Julho 10, 2019

Paulo Henrique Amorim: perdeu o vídeo, perdeu a vida

Paulo Henrique Amorim: perdeu o vídeo, perdeu a vida
Reprodução

Pode ter sido uma grande e trágica coincidência o jornalista Paulo Henrique Amorim ter sido afastado do vídeo da Record, em junho, e acabar morrendo esta madrugada, 10, com um infarto fulminante. Certamente não era seu desejo ficar na geladeira, depois de uma longa carreira, onde o que lhe restava era o Domingo Espetacular, que apresentava de maneira burocrática, e o blog Conversa Afiada, onde destilava veneno para todos os lados.

A carreira de Amorim teve uma grande parte dedicada ao bom jornalismo, ao frequentar as principais redações brasileiras, chegando a ganhar um prêmio Esso pela Veja, e depois como correspondente internacional de TV. Esteve na Manchete, Cultura, Record e Globo.

Logo após deixar a Globo e entrar na Record em 2003, o jornalista virou o fio e passou a opinar fortemente contra a emissora anterior, a família Marinho e aos seus profissionais. Nos últimos tempos, perdeu dois processos na Justiça, para Merval Pereira e Heraldo Pereira, a este último chamou de "negro com alma branca".

Há apenas dois dias, Amorim gravou um vídeo dizendo que iria apelar à OEA para denunciar a censura na imprensa brasileira. Ao que se sabe, sempre existiu pressão sobre a imprensa, mais recente agora, mas censura mesmo foi no período da ditadura militar. Foi lá, no governo Médici, e inspirada nos Estados Unidos com o lema "USA, love or leave it", na guerra do Vietnã, que passaram a divulgar em massa o "Brasil, ame-o ou deixe-o".

Nos últimos tempos, Paulo Henrique Amorim estava adaptado a um lema próprio, "Goste ou deixe-o". Certamente era uma maneira de continuar sendo citado, mesmo de forma negativa.  

Conseguiu, até os 77 anos, quando a vida lhe deixou.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!