Novembro 01, 2018

OH, MEU DEUS!

OH, MEU DEUS!
Steve Carell e Morgan Freeman em Todo Poderoso

Apesar de ser tão popular e estarmos sempre chamando seu nome em interjeições e apelos, Ele não é assunto fácil. Talvez por isso, a maioria dos filmes a seu respeito peguem leve, no sentido literal. O mais comum é a trama ser bem humorada e acabar em lição de moral. De alguns anos para cá surgiu o filão dos chamados filmes cristãos ou gospel, além das histórias espíritas, mas esses subgêneros precisariam de uma edição só para eles.

Acho bonito o Criador ter uma imagem amorosa e "humana", mas para algumas pessoas pode ser ofensiva.  Aqui pretendo apenas, respeitosamente, especular como o Cinema trata Deus. Não está em questão acreditar ou não acreditar,  discordar da ideia que cada um faz d`Ele, pois isso é muito pessoal. Mas é reconfortante saber- principalmente em tempos bicudos como esses - que "alguém lá em cima gosta de mim".

 Se você lembrar de algum outro filme sobre o tema, por favor, acrescente-o à nossa modesta lista. Pode ser nos comentários do final da coluna ou pelo e-mail: cineseries@portalmakingof.com.br

------------------------------------------------

 

UMA ENTREVISTA COM DEUS – Perry Lang – 2018

O mais novo deles, chegando agora aos cinemas, ainda não vi! A sinopse: Paul (Brenton Thwaites) é um jornalista ambicioso em busca de sucesso profissional através de alguma grande matéria. Depois de uma extensa procura, ele topa de frente com um homem que pode lhe dar a melhor entrevista de vida: ele diz ser Deus e promete responder a qualquer pergunta de Paul em uma conversa única.

O roteiro pretende que ao final do filme  "as pessoas saiam percebendo que Deus as ama, e por causa disso, não há nenhuma pergunta que seja proibida e que nada poderia mudar o amor Dele por nós. Quero que sintamos a necessidade de discutir sobre questões difíceis da vida sem perder a fé".

Para quem leva sua crença a sério, vale conferir.

 

ALGUÉM LÁ EM CIMA GOSTA DE MIM – CARL REINER – 1977

O título da coluna é inspirado no nome original desse filme: "Oh, God!". Faz tanto tempo que assisti que precisei recorrer à sinopse oficial. Mas até onde lembro foi o primeiro a "brincar" com a ideia de Deus vindo à Terra para colocar ordem nas coisas. Acho que estamos precisando d´Ele novamente.

Tarzana, Califórnia. Jerry Landers (John Denver), o subgerente de um supermercado, é escolhido por Deus (George Burns) para disseminar Sua palavra, pois Deus está insatisfeito com várias coisas que estão acontecendo no mundo. Inicialmente Jerry achou que era uma brincadeira, mas logo se convence que está falando e vendo Deus, que se faz aparentar por um velho. Bobbie (Teri Garr), a esposa de Jerry, questiona a sanidade do marido, mas aos poucos Jerry é ouvido, fazendo representantes de várias igrejas se unirem para propôr um teste que Jerry não teria a menor chance de responder.

 "Oh, God!", título original, teve duas continuações : "A Menina que viu Deus" e "O céu continua esperando".

Obs.: Carl Reiner é pai de Rob Reiner, o diretor que me deu duas alegrias: "Harry e Sally- feitos um para o outro " e "Conta Comigo".

 

UM VISTO PARA O CÉU – Alberto Brookes – 1991

Esse filme traz para mim a melhor definição de céu: um lugar onde se pode comer de tudo sem engordar !! A sinopse: Daniel Miller ao dirigir pelas ruas de Los Angeles bate em um ônibus, o que provoca um acidente fatal. Ele vai então para o céu, e começa a viver uma vida parecida com a da Terra, as vezes até melhor. Lá ele conhece Julia , uma encantadora mulher, que o faz não querer voltar ao mundo dos vivos de jeito nenhum. Só que para conseguir ficar nesse "pós-vida", ele é obrigado a passar por um julgamento, onde terá que provar que encarou seus medos na terra e que teve coragem. Caso Daniel não consiga, ele terá que voltar e começar tudo de novo, e sem a Julia.

O filme é simpático e divertido. Foi dirigido pelo ator principal, Albert Brookes, tendo ao lado a já maravilhosa Meryl Streep.

 

TODO PODEROSO – Tom Shadyac – 2003

                                                                    

Quantos de nós já não questionamos nosso chefe e depois que assumimos um cargo semelhante percebemos na prática que "não era bem assim, não era tão fácil" ter as mesmas responsabilidades? Basicamente essa é a premissa do filme.  Jim Carrey é Bruce Nolan, um jornalista que que passa por momentos difíceis e começa a questionar a forma como Deus rege a Terra.  O Todo Poderoso desce à Terra na pele de Morgan Freeman e dá a Nolan poderes para comandar o Mundo durante um dia. Acham que foi fácil? Qual a primeira coisa que vocês fariam no lugar d´Ele ??

 

O NOVÍSSIMO TESTAMENTO – Jaco van Dermael – 2014

Ainda não vi o filme, mas ele tem um olhar irônico sobre o nosso tema que pode ser interessante. Nessa produção franco-belga, Deus é um senhor rabugento que mora em Bruxelas. Além disso, ele comete maldades com os humanos e com filha de 10 anos. Cansada da atitude do pai, a garota invade o computador dele e envia para todos os habitantes do planeta as datas em que vão morrer. Imaginem as consequências dessa bagunça! O nome mais conhecido do elenco é o de Catherine Deneuve.

------------------------------------------------

 

O LIVRO QUE VIROU FILME

A CABANA – William P. Young – 2008

A história contada por esse autor canadense é bem mais profunda, nada a ver com as tramas leves dos filmes acima.

Sinopse: publicado nos Estados Unidos por uma editora pequena, A cabana se revelou um desses livros raros que, através do entusiasmo e da indicação dos leitores, se torna um fenômeno de público – já são quase dois milhões de exemplares vendidos – e de imprensa.
Durante uma viagem de fim de semana, a filha mais nova de Mack Allen Phillips é raptada e evidências de que ela foi brutalmente assassinada são encontradas numa cabana abandonada.
Após quatro anos vivendo numa tristeza profunda causada pela culpa e pela saudade da menina, Mack recebe um estranho bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o para voltar à cabana onde aconteceu a tragédia.
Apesar de desconfiado, ele vai ao local do crime numa tarde de inverno e adentra passo a passo no cenário de seu mais terrível pesadelo. Mas o que ele encontra lá muda o seu destino para sempre.
Em um mundo tão cruel e injusto, A cabana levanta um questionamento atemporal: se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar o nosso sofrimento?

As respostas que Mack encontra vão surpreender você e podem transformar sua vida de forma tão profunda quanto transformou a dele.

 

A CABANA – Stuart Hazeldine2017

A crítica não gosta de "A Cabana". O filme divide opiniões entre público que o vê de acordo com suas crenças.  Não é uma obra católica, digamos. Se for analisada à luz da Teologia, a história derrapa e foi até acusada de heresia. Quem vê apenas a questão da fé pode se emocionar e foi o que aconteceu com muita gente. O filme provocou muitas lágrimas no escurinho do cinema, pois carrega nas tintas do melodrama.

Há algumas ousadias: a representação de Deus é feita por uma mulher negra e gorda, a ótima atriz Octavia Spencer. O Espírito Santo por uma atriz oriental pouco conhecida. Jesus por um ator de pele escura.

Entre mortos e feridos, o filme acabou sendo sucesso de bilheteria. O autor ganhou muito dinheiro e escreveu outro romance polêmico na sequência também mostrando uma ideia pouco convencional da Santíssima Trindade. O jeito é conferir e ver onde você se encaixa nessa polêmica toda.

------------------------------------------------

 

FORA DE SÉRIE

 

A HISTÓRIA DE DEUS – SÉRIE DOCUMENTAL – NATIONAL GEOGRAPHIC

 

A série é a exploração épica de Morgan Freeman e uma reflexão íntima sobre Deus. Cada episódio é centrado em uma grande questão sobre o divino: desde o mistério da Criação, ao verdadeiro poder dos milagres até à promessa da ressurreição. Estes mistérios universais têm impacto em pessoas de todas as fés. Morgan mergulha nas experiências religiosas e rituais de todo o mundo, do Muro das Lamentações em Jerusalém até à Árvore Bodhi na Índia ou  às mega igrejas dos Estados Unidos. Ele vira uma espécie de cobaia em laboratórios científicos para examinar como é que as fronteiras da neurociência e cosmologia se conectam com o domínio tradicional da religião. Ele viaja com arqueologistas para descobrir religiões há muito perdidas dos nossos ancestrais, como nas ruínas de 10.000 anos de Gobekli Tepe, na Turquia. A relação do Homem com Deus é a questão mais importante da história da humanidade. Esta expedição ambiciosa pelas eras e pelo globo procura entender a forma como a fé moldou as nossas vidas, não importando a religião ou crença, como explica o material de divulgação do National Geographic.

------------------------------------------------

 

É COISA NOSSA

DEUS É BRASILEIRO – Cacá Diegues – 2003

O representante nacional segue a mesma linha bem humorada para falar d´Ele. É o seguinte: Deus está cansado das lambanças da humanidade ( também pudera!), quer tirar férias e procura um brasileiro para ficar em seu lugar. Seu guia nessa busca é Taoca , um esperto pescador que vê em seu encontro com Deus sua grande chance de se livrar dos problemas pessoais. Juntos eles rodarão o Brasil em busca do substituto ideal.

Deus não só é brasileiro, como é Antonio Fagundes...rsrsrs... sempre ótimo. O esperto auxiliar foi um dos primeiros grandes papéis de Wagner Moura. Lembro de ter pensado: que ator tão bom é esse que não conhecia? E realmente, Wagner acabaria se tornando um dos melhores atores de sua geração, super versátil em drama, comédia, ação...

Cacá, um dos meus cineastas nacionais favoritos, filmou " Deus é brasileiro" nos estados de Tocantins, Alagoas, Rio de Janeiro e Pernambuco. A última cena é de uma beleza emocionante.

------------------------------------------------

 

HASTA LA VISTA, BABY !

Frases de cinema e da literatura

A escolha foi meio óbvia porque "A Cabana" não deixa de ser uma história  de autoajuda, então é pródiga em frases interessantes:

"Você quer a promessa de uma vida sem dor, isso não existe."

 "O ser transcende a aparência! Assim que você começa a descobrir o ser que há por trás de um rosto muito bonito ou muito feio, de acordo com seus conceitos e preconceitos, as aparências superficiais somem até simplesmente não importarem mais..."

 "Só porque você acredita firmemente numa coisa não significa que ela seja verdadeira."

 "Às vezes a memória pode ser uma companheira enganosa."

 "O mundo está cheio dessas pessoas que têm o sorriso nos lábios e o veneno no coração: que são dóceis desde que nada as ofenda, mas que mordem à menor contrariedade; cuja língua dourada, quando falam frente à frente se transforma em dardo envenenado quando falam por trás."

"(...) Já julgou muitas pessoas durante a vida. Julgou os atos e até mesmo as motivações dos outros, como se soubesse quais eram. Julgou a cor da pele ,a linguagem corporal e o odor pessoal.(...) Até julgou o valor da vida de uma pessoa segundo seu conceito de beleza."

------------------------------------------------

 

MENS@GEM PARA VOCÊ

"Adorei a coluna, assim como a da semana passada - gostei muitíssimo - que também veio em ótima hora. Sobre o comentário do Jaime, concordo totalmente. É impossível fazer uma coluna só de #elastemaforca , e que bom, não é?

Pareceu que estávamos em sincronia agora, já que há pouco tempo acabei de ler Jane Eyre <3 Fiquei morrendo de vontade de ver o filme das três irmãs. Aliás, praticamente todos que indicaste, já que, infelizmente, faz tempo que não vejo filmes como antes e tenho uma lista interminável para ver. As séries também não ajudam em nada. Mas guardo sempre um tempo para os meus livros, os meus mais amados". (Juliana Bergmann)

R.: Juliana, obrigada. Também sou fã de "Jane Eyre". Vi todas as versões para o cinema, daquela de 1944 à de 2012. Gosto especialmente da de 1990, com George.C.Scott.

***

"Pra variar, uma bela seleção que dá vontade de rever os conhecidos e ver as descobertas. Jonhy got his gun, que vi no Bristol em Porto Alegre, me bateu como um machado, me deixando noites em claro! Mesmo amando, acho que não aguentaria rever, principalmente nesses dias sombrios". (Suzete)

R.: Suzete, comprei o DVD, mas não consegui rever. Dói demais.

***

"Excelente a coluna desta semana! Se alguém acha que cinema é apenas distração, leia o que a Brígida revela semana após semana sobre o papel do cinema desvendando a história social e política das nações e das pessoas que participaram de momentos marcantes dessa história (tanto para o bem como para o mal)". (Neuza Vollet)

R.:  Concordo, Neuza, o Cinema pode ser mais profundo do que se pensa. Pode-se aprender muito através dos filmes (certos).

------------------------------------------------

Fiquem bem. Até a próxima !

THE END

Tags:
cinema séries beijos de cinema arte cultura séries de TV netflix
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Brígida Poli

Brígida Poli

é jornalista. Cinéfila desde criancinha, converteu-se à mania das séries depois de assistir a "Os Sopranos". Não se considera crítica de cinema, apenas alguém que gosta de trocar ideias sobre a sétima arte.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!