Abril 16, 2019

Peninha tem as portas abertas no Planalto

Peninha tem as portas abertas no Planalto
KETRIN RAITZ/DIVULGAÇÃO

Muitos caminhos uniram o deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB) ao então colega de Câmara Jair Bolsonaro, entre eles a polêmica revisão do Estatuto do Desarmamento, que o parlamentar por Santa Catarina encampou. Investido na função de coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, que reúne as bancadas na Câmara e no Senado, Peninha usará a amizade com o agora presidente Bolsonaro para tentar abrir as portas do Palácio do Planalto às demandas do Estado. A última iniciativa do emedebista foi ovacionada na Marcha dos Prefeitos a Brasília, na semana passada, quando recebeu integral apoio à Proposta de Emenda Constitucional para unificar o calendário eleitoral. Peninha propõe que, de vereador a deputado federal, e de prefeito a presidente da República, todos os pleitos ocorram em 2022. Os aplausos não foram em vão, pois a ideia geral é que os mandatos nas prefeituras sejam prorrogados por mais dois anos, assim como o dos integrantes das câmaras municipais. O maior adversário da PEC parece não estar no Congresso, mas no Tribunal Superior Eleitoral, que argumenta não ter estrutura para promover uma eleição de deste porte. Peninha justifica que R$ 900 milhões para uma eleição, a cada dois anos, no mínimo é falta de compromisso com a sociedade. Unificar o calendário significa estabelecer um mandato maior, de cinco a seis anos, e acabar com a reeleição.

 

Mérito

A deputada Carmen Zanotto (Cidadania), que deixou a coordenação do Fórum Parlamentar Catarinense, foi elogiada pelo seu desempenho. Enfermeira por formação e reconhecida pela atuação no setor da saúde, Carmen atuou para o repasse de R$ 120 milhões anuais para o Estado, o que diminuiu a diferença “per capita” entre Santa Catarina com o Paraná e o Rio Grande do Sul, além de habilitar novos serviços e a renovar a frota do SAMU.

 

Ainda ecoa

Os deputados e senadores catarinenses estranharam a ausência do governador Carlos Moisés da Silva na reunião do Fórum Parlamentar. Moisés, que participou da Marcha dos Prefeitos e da reunião do Fórum dos governadores, na Capital Federal, não foi ao evento e justificou, pelo secretário Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico Sustentável), que precisava pegar o avião de retorno a Florianópolis. Muitos parlamentares não engoliram, reclamaram se não havia como trocar a passagem, mas o fato é que Moisés só viaja de voo de carreira e tem hora para chegar ao aeroporto.

 

O futuro do PSB 1

O ex-deputado federal Paulo Bornhausen frisa algumas máximas sobre a saída dele do PSB, que deve ser seguida por muita gente do partido. Bornhausen explica que a conversa com o presidente nacional Carlos Siqueira selou um acordo consensual e não um divórcio litigioso. A longa reunião da executiva pessebista, nesta segunda (15), corrobora isso, mas nem o presidente da sigla Ronaldo Freire arrisca um palpite sobre os desdobramentos após o dia 30 deste mês, quando a atual cúpula desembarcará depois de prestar contas à Justiça Eleitoral.

 

O futuro do PSB 2

Paulo Bornhausen faz algumas ponderações que o afastam dos convites do DEM e do PSD. “Se eu voltar para uma ex-mulher, pode saber que enlouqueci”, assegura. Convidado por PRB, Pros e PRTB, o caminho natural de Bornhausen e seu grupo é o Podemos, do senador Alvaro Dias, do Paraná, que concorreu à Presidência com um discurso de renovação. Diante do quadro de acomodações partidárias, depois de 2018, Bornhausen vê o seu movimento como natural, sem citar a esquerdização do discurso provocada pela cúpula nacional, motivo do rompimento, e sem adiantar o novo endereço. “Estão mais preocupados com esta troca do que eu. Sinal de que estou vivo”, dispara o ex-deputado federal.

 

Civilizado

O ex-prefeito de Palmas (TO), Carlos Amastha, escalado por Siqueira para acertar os detalhes do processo de transição, comandou o encontro da executiva e confirmou o catarinense Adir Gentil para presidir a nova fase do partido. Gentil foi duas vezes vereador em Florianópolis, suplente que assumiu como deputado estadual (entre 1991 e1995) e senador, em 2002, quando o titular Geraldo Althoff (PFL) se licenciou – Althoff era o primeiro suplente de Vilson Kleinübing e Gentil o segundo. Em Tocantins, Gentil foi secretário de Carlos Amastha na prefeitura da Capital Palmas. O curioso é que ele comandará o PSB na interinidade, mas foi presidente do Podemos no Estado da região Norte.

 

E O PATRIMÔNIO

Para os prefeitos e vices é mais fácil, não precisam do aval da sigla para mudar de partido. Os principais interessados no futuro do PSB, além dos vereadores, são os deputados estaduais e o federal da sigla, que não têm uma forma uniforme de atuar diante da situação com a saída de Paulo Bornhausen. Se trocarem de sigla estarão sujeitos à perda de mandato, já que o mesmo pertence ao PSB, no entendimento do TSE, a não ser que comprovem perseguição interna. Veja a posição de cada um:

 

Bruno Souza:  Considera-se mais um “espectador do que um jogador” neste momento e admite que precisa aumentar sua participação partidária. Aguarda uma conversa com o Paulo Bornhausen para definir um posicionamento.

 

Laércio Schuster: O mais convicto dos deputados estaduais em relação ao fato. Pretende permanecer no PSB.

 

Nazareno Silva: Conhece bem Adir Gentil, mas admite que o quadro gera muita dúvida. Pondera que a sigla foi construída com esforço e fez quatro vereadores em Palhoça, sua base, mesmo número do PSD, do prefeito Camilo Martins, que é seu filho. A tendência é permanecer para não prejudicar o grupo político.

 

Rodrigo Coelho: Presidente do PSB de Joinville, maior colégio eleitoral do Estado, o deputado federal demonstrou todo o seu desconforto com a maneira como está sendo conduzido o processo de transição. Reclama que sequer foi convidado a participar da reunião, dirigida por Carlos Amastha, na Capital. Não se mostra disposto a permanecer, sem contar que a eleição de deputados federais, o que inclui a de Coelho, ajudou o partido a garantir o fundo partidário e o tempo no rádio e na TV, pela cláusula de desempenho.   

 

Indignado

Rodrigo Coelho não é o único presidente municipal do PSB indignado. O ex-secretário Murilo Flores, que comanda os pessebistas da Capital, e concorreu à prefeitura em 2016, não aceita a imposição da direção nacional.  

 

Mais um

Vereador Gabriel Meurer (PSB), o Gabrielzinho, entrou na briga contra a possibilidade de extinção do Procon Estadual, alerta que já havia sido feito pela deputada Ada de Luca (MDB). Advogado, Gabrielzinho foi assessor do órgão estadual e ainda comandou o Procon de Florianópolis, tem história na defesa do consumidor.

 

Em tempo

A Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), a Associação Catarinense de Imprensa (ACI), o Sindicato do Jornalistas de Santa Catarina (SJSC) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)  protocolaram nesta segunda (15) na Assembleia uma representação por quebra de decoro parlamentar contra a deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL). O documento que fundamenta a representação explica que a parlamentar proferiu ofensas contra jornalistas e agrediu verbalmente um profissional do jornal Notícias do Dia, do Grupo RIC, o colunista Altair Magagnin, durante uma entrevista, sobre o suposto uso de diárias da Assembleia em dias de lançamento de um livro de autoria da parlamentar. Caberá ao presidente do Legislativo, deputado Julio Garcia (PSD), encaminhar o pedido à Comissão de Ética e Decoro parlamentar.

 

MARIANE MENDES/DIVULGAÇÃO

PARA SER GRANDE

O presidente do PSL, Lucas Esmeraldino, que comanda a sigla de Jair Bolsonaro e Carlos Moisés da Silva no Estado, afirmou que pretende organizar o partido em todos os 295 municípios catarinenses para ter candidatos à prefeitura em cada um deles. Se parece ousado, Esmeraldino ( ao centro) sonha com a continuidade da onda que elegeu o presidente da República e o governador, em 2020. Na foto, a reunião foi uma das tantas que virão, em um encontro com representantes das executivas municipais da região da Associação do Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), em Araranguá.

 

Um João mais forte

A decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF, é apenas uma liminar e já deu um enorme ânimo ao ex-deputado João Rodrigues (PSD) retornar à Câmara por ter prescrito o crime pelo qual cumpriu pena e reabilitado para ser elegível, ter seus votos considerados. João depende do TSE para receber o diploma e assumir; do Ministério Público Federal, que já admite que o crime prescreveu, mas deve recorrer da decisão do ministro; e até do colega de partido Ricardo Guidi, que assumiu o mandato em 1° de fevereiro, e contesta perdê-lo enquanto o mérito da liminar não for julgado.

 

Emplacou

O caso de João Rodrigues emplacou longa reportagem no Jornal Nacional do último sábado (13). Lembre-se que o deputado por Santa Catarina teve sua condenação como base para que o ex-presidente Lula fosse preso, ou seja, a condenação em segundo grau, antes de esgotados todos os recursos.

 

Aliás

Graças ao Jornal Nacional, da TV Globo, nesta segunda (15), muitos catarinenses conheceram o sotaque e o semblante do deputado federal Gilson Marques (NOVO), durante uma participação dele ao microfone na CCJ. Curiosamente, o advogado Marques, que defendia que não houvesse inversão da pauta, aparecia atrás do também eleito por Santa Catarina, Daniel Freitas (PSL). O NOVO fechou questão a favor da reforma da Previdência.

 

DIVULGAÇÃO

O DESAFIO DAS LIDERANÇAS

O Grande Oriente de Santa Catarina (GOSC) reuniu mais de 300 maçons durante dois dias, em Florianópolis para debater Liderança: Conciliando tradições e inovações para a ação”. Entre os vários painéis, os prefeitos Julio Cesar Ronconi (PSB), de Rio Negrinho, e Joares Ponticelli (PP), de Tubarão (também presidente da Fecam), falaram da tomada de decisões e do nebuloso cenário para os políticos, atualmente e em 2020, ano de eleição às prefeitutas e câmaras. O seminário promovido pela GOSC também tratou de cenário sócio econômico, com o catarinense Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil; sustentabilidade para o Estado e os municípios, com o diretor-geral de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina, Marcelo Brognoli da Costa; o papel das tecnologias e das novas mídias , com o jornalista Moacir Pereira, do Grupo NSC, e o  empresário Marcello Petrelli, presidente executivo do Grupo RIC Santa Catarina e da Acaert; e o futuro das tecnologias com o mestre em Engenharia de Produção, professor Juliano Heinzelmann Reinert, que introduziu o conceito da Sociedade 5.0, cidades superinteligentes e conectadas, principalmente com uso de fibra ótica;

 

Bom exemplo

Prefeitura de Florianópolis está fazendo a recuperação do asfalto no Morro da Lagoa da Conceição, na SC-404. Há muito a ordem é fazer melhorias não importa se é uma rodovia sob a administração do Estado, Aliás, quando estas rodovias passarão para o domínio do município, pois já se tornaram ruas faz tempo.

 

Projeção

Também em Florianópolis, o secretário municipal Constâncio Maciel (Fazenda) projeta uma LDO com os pés no chão, porém com um gasto de 19% para a a saúde (o mínimo são 15%) e 30% para a educação (o obrigatório são 25%). Com todo este esforço, certamente Maciel e o prefeito Gean Loureiro (MDB) não estarão livres de críticas, pois basta um problema em um posto de saúde ou UPA ou na rede de ensino que o contribuinte chia.

 

Quanto custa

Corrigir uma derrapada do presidente Jair Bolsonaro, um liberal que interveio na Petrobras para segurar o preço do Diesel nas refinarias, devido à ameaça de nova paralisação dos caminhoneiros, alertado pelo ministro Onyz Lorenzoni (Casa Civil). Bolsonaro não só rasgou o discurso de campanha, mas gerou uma onda de desconfiança, agora nas mãos do ministro Paulo Guedes (Economia) e do próprio Onyx e de dezenas de técnicos da Fazenda e da estatal do petróleo. Rompantes têm sérias consequências na economia e reflexos na discussão sobre a reforma da Previdência na Câmara.

 

Papelão

Do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que afirmou ser a estatal "livre" e que "tem vida própria". Só para negar para o mercado o intervencionismo do presidente da República, Jair Bolsonaro, na decisão que recuou no reajuste do preço do óleo diesel.

 

* Nem o partido de Bolsonaro, o PSL, votou contra a reversão da pauta e pôs as emendas impositivas de bancada antes da reforma da Previdência para debate na CCJ da Câmara.

 

* Na nova política, descobrimos, que deputados do PSL e do Centrão (PR, PP e DEM) aceitam um requerimento do PT e fazem o jogo da sobrevivência parlamentar, e o NOVO e o PSDB  tentam corrigir o rumo pela reforma da Previdência. Vá entender!

 

*  MDB Mulher e Fundação Ulysses Guimarães promovem o encontro “Somos Transformação” para Prefeittas, vices, vereadoras e presidentes municipais dia 6 de maio, em Águas Mornas, prova de que a eleição de 2020 já começou nas internas das siglas, atpe mesmo para segurar descontentes.

 

* No próximo dia 26, Rodrigo Bortolini, titular da Divisão de Furtos e Roubos de Veículos da Deic assume a presidência da Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol), e terá como 1º vice Mauro Dutra e como 2º vice, Gustavo Kremer.

 

* O governo de Carlos Moisés da Silva e o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) comemoraram a reportagem do Fantástico, da TV Globo, que mostrou a excelência da Defesa Civil de Santa Catarina na prevenção de desastres naturais, isso porque foi tratado sempre como um assunto de Estado não de administrações apenas.

 

* Se dependesse unicamente do MDB-raiz do Grande Oeste, o deputado federal celso Maldaner estaria eleito presidente da sigla.

Tags:
roberto-azevedo política economia bastidores da política Santa Catarina
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Roberto Azevedo

Roberto Azevedo
Jornalista com 34 anos de profissão. Foi repórter, editor, chefe de Reportagem, chefe de Redação, editor-chefe, gerente e diretor de Jornalismo, nas RBS TV de Blumenau e Florianópolis, na TV Record de Florianópolis e na Rede TV Sul!; comentarista na RIC TV Record e na Record News, e editor de Política e colunista no Diário Catarinense (DC), e colunista no Notícias do Dia (ND). Atuou nas rádios União de Blumenau e União FM de Florianópolis, e na Rádio Record da Capital. Faz comentários sobre política e economia.
  • Youtube

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!