Fevereiro 04, 2017

O assédio ao PSDB aumenta

Com a posse do deputado federal baiano Antônio Imbassahy na importante pasta de articulação política, a Secretaria de Governo, dois meses depois de Geddel Vieira Lima (PMDB) deixar o cargo, o presidente Michel Temer ampliou para cinco os integrantes do PSDB no já inchado Ministério de 28 pastas. Esta aproximação sinaliza o interesse dos peemedebistas em ter os tucanos como os principais aliados de uma administração de transição e que projeta uma coligação à eleição presidencial, em 2018.

O quanto estes movimentos terão repercussão nos estados não preocupam o presidente estadual do PSDB catarinense, deputado Marcos Vieira, que tem ampla interlocução com gente graúda do PMDB, como o vice-governador Eduardo Pinho Moreira, além de ser cortejado pelo PSD, do deputado Gelson Merisio e do governador Raimundo Colombo. Mais fortalecido pelos resultados na eleição municipal do ano passado, o tucanato catarinense, que se transformou na terceira força política do Estado, tem emitido sinais claros de que terá candidatura própria ao governo, o que não impedirá a construção de coligações com alguns outros grandes protagonistas.

 

A tática

Ter um projeto definido para daqui a um ano e oito meses criou uma estratégia de outras siglas para tentar dividir o partido, dar espaço a deputados estaduais na administração de Raimundo Colombo, Leonel Pavan (Turismo, Cultura e Esporte) e Vicente Caropreso (Saúde), foi uma delas. O governador Raimundo Colombo tem sido cauteloso ao afirmar que os tucanos fazem parte de sua administração, limita-se a dizer que o PSDB tem ajudado bastante na governabilidade com o apoio no Legislativo.

 

A posição

Para Marcos Vieira, se a intenção era levar os deputados para o governo para atender demandas pessoais e comprometer a unidade da sigla, não deu certo. Vieira lembra que Pavan e Caropreso foram para as secretarias de Colombo por delegação da bancada na Assembleia e garante: “Estamos unidos e eles (os secretários) estão comprometidos. E saem do governo a qualquer momento, assim que o partido determinar “. Amigo de Raimundo Colombo e Eduardo Pinho Moreira, com quem se reúne frequentemente e recebe em casa, o presidente tucano, que se sente alvo de um ação política de enfraquecimento, antevê o que até os mais distantes sabem: não haverá campanha viável sem o PSDB, aqui ou em Brasília.

 

Desabafo

Quando fala com entusiasmo do projeto tucano ao governo, Marcos Vieira afirma que quer ser o presidente que elegerá o governador do partido. Nos bastidores, recorda de conversas com o presidente estadual do PP, deputado federal Esperidião Amin, a quem questionou por pretender o apoio tucano, mas por a sigla em terceiro lugar em prioridade; e o presidente estadual do PSD, deputado Gelson Merisio, que condicionou apoiar o nome de Vieira para a presidência da Assembleia desde que o PSDB aderisse, desde já, ao projeto dos pessedistas ao governo em 2018. Ou seja, o próprio Merisio.

 

ROBERTO AZEVEDO

BONS ARGUMENTOS

No grande debate que cerca a reforma da Previdência, policiais civis, militares, federais, rodoviários federais e até as guardas municipais unificaram o discurso e as campanhas para a manutenção da aposentadoria aos 25 anos de serviço. Pegam carona no tratamento que os militares das Forças Armadas receberam para ter uma análise especial pelo governo federal. No flagrante, o vice-presidente regional Sul da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), Anderson Vieira Amorim, e o cabo PM Elisandro Lotin de Souza, presidente da Associação Nacional dos Praças (Anaspra), conversam sobre a manifestação unificada marcada para a próxima quarta-feira, na Capital Federal. Entre os argumentos que levarão ao Congresso Nacional, as 577 mortes de policiais no ano passado e o crescente número de suicídios (13 em Santa Catarina) agravados em função da periculosidade e do estresse no cotidiano da função.

 

Pesquisa

A expectativa de vida do policial brasileiro é de 56 anos de idade, apontou uma pesquisa encomendada junto à Fundação Getúlio Vargas, pela Cobrapol, em função da periculosidade e do estresse no cotidiano da função. Policiais não trabalham com a melhor parte da sociedade quando estão em serviço ou são alvos fora dele. Assista ao vídeo.

 

No Sul

Questão de honra, pois é disputa histórica local entre PMDB e PP, a cúpula do PMDB, encabeçada pelo presidente estadual Mauro Mariani, aterrissa no Salão Paroquial do Centro de Sangão para escolher o candidato do partido na nova eleição a prefeito. O ex-prefeito Paulo Jorge Machado, o ex-vice Herivelto de Castro Reynaldo e o empresário Cloudo Cledeci da Richa são cotados depois que o prefeito reeleito Castilho Silvano Vieira (PP) e o vice Dalmir  Carara Cândido tiveram as respectivas candidaturas impugnadas e não foram diplomados.

 

RICARDO PEREIRA/DIVULGAÇÃO

LISTA SÊXTUPLA

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Santa Catarina, escolheu a lista sêxtupla de profissionais que concorrem à vaga de desembargador do Tribunal de Justiça pelo quinto constitucional da categoria. Foram votados os advogados André Dacol (42 votos), Rogério Zuel Gomes (41 votos), Jandrei Aldebrand (34 votos), Richard Silva de Lima (31 votos), Cleide Furlani Pompermaier (30 votos) e Guilherme Scharf Neto (29 votos). Cabe agora ao Pleno do TJ escolher três nomes entre os seis escolhidos e o governador Raimundo Colombo indicar o novo magistrado.

 

RÁPIDAS

 

* As explicações do ministro Wellington Moreira Franco (Secretaria de Governo), que ganhou foro especial por estar na lista da Esplanada, um presente do presidente Michel Temer ao companheiro citado e recitado nas delações da Odebrecht, na Lava Jato, se enquadram na máxima de estapafúrdias.

 

* Suplente de vereador e nome forte da Defesa Civil e da Fatma, o coronel PM da reserva Márcio Alves (PMDB) passou a ser cotado para a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude, que englobará as Fundações Municipais de Cultura e Esporte de Gean Loureiro, depois de especulações para comandar a Floram.
 

* E o advogado João Cobalchini, filho do deputado estadual Valdir Cobalchini, vice-presidente estadual do PMDB, e coordenador da campanha do vereador  Rafael Daux (PMDB), que já atua na Secretaria de Meio Ambiente, Planejamento e Desenvolvimento Urbano da Capital, deve assumir dse adjunto da pasta.

 

* O ex-deputado federal Paulo Bornhausen, presidente estadual do PSB, e o deputado Gelson Merisio, presidente estadual do PSD, estão nas respectivas propagandas partidárias das siglas na TV. A dobradinha deve ser reeditada na eleição em 2018. A conferir.

 

* Resolução do diretório estadual do PPS enquadrou 35 diretórios municipais que não cumpriram determinações do planejamento eleitoral e outros casos, destituindo os comandos em Arroio Trinta, Blumenau, Bocaina do Sul, Bombinhas, Brusque, Canoinhas, Celso Ramos, Chapadão do Lageado, Chapecó, Coronel Martins, Curitibanos, Entre Rios, Florianópolis, Gaspar, Governador Celso Ramos, Guaramirim, Imbituba, Itapema, Itapoá, Mafra, Nova Trento, Palmeira, Penha, Peritiba, Porto União, Presidente Getúlio, Rio Fortuna, Santiago do Sul, São Bento do Sul, São José, São Miguel do Oeste, Sombrio, Timbó, Urussanga e Xanxerê.

 

* O documento foi assinado pela presidente estadual do PPS, a deputada federal Carmen Zanotto.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 34 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, nas RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis e na Rede TV Sul!; comentarista na RIC TV Record e na Record News, e editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital. Faz comentários sobre política e economia.
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!