Maio 10, 2019

Pesquisa aponta que TV e rádio são menos afetados com fake news

Pesquisa aponta que TV e rádio são menos afetados com fake news
Reprodução

Canais de TV e rádio são menos atingidos com a veiculação das fake news. É o que mostra o estudo “Trust in News” produzido pela Kantar. A pesquisa avaliou a cobertura política e eleitoral no Brasil, EUA, Reino Unido e França. Os dados comprovam que, devido à profundidade da cobertura oferecida, as notícias veiculadas pelas emissoras de rádio e televisão são mais confiáveis do que as de plataformas de mídias sociais e jornais online.

Os resultados obtidos com o estudo mostram que 39% das pessoas usam, hoje, mais fontes de notícias do que um ano atrás. O jornalismo foi considerado fundamental para a democracia por 73% dos entrevistados. Embora 78% dessas pessoas se atualizem com notícias no meio online, apenas 56% delas acreditam que o que leem é verdadeiro.

De acordo com a pesquisa, 76% dos entrevistados passaram a checar a veracidade da notícia em outras fontes depois de ouvirem falar em fake news e 70% passaram a pensar duas vezes antes de compartilharem essas reportagens. Em relação à confiança no noticiário político e eleitoral, 57% disse confiar menos em aplicativos de mensagem enquanto esse número sobe para 58% quando se trata das mídias sociais. Já o telejornalismo manteve a mesma confiança por parte de 64% dos entrevistados.

Em relação ao consumo de notícias veiculadas da televisão por faixa etária, 69% da faixa etária entre 18 e 34 anos afirmaram acompanhar as notícias por este meio. Nesse mesmo grupo, em relação aos boletins ou noticiários da rádio, o número cai para 28%. Entre 35 e 54 anos, 77% acompanham pela TV e 33% pela rádio. Já entre os que têm 55 anos ou mais o número é de 83% pela televisão e 36% pela rádio.

A Abratel enxerga com satisfação o resultado da pesquisa pois ela confirma a preocupação com a credibilidade das emissoras associadas e os esforços produzidos por cada uma delas para levar conteúdo de qualidade ao público. A luta por uma radiodifusão livre, gratuita, aberta e, acima de tudo, de qualidade, é um dos pilares da Associação. As informações são da Fenaert.

Tags:
ultimas
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Redação Making Of

Comentários