi, CBN/Diário;

Comentarista: Chico Lins, CBN/Diário;

Repórteres: Cadu Reis, CBN/Diário, e Jean Romero, Guarujá;

Plantões: Luiz Gonzaga, CBN/Diário, e Edson Curcio, Guarujá;

Programa esportivo: CBN Diário Esportes (16h) e Guarujá Esportes (18h);

Apresentador de TV: Fabian Londero, NSC;

Apresentadora de TV: Karem Fabiani, Band;

Desempenho inovador: Fernando Machado, SBT;

Programa de TV: SBT Meio-Dia;

Destaque na Internet: Upiara Boschi, NSC;

Marketing: troca do nome RIC por ND e a promessa de revolução na programação a partir de 2020;

Executivo do ano: Marcello Petrelli, do grupo ND. Depois da família Sirotsky, é o primeiro que assume posição de liderança institucional.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Artigos Relacionados

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia. Dirige a Making of há seis anos.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!