Junho 27, 2019

Pedalada contra a xenofobia

Pedalada contra a xenofobia
Reprodução

A família dos venezuelanos Jorge Luis Alvarez, 42 anos, e Damelis Dias, 43 anos, chegou a Florianópolis há um ano. Primeiro veio Jorge, em maio de 2018. Quatro meses depois Damelis e os dois filhos adolescentes conseguiram também deixar o país vizinho. A vida deles aqui não têm sido fácil, demoraram para encontrar emprego _ muito aquém das atividades que desenvolviam em Maracay, município distante 120 quilômetros da capital Caracas. Mas eles reconhecem que a vida no Brasil é muito melhor do que a que tinham na Venezuela nos últimos anos. Só se queixam mesmo é da saudade do restante da família que ainda não conseguiu deixar o país.

Histórias como a de Jorge e Damelis estão se tornando cada dia mais comuns, e os imigrantes de diversas nacionalidades fazem parte do cenário do dia a dia das cidades. Infelizmente, muitas vezes eles ainda são vítimas de preconceito, especialmente porque são  oriundos de países pobres, como a Venezuela, o Haiti e o Senegal. Se fossem europeus ou norte-americanos, de nações ricas, com certeza a tolerância seria bem maior.

Bruna Kadletz,co-fundadora do Círculos de Hospitalidade, diz que "ao redor do mundo, milhões de pessoas passam pelo inimaginável: têm suas vidas destroçadas por guerras, violência e catástrofes naturais. Além de terem suas histórias marcadas pelo deslocamento forçado e vida em exílio, muitos ainda encontram hostilidade em vez de hospitalidade". Segundo relatório da ONU, o número de refugiados em todo o mundo chegou a quase 71 milhões de pessoas em 2018. Por dia foram 37 mil migrações, por causa da violência ou da intolerância.

Em Floripa, um evento bem bacana neste sábado, dia 29, vai mostrar que podemos, sim, ser um povo acolhedor e que xenofobia é ignorância. Trata-se do II Pedal Humanitário, um passeio ciclístico com feira multicultural e atividades culturais em prol da população refugiada e imigrante no Estado. O trajeto será do prédio da Justiça Federa (concentração às 8h30min e saída às 9 h), passando pela Beira-Mar e indo até o Parque de Coqueiros, onde haverá uma Feira Multicultural e apresentação cultural de pessoas refugiadas e imigrantes.

Ciclistas e também quem não pedala estão convidados a participar. A iniciativa é do Programa de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) do Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF/SC), o Bem Viver, em parceria com o Círculos de Hospitalidade, CRAI e PRF. Informações, formas de apoio e inscrições pelo e-mail: prsc-bemviver@mpf.mp.br.


Fotos: Juraci Perboni/Arte em PDF: Luciano Martins

Tags:
Viviane Bevilcqua colunistas portal making of cronicas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Viviane Bevilacqua

Viviane Bevilacqua

Trinta anos de jornalismo diário e predileção por temas ligados ao comportamento humano. Crônicas que falam sobre as relações familiares, educação, saúde e o cotidiano de todos nós, sempre de forma leve e direta, como se fosse um bate-papo entre a jornalista e o leitor.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!