Janeiro 07, 2019

Por que Alexandre Garcia saiu da Globo

Por que Alexandre Garcia saiu da Globo
Alexandre Garcia e a mãe

Apesar da extensa carta de agradecimentos divulgada pelo diretor de jornalismo, a saída de Alexandre Garcia não foi exatamente um pedido de demissão depois de 30 anos de serviços à Globo. Na origem está o post do jornalista em novembro do ano passado em que começa falando dos 100 anos da mãe, mas faz elogios ao presidente eleito, Jair Bolsonaro cujo título dá ideia da sua posiçao: "Mesmo antes da posse, a ideia vencedora começa a assumir".

Na Globo, as normas editoriais deixam claro que os funcionários não podem assumir posições políticas publicamente, como forma de preservação do profissional e isenção da emissora.

A manifestação de Alexandre rendeu um agradecimento via Twitter de Bolsonaro e um convite para ser porta voz do governo, feito logo depois do acordo de demissão em dezembro. O jornalista declinou no momento, pois nesse tipo de acordo costuma ter cláusula quarentena, como existe no meio público com funcionários graduados. Ou seja, depois de um tempo Alexandre pode ainda aceitar o convite, função que teve no governo militar de João Figueiredo .

O jornalista tem 78 anos e tinha contrato com a Globo até 2020. Nas redes sociais continua "defendendo" o novo governo, como depois das polêmicas da ministra Damares Alves sobre "menina usa rosa, menino, azul". Disse ele que "em outubro de 2013 o Palácio do Planalto entrou na campanha ‘Outubro Rosa’ e depois ‘Novembro Azul’. O nome de quem decidiu começa por D, mas não é Damares. E não vi inversões irônicas falando em próstata rosa e mama azul"

Doni

Outro apresentador veterano, Chico Pinheiro, de 65 anos, não saiu mas levou um sinal amarelo da Globo: desde agora não fará parte da escala de revezamento de apresentadores do Jornal Nacional. Só fica no Bom Dia Brasil. Uma postura semelhante nas redes sociais, pois tem o hábito de se posicionar politicamente. No caso, favorável ao PT.

Quem saiu lucrando com tudo isso foi o âncora do Jornal Hoje, Doni de Nuccio, que foi promovido para o lugar deles no Jornal Nacional e já estreou sábado passado. Os comentários foram positivos nas redes sociais e tudo leva a crer que no futuro tem tudo para ser um bom substituto para William Bonner. É só cuidar com vai escrever de agora em diante.

Tags:
multimidia claiton selistre bastidores comunicação TV rádio jornal
Compartilhe: Compartilhe no FacebookCompartilhe no TwitterCompartilhe no Linkedin

Claiton Selistre

Claiton Selistre

Jornalista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foi diretor de Jornalismo por 25 anos da RBS TV, TVCom e Rádio CBN/Diário em Santa Catarina. Antes atuou na  Rádio e TV Gaucha do grupo RBS e em redações de jornal, rádio e tv do grupo Caldas Jr. em Porto Alegre. Foi também repórter da na Sucursal do Jornal do Brasil. Planejou e Coordenou coberturas multimídia nas Copas do Mundo de Futebol na Alemanha, Argentina, Espanha, México, Itália, Estados Unidos, França e Japão/Coréia.

Comentários

Media Social

Fique por dentro

Receba novidades no seu e-mail!